quinta-feira, 1 de agosto de 2013

TGP-Transdisciplinar


Teoria Geral dos Processos:  Página em permanente construção* como nós!

Educação precisa mudar o modelo ultrapassado:
"!La crisis de la educación no es una crisis más entre las muchas crisis que tenemos, sino que la educación está en el centro del problema. El mundo está en una crisis profunda porque no tenemos una educación para la conciencia. Tenemos una educación que en cierto modo le está robando a la gente su conciencia, su tiempo y su vida." Claudio Naranjo http://www.webislam.com/articulos/60921-la_educacion_que_tenemos_roba_a_los_jovenes_la_conciencia_el_tiempo_y_la_vida.html


Empilhar conhecimentos? Em grande parte é inútil ou se torna obsoleto rapidamente.
A sobrecarga de informações confunde: induz a um pré-torpor. 
O estado de paradoxo anula a capacitação.


Sabedoria conquista pela experiência geralmente é muito mais eficaz do que o conhecimento formal:



 O ensino precisa focar em desenvolver as habilidades de comunicação e a conscientização do processo de pensamento.



Integrar a universidade e a escola é fundamental para superar essa crise da educação, registrou o ciclo “Universidade do Futuro” em 18/9/2013: http://www.adufrgs.org.br/noticias/universidade-do-futuro-ii-integracao-entre-universidade-e-escola-e-fundamental-para-superar-a-crise-no-ensino-medio/






















Nenhum dos lançadores dos fundamentos da pedagogia moderna deu mais importância ao amor, especialmente ao materno, do que o suíço Johann Heinrich Pestalozzi (1746-1827): "Para se conseguir estancar a miséria do povo, em sua fonte, precisar-se-ia cultivar, desde a infância, as faculdades físicas, intelectuais, e morais do homem, e desenvolver pela educação os bons sentimentos que Deus depositou  em gérmen no coração de todos os seus filhos."
Inovador, Pestalozzi lançou as bases da educação moderna ao conceber um sistema de ensino prático e flexível procurando estimular as faculdades intelectuais e físicas da criança com o afeto num papel central: "O único meio de por termo à desordem social, às fermentações e revoltas populares, assim como aos abusos do despotismo dos governantes e das multidões, é enobrecer o homem."
Um dos seus discípulos mais ilustres foi o pedagogo francês Hippolyte Leon Denizard Rival (1804-1869), imortalizado sob o pseudônimo de Allan Kardec, codificador do Espiritismo:


Para uma sínteses dosenunciados da TgpT:





Educação no enfoque da TGPt -

Transdisciplinar:

Teoria Geral do Processo

Luiz Roberto Nuñes Padilla 
Professor  de Processo e Direito Desportivo na UFRGS,  membro do NIETE, Núcleo Interdisciplinar de Estudos Transdisciplinares criado durante o II Salão de Extensão, um espaço singular de reflexão sobre o processo de produção do conhecimento, e do Dir2, Departamento de Direito Privado e Processo Civil da Faculdade de Direito, Av. João Pessoa 80, Campus Centro, Cep 90046-900 Porto Alegre/RS.


A crise do Direito decorre do modelo ultrapassado, incompatível com a forma de vida contemporânea. Nossa sociedade é bem diferente da antiga Roma, como adverte o historiador francês Numa Denis Fustel de Coulanges:  https://drive.google.com/file/d/0B6QVNULEDAG8Q3N4VnNoUkN5Y3M/view?usp=sharing

O mundo mudou inúmeras vezes, e os operadores jurídicos persistem enraizados em um sistema de trabalho obsoleto: http://www.padilla.adv.br/crenca/

Ricardo Lorenzetti ostenta magnífica contribuição à humanidade! http://www.ricardolorenzetti.com.ar/ - destaca:
Dos últimos poemas de Borges, coleta a máxima de São Tomás de Aquino: A efetividade da Justiça só depende de pessoas que tomem "a estranha decisão de serem razoáveis."

