quarta-feira, 30 de junho de 2010

História do Karate Brasileiro e Gaúcho

Prezado Paulo:
 
Peço vênia para editar o texto (abaixo) em defesa do Mestre Takeo Susuki.
Aproveitarei para o enviar ao news de artes marciais e ao Blog, e acredito que tu, Paulo, poderás usar esse texto, que tomamos a liberdade de editar do Professor Nelson:
 
 
E posso falar do Mestre Suzuki, na condição de conhecedor de seu trabalho, sem ser seu discípulo.
 
Além de professor de Direito Desportivo, sou graduado (5º Dan) em outra Escola de Karate, Goju, e meu mestre é o Sensei Akira Tanigughi, 8º Dan, e ainda recordo a minha primeira aula, em maio de 1975, na Meybukan em Porto Alegre, onde, ao lado do Sensei Akira, estava o Prof. Hinata, consagrado atleta e professor de Judo que, logo que conheceu Akira, tornou-se seu mais dedicado aluno de karate.
 
Sensei Akira também foi agracidado com a Honraria da Medalha João Saldanha, em reconhecimento do Governo do Estado pelo seu trabalho como técnico esportivo e, aliás, corrijam-me: Os únicos Professores de Karate que a receberam foram ele e o Sensei Takeo Suzuki?
 
 
Akira era um dos últimos "samurais", isto é, professores de artes marciais que tiveram experiência de combate real. Lutou na IIª guerra mundial, e veio para o Brasil em 1958, ano em que foi feita a foto acima, em SP. Ele usava listas brancas na faixa indicando seu 5º dan, costume que seu principal discípulo, Arthur Xavier de Oliveira Filho, o seguiu
até que, com o 6º Dan, passou a usar a faixa vermelha e branca, outro costume japones:
 
Akira demorou a chegar a Porto Alegre. Passou por diversos Estados. Em Minas, por exemplo, Marcelo Arantes, mais tarde o 1º Presidente da CBK, foi seu aluno.
 
Ainda no início dos anos oitenta, o lendário atleta Caribé, da Bahia, rendeu-lhe homenagem e reconhecimento como professor, na Revista KungFu.
 
Akira, mantinha seus discípulos  em contato com os principais mestres da modalidade.
 
Com saúde abalada, faleceu em fevereiro de 2009, no Japão
.
 
 
Mestre Takeo Suzuki, 8° Dan de Wado-Ryu Karate-Do, discípulo direto do Grande Mestre Hironori Otsuka, chegou ao Brasil em 1960, vivendo na comunidade japonesa em Belém do Pará por três anos na comunidade japonesa. Em 1963, transferiu-se para o Rio Grande do Sul, sendo o primeiro professor de Karate no Estado. Em reconhecimento ao seu trabalho, em 1995, foi o primeiro professor de karate agraciado com a Medalha João Saldanha, maior honraria outorgada pelo Governo do Estado por relevantes serviços prestados pelo desenvolvimento do desporto.
 
Ficou no RGS de 1963 a 1969, indo para São Paulo e Rio de Janeiro, onde ministrou aulas de Wado e, com os Mestres Buyo e Takamatsu, fundou a Wado-Kai do Brasil. Foi o primeiro Professor de Karate do Dr. Ivo Pitangui, no Rio de Janeiro onde lecionou, também, para os Fuzileiros Navais.
 
Retornou ao Japão, onde treinou dois anos diretamente com o Mestre Fundador Hironori Otsuka.
 
Em 1974, retornou ao Rio Grande do Sul, trazido por uma Academia onde o atualmente 6ª dan, Nelson D´Ávila Guimarães, foi um dos primeiros alunos, o n° 9.
 
Equipe brasileira na Budokan/Tókio Campeonato Mundial de Wado-Ryu 1979. Oscar-SP, Ricardo-RJ, Ronaldo-SC e Sensei Buyo e, agachados Nelson-RS, Carlos-SP e Samuel-SP.
 
Sendo o Mestre Suzuki um dos Mestres Japoneses que ensinam o Karate como Budô, desligou-se da Academia por não concordar com a maneira comercial como era administrado o ensino da modalidade, e inaugurou seu próprio Dojô, intitulado Dojinmon, com administração não comercial e dedicado a prática do Karate, com ênfase no Budô.
No Dojô, não havia mensalidade, e os alunos ofertavam uma retribuição mensal ao Mestre com o valor que achássemos conveniente dentro de suas possibilidades, separando-o do "monge empresário".
 
