quinta-feira, 27 de junho de 2013

transporte caro e desumano



A disfarçada escravidão:


acultura da superficialidade manipuladora entorpece e aliena - para se tolerar a extorsão institucionalizada: uma disfarçada escravidão

Transporte público 
caro   desumano:

      Pesquisa de Vinícius Macedo Ramos na Eng. de Produção da Escola Politécnica USP

  Os protestos de 2013 mostram as pessoas decentes cansadas de serem tratadas como engrenagens no sistema criado pelos ricos para continuarem controlando a sociedade. Ou seja, resume-se a poder:


 As melhores intenções são usadas para jogar pessoas decentes umas contra as outras, cercear a liberdade e acentuar a injustiça e a desigualdade e, sobretudo,  aumentar o extorsão.
 A maior parte da população brasileira vive sob uma disfarçada escravidão da acultura da superficialidade.

  A inflação é o pior dos impostos http://padilla-luiz.blogspot.com.br/1994/06/porque-existe-inflacao.html atingindo todos, até os mendigos; disfarçadamente, aumenta a carga tributária excessiva.
   E não há contraprestação de serviços públicos; os bilhões arrecadados alimentam a maior corrupção do planeta.
  A democracia foi concebida em povoações onde todos os cidadãos reuniam-se para debater e decidir. No mundo moderno, é um engodo, para disfarçar a escravidão.
 Vivemos sob uma ditadura porque o processo de comunicação e as crenças coletivas tem sido controlados pela minoria: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2006/05/idolatria-midia-manipula-cria-falsos.html

Vídeo de Pedro Biel e Marcelo Tas mostrando como a mídia manipula a opinião pública.
Quadro piloto do Programa Fantástico, vetado pela direção, nunca foi veiculado na TV.


 O transporte público demorado e caro é um dos grilhões da escravidão disfarçada.
 O transporte público é caro porque as empresas concessionárias superfaturam suas despesas; o fazem para reduzir a carga tributária e justificar aumento de tarifa.
 O transporte público é demorado porque o governo quer:
 1º. Durante 30 anos, enquanto a urbanização atingiu mais de 80% do País e até as exigências da Fifa em 2011, praticamente nada foi investido em mobilidade!
 2º. Porto Alegre, por exemplo, tem o seu centro político e econômico em uma ponta, cercada pelo Rio Guaíba. Para mobilidade, precisa mover os terminais de ônibus e lotações para o perímetro central, de onde rapidamente se chegaria a qualquer local, conjugado a um transporte dentro da região central.
   Contudo, irracionalmente, mais e mais linhas são criadas partindo do mesmo "centro" político localizado em uma ponta; passam pelas mesmas vias, as quais ficam abarrotadas de veículos.
  Não precisa ser assim, toda demora insana, custos de tempo e dinheiro... Nos engarrafamentos, o consumo de combustível e o desgaste dos veículos é muito maior.

  Como os governantes são pessoas inteligentes,  são capazes de perceber essa tolice Quanto temos sido tolos? http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/06/espertos-agindo-como-tolos.html

 O fato de nada mudar demonstra o objetivo dos que governam:   dificultar a mobilidade.

 Porque a arrecadação dos cofres públicos aumenta quando os engarrafamentos provocam desperdício de combustíveis.



  3º. Prova do interesse escuso dos governantes? Entre as alternativas acesso do Centro de Porto Alegre, a Av. Cristóvão Colombo tranca, entulhada de veículos; contudo, um dos trechos de maior tráfego, entre as Rua Quintino Bocaiuva e Av. Dom Pedro II, exceto por três casinhas velhas e estreitas, no sentido centro bairro possui um recuo para duplicação da via. 
  Por que não resolvem? Porque os engarrafamentos multiplicam o desperdício de combustível aumentando a arrecadação dos cofres públicos!
   Por isso há quase 300 sinaleiras num trecho de 15 km entre a zona sul e o aeroporto, em uma suposta avenida de trânsito rápido que custou bilhões.
  Os politicorruptos querem o trânsito trancado para faturarem com o desperdício de combustíveis e a indústria da multa!

   Condições desumanas:
 Quando vão e voltam do trabalho, as pessoas são espremidas como "em lata de sardinha"; e ainda cobram tarifas caras!
  Ninguém aguenta ser tratado como palhaço!
 Desde criança, sonham comprar um veículo. Acreditam que assim se livrarão do suplício. Que nada!  Atordoados, nem se dão conta de que o problema só vai piorar.
 Atulhadas de carros, as ruas estreitas tornam-se intransitáveis; comprar carro aumenta os gastos, sem conferir mobilidade.
 Nesse devaneio, muitos se endividam proporcionando aumento de receita dos banqueiros e cofres públicos com taxas e impostos sobre financiamentos.