Ou acesse os livros em https://drive.google.com/drive/folders/0B6QVNULEDAG8OXZnci1UaG9TLWc?usp=sharing
No magnífico volume "Fundamentos do direito privado" adverte:  a decodificação leva a resultados catastróficos! Leis isoladas geram conflitos, dos quais se aproveitam os psicopatas para criar mais legislação: os malvados dissimulados instalam um ambiente caótico propício à manipulação, jogando uns contra os outros: é a acultura da superficialidade descrita na tgpT - Teoria Geral do Processo Transdisciplinar. 


Não encontraremos a solução dos problemas da aplicação do Direito no plano jurídico onde tem sido "procurada" criando novas leis: basta a simples sincronia do Plano das Crenças e Valores com o Plano do Direito: 

Dos Processos:
Podemos definir processo como um conjunto contextualizado; sempre há uma estrutura (how to) e uma finalidade (goal) como elementos essenciais para a sua compreensão.
Todo processo é imbricado, podendo ser o início, parte ou conclusão de outro processo.
Processos podem ser simples ou complexos.
Os processos simples são seqüenciais. Cada componente decorre ou é a conclusão de outro; a linearidade facilita a compreensão do conjunto.
Nos processos complexos encontramos uma rede de interações: cada componente pode ser a causa ou o efeito de outro(s); as relações tendem a ser multifárias ou espaciais, ecológico-sistêmicas e multidimensionais.
O jurídico é complexo; imbrica nos processos de pensamento e de comunicação. Os atos mais importantes da prática jurídica são a sentença e o acórdão. O verbete sentença vem de sentir; e o acórdão deriva do radical "cor", o mesmo da palavra coração, expressando um sentimento ainda mais intenso/profundo (Mauro Cappelletti, Rev. Ajuris 23).
A crise do Plano do Direito não será nele encontrada; e sim na sua interseção com o Plano das Crenças-Valores.




  O Direito é um dos planos de atuação humana.
 O Sistema Jurídico funciona por regras formuladas através da linguagem. A língua é uma ferramenta do processo de comunicação, o que coloca o Direito em uma posição de ciência dependente: http://www.padilla.adv.br/teses/normas/linguagem/

 Desde que o Sistema de Direito foi criado, atravessamos quatro ondas tecnológicas.
Cada onda de desenvolvimento representa uma alteração na maneira como percebemos o mundo; a primeira foi passarmos a atuar no plano das crenças e valores: mudando a forma como acreditamos podemos mudar o ambiente. Assim, a 7 milhões de anos passamos a andar em pé e, a 1 milhão, passamos a desenvolver a tecnologia do fogo, base de todas demais: http://www.padilla.adv.br/crencas
A onda da industrialização incrementou a velocidade do desenvolvimento humano.
A onda da informatização multiplicou a capacidade humana.
A onda da Comunicação leva essa multiplicação ao exponencial, introduzindo o paradoxo: ao mesmo tempo temos acesso a um universo de informações; contudo, o volume confunde, atordoa e em muitos casos esvazia a efetividade; conecta todos os seres humanos, contudo, reforça o isolamento. Simplesmente não estamos adaptados às cada vez mais rápidas mudanças que nós, humanos, provocamos no ambiente no qual vivemos.


O Sistema de Direito foi criado no apogeu dos efeitos da 2ª Onda Tecnológica, a da produção de alimentos; alguns, esquecendo a amplitude de enfoque, denominam-na de "onda da agricultura".
O Direito não acompanhou as modificações do mundo e, hoje, não é capaz de cumprir o seu papel, o de manter a paz social: apesar de toda tecnologia, a instabilidade social cresce. Isso se deve ao fato do direito ter se tornado refém das falsas crenças e inversão de valores criados pelos sociopatolobistas durante os processos de comunicação.
Uma mudança sutil na comunicação altera o resultado:

  Do processo de comunicação:
 O processo de comunicação é complexo. A estrutura aparente e externa é interdependente dos processos internos:

  Os processos ou estados internos podem ser induzidos por manipulação externa.
  Todo o processo de comunicação depende do Processo de Pensamento, o qual constitui o sistema operacional onde aquela se processahttp://www.padilla.adv.br/processo/pensamento

  Dos quatro planos de atuação humana:
  A vida em sociedade depende da paz social, a qual se ampara sobre três pilares. Cada um deles corresponde a um dos quatro planos de atuação humana.