Em 1980, Mestre Suzuki levou o Karate Wado-Ryu para Minas Gerais, alguns anos depois para Brasília, onde lecionou no Colégio Militar por muitos anos.
 
Hoje, reside no exterior. Contudo, todos os anos reúne seus discípulos num Gasshuku, cada ano em um Estado, o último em Belém do Pará (este Gasshuku aconteceu em Belém por que o Mestre considerava que seus discípulos brasileiros precisavam conhecer a Amazônia, e participaram de um reflorestamento na região). 
 
Mestre Hironori Otsuka II com o Mestre Suzuki em Gramado-RS, no Gasshuku 1995. 
O Gasshuku anterior ocorreu em Gramado, no Rio Grande do Sul. Nestes eventos acorda-se às 5 da manhã para praticar meditação, intercalada por palestras sobre Budô, e pratica do Karate-Do Wado-Ryu tradicional.
 
 
Mestre Suzuki tem uma linda e maravilhosa história de serviços prestados ao Karate brasileiro. Na fundação da CBK, no campeonato Brasileiro, no Maracanãzinho em 1988, apresentou uma demonstração anterior, a do Mestre Shinzato.
 
 
----- Original Message -----
Sent: Wednesday, June 30, 2010 10:16 AM
Subject: RE: História do Karate Brasileiro

Prezado Sensei Nelson Guimarães,
 
Lógico que lembro de você e também do Padilha.
É com muito prazer que li seu e-mail e agradeço muito seu retorno. O livro "Karate-Do HIstória Geral e no Brasil" é um contínuo trabalho de pesquisa feito no nosso imenso país. Graças a seriedade da minha pesquisa estamos com a primeira edição quase que praticamente esgotada. Obviamente, como todo trabalho humano,  ele tem de ser constantemente alimentado e revisto... Estou começando a redigir a segunda edição e melhorando com a colaboração de muitos que como você me alertaram sobre algum detalhe ou fato relevante. Face a sua importante conotação sobre Mestre Takeo Suzuki, gostaria que você me desse mais informações e se possível mais fotos com legenda sobre o trabalho do mestre, assim como, caso você e o Padilha queiram dar algumas informações sobre o histórico do Karate-Do do Rio Grande do Sul serão de grande valia.
 
Creio que juntos possamos engrandecer sempre a memória do Karate-Do brasileiro.
 
Aguardo seu contato.
 
Um grande abraço
 
OSS!
 
Paulo Bartolo
----- Original Message -----
Sent: Tuesday, June 29, 2010 11:51 PM
Subject: História do Karate Brasileiro

Prezado Paulo Bartolo!
 
Tive contato com tua obra sobre a história do karate e gostei muito da publicação, e queria te parabenizar pelo feito.
 
Só não gostei mais por ter visto meu Mestre Takeo Suzuki ser retratado de uma maneira pejorativa pela citação de seu nome relacionado a visão totalmente deturpada de uma pessoa que não gostava dele, e tivera uma relação de trabalho, Uma pessoa dessas tentando ser patrão de um grande Mestre, evidentemente não poderia dar certo.
Como tiveste contato com vários grande Mestres sabes a personalidades destas pessoas tão singulares.
 
 
Pena não teres entrado em contato comigo, poderia ter te passado a verdadeira história do Mestre Suzuki.
 
Nos devemos ter nos encontrado em alguns Campeonatos Brasileiros de Karate, fui presidente da Federação Gaúcha de Karate de 1989 a 1997, tendo sido o fundador da federação, fui árbitro da CBK por todo este período, e por um tempo fui do Conselho de arbitragem, arbitrei muitas finais de campeonato brasileiro.
 
Espero ter colaborado, de alguma maneira, ou quem sabe para a segunda edição revisada do seu livro.
 
Abraços!
 
Sensei Nelson Guimarães
Arquiteto
6° Dan CBK
5° Dan Wado-Ryu Japão
Fundador e Ex-presidente da  FGK de 1989 a 1997
Membro do Conselho Regional de desportos de 1991 a 2003.
 
P.S Anexei duas fotos.
1. A equipe brasileira na Budokan em Tókio que participou do Campeonato Mundial de Wado-Ryu em 1979.
Em pé da direita para a Esquerda Oscar-SP, Ricardo-RJ, Ronaldo-SC e Prof. Buyo, em agachados Nelson-RS, Carlos-SP e Samuel-SP.
2. A segunda é da demonstração do Mestre Hironori Otsuka II com o Mestre Suzuki em Gramado-RS, no Gasshuku que realizamos em 1995.