  Tudo planejado para aumentar o desperdício de combustíveis e tirar dinheiro da população.
 A falta de mobilidade urbana e as péssimas condições do transporte público são programadas!

 acultura da superficialidade manipula, entorpece e aliena para tolerarmos a extorsão institucionalizada, uma disfarçada escravidão http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/03/medo-e-imobilidade-urbana-alimentam.html

"Os jovens unidos jamais serão vencidos!"


   Os protestos demonstram que as pessoas decentes cansaram de serem desprezadas como engrenagens num sistema injusto.
   

   Ao comparar o valor das tarifas e a renda média das cidades do mundo, chegamos à conclusão de que a renda no Brasil é muito baixa e a tarifa é alta.
 Foi a gota d´água provocando o despertar do torpor  http://super.abril.com.br/blogs/crash/a-gota-que-faltav/ http://papodehomem.com.br/o-protesto-que-eu-nao-vi-pela-tv/

  Sensibilizado pela revolta popular, o Ministério Público começa a investigar o lucro exacerbado
    Mobilize Brasil coletou informações sobre o valor das tarifas em muitas cidades e concluiu que, nas brasileiras, o custo é caro.
   
    No Brasil, é possível adquirir cerca de 630 bilhetes de ônibus ou metrô com a renda média. Compare com 1.581 de Nova York, 2.002 em Tóquio, ou 2.986 bilhetes na Cidade do México. A média brasileira abaixo até de Lisboa onde, com a crise, o salário médio de 850 Euros (R$ 2.422,50) pode comprar 608 bilhetes no valor médio de 1,40 Euros (R$ 3,99); ou de Londres, uma das cidades mais caras do mundo, onde as 2.000 Libras (R$ 6.700,00) do salário médio compram 667 bilhetes simples de metrô, ao valor de 3 Libras (R$ 10,05). Dados do site Numbeo, seção dedicada ao custo de vida nas cidades; plataforma colaborativa sobre qualidade de vida, trânsito, criminalidade, assistência e saúde, poluição, custos de viagem e outros indicadores atualizados de milhares de localidades, espalhadas pelos continentes, verificando a adequação das tarifas às rendas médias reais locais, como no Estudo Mobilize 2011 e na seção Acompanhe a Mobilidade, mostrando quantos bilhetes de transporte podem ser comprados com a renda média.
Gráfico comparando as cidades:
Fontes: Numbeo http://www.numbeo.com
IBGE, Pesquisa Mensal de Emprego Abril/2013
Pesquisa, edição de dados e redação: Ricky Ribeiro, Henrique Rodrigues e Marcos de Sousa

Governo tenta impedir CPI da Copa:
Mesmo com a onda de protestos contra o incremento da corrupção alguns parlamentares cedem à pressão do governo, o qual quer impedir uma CPI: http://www.folhapolitica.org/2013/07/dilma-tenta-impedir-cpi-da-copa.htm

 Parlamentares contra CPI para investigar corrupção na Copa: http://www.folhapolitica.org/2013/07/veja-lista-de-parlamentares-contra-cpi.html 
Esporte usado para fomentar a ignorância.
Os "pés de obrae os que os idolatram tornam-se superficiais.
Quando a maioria do povo torna-se aculta esquece o passado e não terá futuro: tornar-se-ão escravos http://profheliodias.blogspot.com.br/2013/07/o-mal-estar-contemporaneo-de-andre-lara.html
"Dilma, me chama de Copa e investe em mim! Assinado: Educação".



Gastos públicos com estádios da Copa passam de R$ 8,5 bilhões:
Aumento do custo das obras salta 43%:
Construção do Mané Garrincha, em Brasília, foi a mais cara
Foto by Jefferson Bernardes / AFP / CP
  Mané Garrincha o maior dos desperdícios:
  O verdadeiro Mané Garrincha, o qual jogava pelo prazer que sentia e que proporcionava aos torcedores, morreu na pobreza. Contudo, em Brasília, o estádio com o seu nome tornou-se um dos maiores monumentos ao despropósito; é o mais caro dos construídos para a Copa-2014 e um dos mais caros na história das Copas do Mundo. 
  ONG Play the Game mede o custo dos empreendimentos em preço por assento. A arena brasileira, com valor final estimado em R$ 1,2 bilhão, custa R$ 16,8 mil por cada assento.
  O Sapporo Dome, no Japão, líder do ranking, teve custo de R$ 21,8 mil/assento; o terceiro é o Nissan Stadium, também no Japão, com R$ 18,7 mil/assento, seguido pelo Mané Garrincha. Contudo, lembrem que o Japão é um pais onde a escassez de espaço eleva o valor de qualquer área. Ademais, os dois estádios japoneses são lucrativos. Além de jogos de futebol, chegam a receber mais de 70 partidas de beisebol em um só ano.
   Com média de público inferior a mil pagantes, o Mané Garrincha lembra o Cape Town Stadium, na África do Sul, o segundo do ranking de custo, com R$ 21,2 mil/assento; com média de 4 mil pessoas, em um estádio com capacidade para 55 mil, causa prejuízos anuais acima de R$ 10 milhões.
  O alto custo da construção dos 12 estádios a serem utilizados na Copa do Mundo de 2014 é um dos principais alvos de reclamação dos protestos que tomam conta do Brasil em junho de 2013 (notícia com fotos no Correio do Povo). Mais de R$ 8,5 bilhões serão gastos nas obras das arenas (os gastos com os novos estádios).
 A imprensa internacional noticia a corrupção da Copa: http://www.folhapolitica.org/2013/06/brasil-esta-humilhado-pela-corrupcao.html
    