   A vida nasceu e se desenvolve no plano dos fatos; ao longo de 7 milhões de anos os primatas superiores desenvolveram-se intelectualmente, até que os humanos construíssem outros três planos.

  O Plano das Crenças-Valores desenvolve-se a um milhão de anos: http://www.padilla.adv.br/crenca/

  Há duas dezenas de milhares de anos, no Plano dos Jogos-Esportes desenvolveu a habilidade de raciocínio abstrato, lidar com regras, possibilitando o desenvolvimento de um sistema jurídico: http://www.padilla.adv.br/desportivo/conceito

  Ninguém ignora que o Plano dos Jogos-Esporte constitui o principal mecanismo da descarga tensional (Freud, “O mal-estar na Civilização”, 1930; Norbert Elias, The Civilizing Process, 1939; Jung, “Obras completas”, postmortem, 1982). Em abordagem transdisciplinar, entendemos porque: a vida na sociedade contemporânea subtrai a competitividade inerente a viver. A vida é uma competição iniciada a mais de 4 bilhões de anos: http://www.padilla.adv.br/desportivo/conceito
Apesar de distintos, há áreas de interseção entre os planos, sobre as quais há boas e más notícias. Toda inovação e desenvolvimento surgem nessa interseção. Contudo, ela é usada pelos inescrupulosos para implantar falsas crenças e inverter valores, e jogar as pessoas decentes umas contra as outras, anulado-as mutuamente. 
Quem não percebe onde termina o Plano dos Fatos e inicia o Plano das Crenças-Valores é facilmente manipulável.

A manipulação individual é danosa, e pode arruinar vidas.   A manipulação coletiva pode arruinar todo um grupo social. Em comum, ambas são articuladas por sociopatas, pessoas inescrupulosas e portadoras de uma mutação genética anulando o juízo eco-ético: http://www.padilla.adv.br/etica/psico/   http://padilla-luiz.blogspot.com/2015/06/humanos-versus-desumanos.html

Nas manipulações coletivas, além da mídia, é muito utilizado o lobismo; daí o neologismo para definir os mentores dos piores mazelas contemporâneas: os sociopatolobistas.

Para manipular são usadas técnicas de comunicação desenvolvidas da compreensão transdisciplinar do Processo e Pensamento, no final dos anos sessenta na Universidade da Califórnia (EUA) onde o professor John Grinder percebeu a genialidade de Richard Bandler e, juntos, estudaram os padrões fundamentais da linguagem; especialmente a partir da  gramática transformacional ou gerativa lançada por Noam Chomsky em 1957 e de técnicas terapêuticas que funcionavam: Milton Erickson (hipnoterapia), Fritz Perls (gestalt) e Virginia Satir (terapia familiar sistêmica).
Associados a outros luminares, como Robert Dilts, agregaram conhecimentos e tecnologias até perceber o padrão de funcionamento do processo de pensamento. 
Dessa abordagem transdisciplinar resultou um conjunto de técnicas de programação neurolinguística, PNL, tradução do inglês NLP. Além de potencializar a capacidade de se comunicar de forma efetiva, permitem realizar mudanças ecológicas: http://issuu.com/padillaluizrobertonunespadilla/docs/processo_de_pensamento_essencia_da_

Como conhecer essa tecnologia protege o indivíduo da manipulação, foi industriada uma infâmia à PNL, similar à articulada contra as artes marciais: http://sindiplam.blogspot.com.br/2013/03/lutas-e-artes-marciais-tripartem-o-foco.html

  Assim, conseguiram desmanchar o sistema de ensino para, a seguir, atacar o sistema jurisdicional: http://www.espacovital.com.br/noticia-29860-sociologo-diz-que-judiciario-e-poder-ampquotltigttao-corrupto-quanto-os-outros-doisltigtampquot.

O desmanche do ensino coincidiu com o engodo ideológico: acostumados ao companheirismo da caserna, não afeiçoados às insidiosas técnicas de manipulação, os militares acreditaram nas intenções positivas e, pouco a pouco, as instituições foram se deteriorando. O objetivo dos sociopatolobistas é aumentar a concentração de riqueza:



A baixa cultural é o fator decisivo para provocar a transferência de recursos. Vale dizer, amplia a disparidade socioeconômica, permitindo aos manipuladores ficarem cada vez mais ricos:


  
Os professores são a base estrutural de uma nação. Contudo, no Brasil, das funções importantes é de longe a mais desvalorizada.

















Os professores e a cultura são desvalorizados aqui.  Isso explica porque, em 2013, o Brasil é o penúltimo lugar no ranking internacional de educação pesquisado pela EIU Economist Intelligence Unit http://www.folhapolitica.org/2013/09/brasil-e-penultimo-lugar-em-ranking.html


Os paradoxos anulando a percepção:

Envolvidas nos paradoxos programados, a maioria das pessoas não percebe o poder manipulador da linguagem, como ilustra a prática iniciada em Roma e até hoje muito usada: http://www.padilla.adv.br/processo/pensamento/etica/

Como funciona o Plano das Crenças-Valores?
Como nos proteger da manipulação?
 Conhecendo os mecanismos do Processo de Comunicação, http://www.padilla.adv.br/processo/comunicacao.
 Atentos à manipulação coletiva do Processo de Pensamento, http://www.padilla.adv.br/processo/pensamento/etica/
 Afastando a acultura da superficialidade e a encenação jurisdicional, http://www.padilla.adv.br/processo/pensamento/superficial

 

  No plano jurídico, o processo tem dois objetivos:
  O objetivo imediato consiste em solucionar a pretensão. A sentença é um silogismo decorrente do pedido. A fundamentação aplica o direito aos fatos considerados provados observando o devido processo legal.

  O objetivo mediato é a paz social, propiciada pela credibilidade do aparato jurisdicional, contrapartida do monopólio estatal da jurisdição. Daí a necessidade de fundamentar logicamente convincente, sem omitir os fatos ou fundamentos (art. 93-IX C.F.). A paz social é abalada a cada injustiça porque a impunidade dos maus, gera a audácia deles. A ousadia, estimulada pela ineficácia do direito, que incentiva os comportamentos ilícitos, e desequilibra a sociedade.

  Até o Século XIX, o processo jurídico era informado pela moral vigente, a qual exigia uma postura ética, não tolerando o inadimplemento das obrigações. As discussões eram praticamente limitadas às efetivas divergências de interpretação do direito. Ouça a lição de Eduardo Couture, um dos maiores processualistas: www.padilla.adv.br/processo/Couture.mp3

 Em meados do Século XX, quando o consumidor prejudicado reclamava, enfrentava uma discussão judicial longa, com condenações pífias, ou de valor ínfimo. Em 1990 foi editada uma nova legislação, o CDC Código do Consumidor, para revolucionar as relações de consumo, estimulando o aperfeiçoamento dos bens e serviços, e a livre concorrência.

  Contudo, no final do Século XX, o poder econômico dominara a sociedade, manipulava a informação, criava e modificava as crenças e, conseqüentemente, o pensamento da população, inclusive dos magistrados: Caravantes registrou não haver juízes infalíveis porque o Estado "hablia de elegirlos entre los hombres" (José de Vicente Y Caravantes "Tratado Historico, Crítico Filosófico de los Procedimentos Judiciales en Materia Civil, segun la nueva lei de enjudiciamento". Madrid, 1856 tomo IV, p. 83 n. 1.495)

  O poder econômico constrói idolatrias em torno das pessoas que se prestam aos seus objetivos e destroem ou impedem o crescimento de lideranças. Conheça melhor o www.padilla.adv.br/processo/pensamento

  Após desmanchar o retrocesso do sistema de ensino, os sociopatolobistas passaram a atacar o sistema jurisdicionalhttp://www.espacovital.com.br/noticia-29860-sociologo-diz-que-judiciario-e-poder-ampquotltigttao-corrupto-quanto-os-outros-doisltigtampquot

  O objetivo de lucro distorceu e manipulou as crenças e esvaziou os efeitos do Código do Consumidor. Quando um prejudicado reclama, enfrenta resistência judicial. Atualmente, a maioria dos pedidos termina em improcedência, por qualquer pretexto. Quando há indenização, o valor é ínfimo, e não repara o dano. As violações aos direitos individuais são escondidas pela encenação jurisdicional em meio a uma grande quantidade de processos cujas decisões são meramente formais, e não houve exame dos fatos e dos fundamentos. Isso é fruto da falsa crença de que, ao negar o direito do consumidor, ou arbitrando indenizações e honorários pífios, estariam desestimulando o ajuizamento de novas ações, e com isto reduzindo o excessivo volume de processos. Falso: Por mais que insistam em negar o direito aos consumidores, ou fixar valores pífios, as pessoas com fome e sede de justiça ajuizarão ações.

  Contudo, a realidade é o oposto: O volume de processos decorre do fato da ineficácia da Justiça estar estimulando o descumprimento da lei. Uma justiça ineficaz é um apanágio ao desrespeito dos direitos do consumidor e do cidadão. Para estimular a obediência á Lei devem ser impostas indenizações razoáveis.

  Nos EUA, há respeito aos direitos e cumprimento das obrigações porque os infratores sofrem as conseqüências de seus atos. Assim, ludibriados pela crença de que irão reduzir a quantidade de ações negando o direito, tornam lucrativo o desrespeito à lei, estimulam a desobediência civil, a qual aumenta a quantidade de injustiça e de ações, comprometendo a paz social.

  O desrespeito aos direitos individuais é agravado pela sublimação dos direitos coletivos. Lembram o caso do FGTS? A Caixa Econômica Federal deveria devolver bilhões aos depositantes dos quais cortara a maior parte da correção monetária. A variação cambial foi, durante décadas, o mais público e notório dos fatos. Até as crianças sabiam: se não comprar o pirulito agora, no dia seguinte aquele mesmo dinheiro não será suficientehttp://padilla-luiz.blogspot.com.br/1994/06/porque-existe-inflacao.html

  Recente o exemplo das empresas de telefonia, detentoras de enorme poder econômico. Praticam atos ilegais, prejudicam milhões de consumidores e safam-se impunes porque o Judiciário está contaminado pelo vírus da improcedência e pelo parasita do arquivamento:     http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/07/estagiariocracia-encenacao-jurisdicional.html

 Os economicamente poderosos, os politicorruptos e as grandes empresas desrespeitam as leis porque lucram com a violação do direito!
 A Transdisciplinar Teoria Geral dos Processos cíveis, trabalhistas, penais, eleitorais, administrativos, legislativos, disciplinares desportivos propõe um novo paradigma para a compreensão das dificuldades contemporâneas e para a superar pela simples aplicação dos princípios que informam o sistema jurídico.


  A não-eficiência do processo resulta da abordagem equivocada; o problema não está no Plano do Direito: encontra-se no Plano das Crenças e Valores: http://www.padilla.adv.br/processo/morosidade/
  O Juiz é responsável por muitos processos orientando a sua assessoria a preparar minutas e, ao ficarem prontas, são incluídas na próxima a sessão de julgamentos onde uma grande parte é aprovada sem revisão. Assim, as estatísticas são de centenas de processos; contudo, quem julgou? Impossível o juiz ter examinado todos os casos, nem mesmo lido as minutas. A vida dos jurisdicionado é decidida com base na opinião de assessores e estagiários;  nem sempre fidedigna, por fatores desde a falta de compromisso - "o juiz não lê" -  até a influência de lobistas interessados em impor falsas crenças: http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=14223
  Inúmeras decisões formatadas com pressa produzem injustiça, e eternizam o problema do excesso de demandas: o Judiciário perde credibilidade, e isso estimulo o abuso dos maus e inescrupulosos aproveitando o lucro de violar a Lei. A quantidade de lesados será cada vez maior e, com isso, também, a quantidade de processos.
  Os influentes desrespeitam a lei impunemente e tornando-se cada vez mais ricos e poderosos!
  Os honestos lesados ficam cada vez mais fracos...
  O crescimento da injustiça desestimula a participação de vocacionados; pior, abre as portas para a corrupção na Justiça: uma decisão comprada passa desapercebida em dilúvio de injustiças culposas.
  O Direito é um dos pilares que sustentam a paz social e a sua falha pode romper a estabilidade do Sistema. Cabe aos professores auxiliar a futura geração na missão de restabelecer a justiça e salvaguardar a paz social!
  A falha da tutela jurisdicional coloca em risco a sociedade; não pode permanecer sob o controle dos manipuladores pilotando uma legião de aprendizes: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/07/estagiariocracia-encenacao-jurisdicional.html

A acultura da superficialidade http://www.padilla.adv.br/processo/pensamento/superficial/ inviabiliza o funcionamento do sistema jurídico. Mediante uma rede de falsas crenças e valores invertidos por lobistas deixaram ser aplicados alguns dos princípios processuais mais importantes, como o da Sucumbência http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=14223
Conjugado ao hábito de procurar um motivo para extinguir sem examinar as provas, resulta na encenação jurisdicional http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/07/acultura-superficialidade-encenacao.html
O cotidiano forense transformou-se em um pirandeliano cosi è, se vi pare. Qualquer pretexto serve para não ter de examinar e julgar os litígios http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/07/estagiariocracia-encenacao-jurisdicional.html.
Proliferam decisões distanciadas da realidade e alheias as graves conseqüências. Acreditando em sofismas, fixam honorários aviltanteshttp://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/03/honorarios.html
Inverteram valores e, com respeito ao princípio da Lealdade, toleram experientes protelatórios e, ao contrário, condenam como “litigante de má-fé” quem insiste em obter o exame das lesões ao direito http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=11153
"J`ai voulu voir jusqu`oú allait la bêtise humaine:   elle est sans limites"   (André Maurois,   Letter Ouverte a um Jeune Homme, Paris, ed. 1966,  p. 38)
"A estultice tem uma real e efetiva importância no agir humano.   Talvez seja por isso que o poeta Schiller escreveu,  há dois séculos, que Contra a estupidez os próprios deuses lutam inutilmente’    Apesar de tudo, para mim, na minha visão de professor de Direito,   não é demais ainda confiar na inteligência humana,  que um dia acabará prevalecendo.” (Paulo Pasquilini)
Porque as pessoas espertas atuantes na linha de frente do Judiciário podem ser tão tolas? http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2013/06/espertos-agindo-como-tolos.html

Quem lucra com essa encenação jurisdicional? Responder essa e outras questões é do que se ocupa a TGPT Teoria Geral do Processo Transdisciplinar.

  
Para o Processo de Pensamento, base da comunicação, clique aqui
  Para o Processo de Comunicação, o instrumento do direito, clique aqui.
  Para a manipulação coletiva do Processo de Pensamento, clique aqui
  Para conhecer as fases do processo jurisdicional no Brasil, e porque há morosidade judicial e corrupção política, clique aqui
  Sobre a acultura da superficialidade e a encenação jurisdicional decorrentes da manipulação, clique aqui
  O Plano do Direito e a manipulação de preconceitos, clique aqui


  A crise que se abate sobre a sociedade resulta do modelo ultrapassado, incompatível com a vida contemporânea. Nossa sociedade é diferente da romana. O mundo mudou mas os operadores jurídicos teimam na posição perceptual obsoleta. Falta perceber o quanto cresceu, superpondo-se, o Plano das Crenças-Valores.



TGP-Transdisciplinar conjugando vinte anos de docência e pesquisas sobre processos, sociedade, esportes crenças e valores. TODA a atividade humana acontece em 4 planos de atuação: http://www.padilla.adv.br/processo/tgp/
TGPt
Teoria Geral do Processo Transdisciplinar em e-book: http://www.padilla.adv.br/processo/tgp



Descubra o que não querem que você saiba:

sobre a maior mentira do século XX a

falácia do aquecimento global:

Como os desumanos 

dominaram até agora?

Usando mentiras como essa!

O que podemos fazer para 

verdade prevalecer?


5GW, a Guerra de 5º Geração

dissimulada na desinformação dos
falsos-líderes e mídia dos
controladores globalistas

O mais importante entre o que 

não querem que tu saibas?

Você pode evitar 99,99% das doenças!

Baste ter sabedoria alimentar. 

Como cuidar da saúde?




 A Hipnose em Massa:



 A origem de todo o mal:




Imobilidade programada:
para te multar há 100;
contudo, nada para te proteger?


teia de paradoxos:
Ajude a construir 1 MMM
um Mundo Muito Melhor
combatendo a desinformação:


Para acessar outros arquivos na Rede de Conscientização: