quinta-feira, 2 de maio de 2013

atleta recusa vencer

Atleta  reverenciado por recusar a vencer!
Holofote no fim do túnel!
Reverenciado o corredor que se negou a vencer o líder da prova, que parou por engano    

  O atleta espanhol Ivan Fernández Anaya, de 24 anos, não venceu a prova de cross country de Burlada, em Navarra, dia 2/12/2012. Contudo, seis meses depois, continua sendo cumprimentado, elogiado e aclamado por sua atitude durante o evento.
  Liderava a prova outro atleta, o queniano Abel Mutai, medalha de ouro nos 3000m com obstáculos em Londres. Estava prestes a ganhar a corrida. Contudo, ao entrar na pista final, acreditou haver acabado, e relaxou o ritmo; começou a cumprimentar o público, e pensava que já havia vencido a prova. Ou seja, parou no lugar errado, antes da linha de chegada...
 
   Ivan Fernández Anaya disputa essa categoria há dois anos, e é considerado um atleta de muito futuro; foi campeão da Espanha nos 5.000 metros. Era o segundo colocado e, aproximando-se, ao invés de ultrapassar o líder, o alertou sobre o equívoco e literalmente o conduziu para a vitória.
   Ivan estava a 10 metros da bandeira da chegada e se recusou a aproveitar a oportunidade para acelerar e vencer; negou-se a conquistar a prova em cima desse erro. Gesticulando, para que o queniano compreendesse a situação e quase empurrando-o levou-o até o fim; deixou o colega vencer a prova como iria acontecer se não tivesse se engado sobre o percurso. 
   Vídeo da chegada:

   Ao terminar a prova, Ivan disse: "Ainda que tivesse me dito que ganharia uma vaga na Seleção espanhola para disputar o Campeonato Europeu, eu não teria me aproveitado. Acho que é melhor o que eu fiz do que se tivesse vencido nessas circunstâncias. E isso é muito importante, porque hoje, como estão as coisas em toda sociedade, no futebol, no sociedade, na política, onde parece que vale tudo, um gesto de honestidade vai muito bem. "
  Mesmo após o ocorrido, o fato continua sendo exaltado no noticiário e nas redes sociais. Em seu blog, Fernández comentou a repercussão de sua atitude, que continua sendo elogiada duas semanas depois:  "Hoje está sendo um dia especial para mim --ou melhor, muito especial-- nunca pude pensar que meu gesto com Mutai chegaria aonde está chegando. Estou em uma autêntica nuvem, são muitos os comentários, entrevistas, reportagens sobre o sucedido. Queria agradecê-los por tudo o que vocês fizeram por mim", escreveu.
   "Eu não merecia ganhá-lo. Fiz o que tinha que fazer", afirmou Fernández em declaração reproduzida pelo jornal 'El País', da Espanha.


  O atleta foi reverenciado por seu ato e, meses depois, persiste alcançando amplo reconhecimento.
  Prova ser artificial a inversão de valores entorpecedora da sociedade.
  O querer tirar vantagem, viver o momento até o esgotamento como se o mundo fosse acabar, é artificialidade engendrada pelos psicopatas da acultura da superficialidade.





Há muita gente boas, portanto, e todo esse desmanche institucional só foi possível com a manipulação. Então, entenda como acontece:  http://padilla-luiz.blogspot.com/2014/10/como-avaaz-manipula-subliminarmente.html    Ali, acesse vídeos e links com apresentações incríveis sobre como funciona toda a manipulação midiática que nos trouxe ao caos!