    Uma Copa 100% pública:
    A proposta, do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, era de uma Copa privada; que nada! Inverteu-se. Para erguer ou reformar todos os 12 estádios a previsão inicial era cerca de R$ 5,1 bilhões. Em junho de 2013, faltando seis a serem concluídos, o valor saltou para R$ 7,3 bilhões, aumento de 43%. Além disso, aos consórcios serão pagos milhões pela utilização de palcos, como na Fonte Nova.
   A maior parte do investimento é público. A Caixa Econômica Federal colocou R$ 3,3 bilhões e mais de R$ 3,6 bilhões são financiamentos do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). Os estados entram com mais de R$ 1,1 bilhão e os municípios com R$ 466 milhões. Comparada a isso, a contribuição do setor privado de R$ 329,4 milhões, é pífia, menos que uma gorjeta, não chega a 5%.
   
   Quando confirmou o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, uma das principais promessas do governo federal  foi de que os gastos públicos teriam total transparência e de que a população poderia acompanhar os relatórios em tempo real. No entanto, as atualizações têm sido escassas, confusas e contraditórias.
   "Existe uma enorme quantidade de portais dos estados e da União... muitas vezes ...com informações conflitantes e contraditórias. A maioria deles está desatualizadaGil Castelo Branco, fundador e secretário geral da ONG Contas Abertas. Gilberto Simon 19/6/2013 às 14:59 http://wp.me/pl9z0-cK9 
   No Diário Oficial de abril aparece o Orçamento da União para 2013 destinando R$ 99,8 bilhões para o Ministério da Saúde e R$ 81,1 bilhões para a Educação. Informações do Ministério do Esporte sobre gastos em estádios, mobilidade urbana, aeroportos, etc, falam em R$ 28 bilhões; contudo, estima-se que será gasto muito mais.

   Além dos gastos elevados, as reformas também causaram elevado dano à memória e à identidade cultural.
  "O Maracanã foi transformado em um estádio genérico, uma arena, sem qualquer identificação com os torcedores ou com a cidade." Leia o texto na íntegra no blog O Campo: http://o-campo.tumblr.com/post/53891735766/o-novo-maracana-e-a-perda-de-identidade-victor 
  Na reforma do Maracanã, "sumiram" com o espaço em homenagem a Artur Friedenreisch. Primeiro grande ídolo do esporte, conhecido como el Tigre, marcou 47 gols mais do que Pelé.

 Esse atentado contra a memória e a cultura é útil a quem deseja turbinar o prestígio do Rei do Futebol, em queda devido a seus posicionamentos contrários ao reclame popular.   Desde 1998, Pelé empresta o seu carisma a um dos mais hediondos projetos dos sociopatolobistas, o de usar o esporte para dissimuladamente aumentar a escravidão.

  A PEC 12/2012 pretende acabar com a autonomia do esporte para aumentar a carga tributária: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2012/10/politicos-querem-acabar-com-autonomia.html

 São motivos para revolta?
  Claro que sim! Correio do Povo http://papodehomem.com.br/a-gota-que-faltava/

Gilberto Simon 24/6/2013 http://wp.me/pl9z0-cNc

Há décadas o esporte é usado.

Para incentivar a ignorância. 
A baixa cultura provoca as baixas rendas; e ambas permite uma ditadura da minoria apenas controlando as informações e as comunicações:

A articulação para realizar a Copa 2014 e os Jogos 2016 no Brasil, exceto alguns inocentes úteis manipulados, é da cobiça e da corrupção!


 Um  povo sem cultura não tem passado, porque o esqueceu. 

E nem terá futuro se renunciar ao  livre arbítrio: Tornar-se-á escravo!

Interpretações sobre as manifestações & Direito de Manifestação André Coelho

http://www.youtube.com/watch?f&v=J01XKE9Uosc



Aprofunde o tema + Doutoramento de Robert Alexy na Universidade de Coimbra:
http://padilla-luiz.blogspot.com/2013/07/transportes-mais-caros-do-mundo.html


Como os desumanos dominaram até agora?

 O que fazer para a Humanidade retomar o controle planetário? 


  A luta humana contra a desinformação psicopata:

 A Hipnose em Massa:



 A origem de todo o mal:


As mentiras para entorpecer: 




Imobilidade programada: para te multar tem 100
e nenhum para proteger?


Outros tópicos da teia de paradoxos
e do combate à desinformação:




Para acessar outros arquivos na Rede de Conscientização: