incorruptível Sergio Moro

Memorias  do confinamento. O "incorruptível" (27.04.2020)

Fernando Malheiros Filho

Ele era homem vaidoso. Cuidava para que suas bem cortadas vestes fossem sempre impecáveis, à altura da posição que pensava ter. O cabelo sempre bem posto, como era próprio de seu tempo. Media as palavras até o limite da agudeza, que pronunciava, ou escrevia, após o escrutínio copioso de suas possibilidades.

Era o dono de todas as virtudes. Sua dedicação à causa que abraçara estava acima de qualquer outra consideração ou raciocínio. A virtude era algo que deveria ser considerado em si mesmo, a despeito da régua moral que a autorizasse: estava nele próprio, encarnada, como se tivesse nascido na manjedoura celestial.

Era tímido, por isso via em seu entorno riscos à posição que alcançara. Fizera-se quase paranoico. Paulatinamente, entendeu que tamanha virtude – aquela que atraiu para si próprio – justificaria qualquer atitude, qualquer iniciativa em assegurá-la. Autoproclamou-se o "incorruptível".

O conhecimento jurídico, que desenvolveu nos bancos escolares nos quais já brilhava pela competência, garantiu-lhe o estrelato e a teia de pensamentos, raciocínios e ideário que utilizara para mudar o mundo à propósito de sua forma de pensar.

Nessa sanha, e para provar a pureza de seus propósitos, não titubeou em imolar velhos companheiros, contra eles vituperando não serem partidários de tamanha grandeza. Aos impuros, que viam com maior indulgência a ordem a ser emprestada dos fatos, que por isso deveriam ser interpretados com o tempero dos valores inerentes à vida, não poderia ser reservado senão o escárnio, a execração.

Não faltou o expurgo de companheiro da primeira hora, até mesmo de quem fora padrinho de casamento. Todos deveriam ser varridos, extintos, esquecidos.

Ao prezado leitor, explico que não estou tratando de Sérgio Moro, Bolsonaro ou Carla Zambelli (de quem Moro foi padrinho de casamento), mas de Robespierre, Danton e Camille Desmoulins (de quem Robespierre foi padrinho de casamento).

Faz muito tempo. Os fatos acima referidos voltam-se ao núcleo da Revolução Francesa, entre 1789 e 1794. Os ideais republicanos e revolucionários, inicialmente calcados nos princípios humanitários caros ao iluminismo, rapidamente passaram a servir ao maior genocídio daquela época, e que serviria àqueles que, depois, no Século XX (Nazismo, Stalinismo e Maoismo), ainda custam em escandalizar à humanidade.

Ao movimento de 1789, seguiu-se a desorganização econômica, enquanto os líderes jacobinos, sob a liderança de Robespierre, agarravam-se ao poder que instituíram até às últimas consequências. Foi quando os membros do pretensioso "Comitê de Salvação Nacional", comandado pelo mesmo Robespierre, decidiram instituir o regime de terror, pelo qual todos os discordantes deveriam ser sumariamente decapitados, como de fato aconteceu. Até hoje historiadores não se põem de acordo com relação ao número supliciados, mas há consenso de que foram mais de 55 mil os corpos divorciados de suas cabeças.

Entre os executados, o colega e companheiro de primeira hora de Robespierre, Georges Danton e o afilhado de casamento Camille Desmoulins. Quanto a Desmoulins a pena capital alcançou também à esposa, Anne Lucile Philippe Desmoulins, decapitada a 13 de abril de 1794.

A história é conhecida. Os eventos da Revolução Francesa já foram estudados à exaustão, produzindo milhares de livros e estudos, nos seus detalhes mais horrorosos, o que não evitou que nela, até hoje, muitos ainda identifiquem o mito fundador da Democracia Europeia. O que importa é a régua moral utilizada por Robespierre, modelo que acabou por resultar na sua própria execução.

Provavelmente o tempo de Robespierre à frente dos fatos começou a acabar quando decidiu imolar seu companheiro, Danton e seu afilhado Desmoulins. O virtuoso Robespierre culminou por, na epopeia de sua virtude, corromper-se na mais terrível violação aos valores humanos: atentou contra a vida de milhares de inocentes, em vórtice de sangue e exaltação cujo sadismo somente vai encontrar paralelo quase dois séculos depois, nos genocídios acima referidos, que mancharam o Século passado.

O sentimento médio, expressado pela Convenção, entendeu que, tendo o líder ensandecido se voltado contra seus íntimos companheiros, para traí-los e matá-los, ninguém estaria a salvo de sua cólera. No dia 8 Termidor, Ano II, ou 26 de julho de 1794, Robespierre deu início a mais um de seus célebres discursos na Convenção, mas ninguém lhe deu ouvidos. Os gritos dos convencionais impediram-lhe as palavras. O vórtice da inconformidade desencadeou-se: em cerca de 24 horas também a Robespierre o destino garantiu o desate que ele próprio impusera a mais de 55 mil franceses: foi decapitado.

Há muitas interpretações para o triste fim de Robespierre naqueles agitados tempos da Revolução Francesa, mas parece inquestionável que a traição a seus caros parceiros, que ousaram discordar dos horrores que ele patrocinava com avidez naquele lúgubre ano de 1794, foi elemento fundamental.

Os valores humanos, mesmo aqueles formalmente defendidos pela Revolução Francesa (convém lembrar que, no tripé revolucionário, constava a fraternidade), representam construto desenvolvido pela civilização, por milênios, nem sempre respeitados, mas que acabam por prevalecer, cuidando-se mesmo de mecanismo de preservação da espécie.

A lealdade entre os humanos do mesmo grupo não nasceu pelo acaso dos fatos genéticos. Era imposição de sobrevivência que inoculou à cultura: no ambiente selvagem e na guerra, representava atributo da maior relevância, amálgama indispensável naqueles tempos difíceis. Posteriormente, ganhou outros patamares morais que vêm sendo respeitados, ainda que por vezes vilipendiados, no andamento da carruagem da civilização. A regra moral de lealdade não somente impõe comportamentos protocolares, como também representa garantia àquele que é leal de que também ele não deverá ser traído.

A lealdade representa reciprocidade dos vínculos, garantia moral de que poderemos dispor do necessário apoio daqueles aos quais depositamos a lealdade, nos difíceis momentos que a vida de todos sabe proporcionar.

Essa tessitura moral é magnetismo que garante e vida em comum, ambiente no qual a traição é repudiada pela maioria, ainda que aquele que dela se beneficie possa, temporariamente, tolerá-la em nome da vantagem imediata, sabendo que o traidor traz em seu gene moral o germe da traição.

Nunca poderíamos compartilhar experiências e cooperar sem a fidúcia, elemento mesmo formador das experiências civilizatórias. Está na origem dos empreendimentos que exigem compartilhamento de tarefas e garantia dos valores pertencentes a cada compartícipe. Está nas raízes dos agrupamentos sociais primitivos até a formulação do conceito de Estado (com todas as críticas que a ele se possam dirigir). A recíproca confiança é o elo essencial que, rompido, resulta na desorganização e todos os vínculos.

Quando a confiança desaparece, costumamos fugir daquilo do daquele de que desconfiamos, e há sobradas razões para que isso ocorra: a confiança traída nos outros poderá resultar no mesmo desfecho àquele que confiou em quem já traiu.

Não sem razão, lealdade e nobreza têm significados aproximados, e não pela lembrança das despóticas monarquias absolutistas, mas pelo atributo que era exigido do nobre, que pertencia à classe guerreira, a quem competia arriscar a vida na defesa do monarca, da pátria, seu povo e território.

Esses valores – a lealdade e sua contraparte, a confiança – emergem como elementos essenciais à estabilidade das relações humanas, e se acham inscritas em código moral subjacente que não pode ser escrito, mas é por todos compreendido.

É por isso que, hoje, sintomaticamente lembrei de Robespierre, herói dos marxistas, exemplo que foi replicado, mas cuja história não deixou saudades.



 O incorruptível Sergio Moro



Luiz R. N. Padilla
 "Médico compara Moro ao cirurgião auxiliar que, no meio de uma cirurgia complicada e cheia de intercorrências, desiste de continuar no procedimento, retira as luvas espalhafatosamente e sai do campo cirúrgico, deixando o cirurgião operando sozinho. Então, dirige-se aos familiares do paciente alegando ter saido porque a cirurgia está um caos e ele tem um currículo a zelar. " (editado sobre ideia de Marcelino de Freitas Ataíde)

 Confira as comunicações não verbais - gestos e expressões faciais (O corpo fala, NLP) no pronunciamento, em 24/4/2020, do então Ministro da Justiça Sergio Moro https://youtu.be/yLK5-XT_dNM
 Os sinais oculares mostram a mentira. Além dos sinais de falsidade, a declaração de Moro contradiz o Sistema Brasileiro de Inteligência, criado no governo FHC, através da Lei 9.833/1999, impondo a todos os órgãos de inteligência no País, neles incluído o Departamento de Polícia Federal, remeter à Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) seus relatórios de inteligência, para a ABIN analisar e classificar dentro de sua estratégia de defesa dos interesses nacionais, definindo a Política Nacional de Inteligência,  de Defesa, de Segurança e Corporativa. 
 O motivo para a exoneração do Diretor Geral da Polícia Federal foi a resistência dele passar para a ABIN seus Relatórios de Inteligência.
 A alegação de Moro "teria havido uma tentativa do Presidente da República em atuar na DPF para proteger os filhos", carece de suporte fático. O único dos filhos investigado é o Senador Flávio Bolsonaro, cuja investigação tramita na POLÍCIA CIVIL do RIO DE JANEIRO, sob o comando do MINISTÉRIO PÚBLICO do ESTADO do RIO DE JANEIRO, sem conexão com a Polícia Federal.
 Portanto, além de ter ficado evidente Moro mentir pelos sinais oculares, a alegação só pode ser falsa mesmo porque não há qualquer investigação na Polícia Federal com respeito aos filhos do a presidente Bolsonaro.

 O País precisa de estabilidade, e o ex Ministro Sérgio Moro sabe disso como operador do Direito e professor universitário. Em aulas e orientando mestrandos e doutorandos, sempre alardeou, oral e por escrito: 
 "Sempre que estivermos numa posição de agentes de Estado, deveremos colocar os interesses de Estado, acima e à frente dos interesses individuais".


🤮😀🇧🇷 Um momento divertido na crise Sergio Moro: veja a cara da repórter da GloboNews, arrependida de indagar ao deputado Bibo Nunes.
😡
 Moro contradiz o Sistema Brasileiro de Inteligência criado no governo FHC pela Lei 9.833/99.
 Todos órgãos de inteligência como o Departamento de Polícia Federal devem remeter à Agência Brasileira de Inteligência relatórios.
 ABIN analisa, classifica, consolida e repassa à Presidência.
 O ex-Diretor Geral da Polícia Federal afastado sonegava informações sobre irregularidades dos governos do Rio, SP; da facada do Bolsonaro, etc.
 Pior: passava INFORMAÇÕES SIGILOSAS para PSDB.
 Aliás: Moro nunca condenou ninguém do PSDB?!?!?
  Travou a PF?
🤡
 Acusar Presidente de intervir na Polícia Federal para proteger os filhos é ridículo: o único investigado é o Senador Flávio e tramita no MP estadual RJ.
 Moro mentiu 🤥 https://youtu.be/yLK5-XT_dNM

👹
 O País precisa de estabilidade, e o ex Ministro Sérgio Moro sabe disso como operador do Direito e professor universitário. 
  Em aulas e orientando mestrandos e doutorandos, sempre alardeou, oral e por escrito: 
 "Sempre que estivermos numa posição de agentes de Estado, deveremos colocar os interesses de Estado, acima e à frente dos interesses individuais".
🤔
 Moro é o herói da Sucupril ou Brasilcupira, o país dos políticos Sucupira, no estilo Odorico Paraguassú consagrado pela Globo? Falsos e comprometidos com o fracasso dos esforços pela evolução humana. Gostam do caos para poderem enriquecer com  o constante e perpétuo conserto...
 Exemplo: as estradas 🛣 e vias férreas inacabadas há décadas. Foram objeto de sucessivas licitações assegurando propinas polpudas sem nunca terminarem as obras.
 Com o governo Bolsonaro, todas as vias inacabadas foram finalizadas em poucos meses pelos engenheiros do Exército a custos ínfimos comparado às fortunas roubadas.
 Esses milhares de km entregues em meses são apenas uma mostra da pontinha do iceberg de realizações desde 1º de janeiro de 1999. Saiba mais em http://bit.ly/pbolsonaro
 Contudo, segundo "ominiun consensus ÓPIO" (alô revisão: é ópio mesmo!) dos psicopatetas da esquerda, o mau governante é o Bolsonaro…
  Saiba mais aqui: http://bit.ly/sergio-moro
  Como não se pode descarregar a revolta com a estultice mandando a gentalha tomar no fe-ó-fó (porque seremos acusados de homofobia) a saída é escrachar...
🤪
  Vamos lá:   🦑 e família ficaram bilionários vendendo Avon.
  A gestão da bandilma é case de sucesso na Harvard Business School.
  FHC foi patriota ao entregar, digo, vender a Vale do Rio Doce por uma pequena fração do seu valor. Anos depois, em apenas um ano a empresa faturou 10 vezes o preço pago na privatização. Essa foi uma das centenas de traições...
🥳
 Essa gente falsa odeia Bolsonaro por defender a verdade.
 🔑 
 A transdisciplinaridade é essencial para entendermos como o mal tomou conta e como o combater!
 Exceto pelos 2% mutantes, o ser humano é neutro, e tem livre arbítrio.
 Contudo, uma minoria de 2% perversa consegue impor o mal.
🎃
 A humanidade alcançou desenvolvimento tecnológico capaz de proporcionar conforto, qualidade de vida, saúde e bem estar a toda população do planeta.
  Por que o bem estar não acontece?
 🤔🇺🇳🆘🇧🇷
 Porque os 2% psicopatas conseguem criar e manter uma entourage de ativista do mal, cada um pingando uma gota de falsidade.
💧
 Uma gota de falsidade parece inofensiva.
😇 
 Sobretudo quando apoiada em uma "boa intenção".
👹
 As boas intenções pavimentam o caminho do inferno.
 O que precisa ser avaliado são as consequências.
👿
 O ativista do mal é um pateta pois acredita ser do bem.
 Observe as intensas contradições dos ativistas do mal.
  Tanto os de esquerda como quem se rotula de liberal são ativistas da falsidade, arautos do falso humanismo.
🤡 
  O ativista considera a palmada um crime hediondo mas defende o aborto.
🇮🇱
 Alguns odeiam os judeus e querem a destruição do Estado de Israel, mas fazem campanha contra o racismo e preconceitos, embora xinguem o adversário de nazista.
🛐
 Alguns se acham espiritualistas e frequentam templos, cultos, igrejas e centros espirituais mas nada fazem nem dizem contra o genocídio cristão: 
🆘✝️
 Mais de cem milhões de cristãos têm sido assassinados todo ano! Os dados são alarmantes mas você não os verá na grande mídia porque os anunciantes, leia-se as mega corporações, querem manter isso escondido.
 A guerra contra os valores judaicos cristãos é ocultada. Confira a compilação http://bit.ly/islamis-socialismo
😈
 Os psicoPaTetas protestam quando morre um traficante. Contudo, acham normal, alguns até festejam, quando um policial é assassinado.
👨‍✈️ 
 O psicoPaTeta não se importa em destruir vidas se for importante para a causa com a qual está comprometido e, entretanto, se acha um guerreiro do bem.
💸
 Faz gritaria pelos centavos da passagem de ônibus e ignora a roubalheira bilionária da Petrobras, BNDS, Itaipu, etc confira http://bit.ly/Avaaz-NOM
💳
 Prega a estatização do financiamento eleitoral, acha normal o governo gastar milhões com publicidade, mesmo retirando dinheiro da educação; contudo, protestou como se fosse o fim do mundo quando 10% das verbas foram contingenciadas no inicio de 2019: http://bit.ly/fraudensino
🇨🇺
 Ignora o fato do PIB per capita da Coreia do Sul 🇰🇷 ser 18 vezes maior do que o da outra metade, do Norte, comunista; aliás, é imune à óbvia e lógica conclusão - comprovar a ineficácia da falácia esquerdista. Afirma ser melhor viver na pretensamente igualitária Coreia do Norte 🇰🇵, com PIB de 1,8 mil dólares, do que na 🇰🇷 do Sul, cujo PIB de 32 mil dólares.
🇩🇪 🇮🇹 
 Ignora os fatos mais importantes da história mas se acha capaz de decidir o futuro.  Ignora nazismo e fascismo serem regimes de esquerda. Aliás, xinga quem discordar dele de ser fascista, embora idolatre comunistas desumanos, genocidas, que exterminaram covardemente indefesos, chacinaram populações inteiras, dezenas de vezes mais assassinos do que Hitler!
🌈 
 O psicoPaTeta aplaude o movimento gay no Brasil mas, contraditoriamente, apoia o regime cubano e outros onde há campos de concentração para homossexuais, onde discriminam e exterminam os gays.
👩🏼 
 O psicoPaTeta aplaude o feminismo mas, paradoxalmente, apoia radicalismo e o islamismo que oprime, escraviza e trata as mulheres como gado, que o homem pode matar http://bit.ly/feminaze
🛠
 Acredita em governo grátis, mesmo quando o País trabalha até maio só para pagar os impostos http://bit.ly/escravizacao
⚖️
 Também acusa de entreguista, mas nada reclama no PT doar bilhões a países alinhados com a esquerda e às empresas do "Mecanismo" http://bit.ly/BNDs
🐶
 É apologista da proteção dos animais mas faz vistas grossas ao sofrimento humano e às mortes causadas pela corrupção.
🙃
 Acha normal bandido ostentar fuzil, metralhadora e armas de guerra, nega haver perigo nisso e diz ser perigoso o cidadão honesto aprovado em testes práticos e exame psicológico poder ter arma para sua defesa. Recusa o fato dos locais onde a população está legalmente capacitada a usar armas, como a Suíça🇨🇭, serem os mais seguros. Acha-se saber tudo mas ignora os dados como mostra o http://bit.ly/impunidade-aumenta 
💰
 Chama empresário de sonegador e passou mais de um ano falando no Queiroz, repetindo fake news, tentando demonizar o http://bit.ly/flaviobolsonaro querendo atingir o presidente, contudo, aceita a maquiagem fiscal da Dilma e acha normal os estatutos das dezenas de partidos criados pelo globalismo para dividir a população, cobrarem pedágio de quem possui cargo comissionado http://bit.ly/comunista-FHC
🙈
 Diz odiar a censura; contudo, quer o controle social da mídia e a criação de CPMI contra postagens, embora o seu candidato tenha sido condenado por propagar notícias falsas http://bit.ly/espiral-silencio
👹
 Faz de tudo e mais um pouco para acabar com a família e a igreja, certamente por serem os principais focos de resistência ao globalismo e ao falso-humanismo.
🔪
 Chama o caso http://bit.ly/celsodaniel de "crime comum" e caçoa do atentado contra o então candidato a Presidente; contudo, escandalizou-se com a morte de uma vereadora do Psol e passou um ano acusando Bolsonaro. Quando as investigações apontam os verdadeiros culpados serem da própria bandidagem de esquerda, para de pedir punição dos culpados e nem se arrepende de ter passado um ano lutando por mentiras.
🤑
 Quando alguém é atingido por bala perdida, idolatra a vítima e SEMPRE coloca a culpa na polícia, mesmo que os disparos sejam dos traficantes. 
👮‍♀️
 Quer desarmar as pessoas decentes enquanto solta os bandidos e diz lutar pela paz http://bit.ly/impunidade-aumenta
😰
 Acusam Bolsonaro de ser apologista do estupro apesar dele ser o autor do projeto transformando em esse crime em hediondo; os psicoPaTetas idolatram quem defendeu o estupro de Rachel Sheherazade e há quem zomba da violência sexual sofrida (quando criança) pela ministra Damares.
🔫
 Afirmam marmanjos de 16 anos não poderem ser punidos quando cometem crimes e - contradição extrema - querem crianças podendo decidir mutilar os seus corpos para trocar de sexo: http://bit.ly/i-genero
🤮
🧨
 Os psicoPaTetas chegam a odiar os seus parentes e amigos l quando a não votam no seu candidato.
 O atual Presidente recebeu um país saqueado, exaurido, violentado – mas para o psicoPaTeta o problema é o Bolsonaro.
 O psicoPaTeta é um esquizofrênico incapaz de perceber como o país melhorou http://bit.ly/pbolsonaro
😡
 O ativista é contra Bolsonaro e outros patriotas mas não vê problema algum em Sarney, Collor, Itamar, FHC e suas corjas de ladrões.
 Sarney entregou o monopólio do crédito aos banqueiros com a MP 143/Lei 8.009. Confira os 7 artigos sobre isso em http://bit.ly/lei8009
 Sarney m afundou o país na pior inflação da história humana em tempos de estabilidade institucional. Além de ser o mais caro dos impostos como demonstra o artigo "Porque existe inflação" publicado em 8 jornais e revistas e também disponível no blog, a inflação camufla os milionários desvios de dinheiro: http://bit.ly/inflacao-imposto
🤢
 Collor congelou todo o dinheiro a pretexto de conter a inflação. Mentira: era para acabar com a liquidez e gerar uma crise vantajosa para os poderosos.
 Em toda crise, os mega agiotas do globalismo compram mercados, empresas e outros bens por uma pequena fração do seu valor.
🤖
 FHC acabou com o ensino de qualidade, fez acordos danosos ao país e entregou o patrimônio público a preço de banana madura em fim de feira.
 As ações preferenciais da Ciª Vale do Rio Doce, segunda maior mineradora do mundo, foram entregues por tão pouco que revelou-se inferior ao lucro anual da empresa.
 Até hoje, há 35 ações para anular essa venda, contudo, paralisadas no STF aparelhado: http://bit.ly/comunista-FHC
 A lucratividade era tanta que o PT comprou as ações e, depois, alterou o estatuto para assumir o controle acionário.
  A tragédia de Brumadinho ocorreu em uma grande empresa do PT, num estado governado pelo PT, portanto, "fiscal" dos riscos ao meio ambiente. Mas a culpa é do Bolsonaro!
  Vou parar aqui porque um relato, ainda que superficial e apenas referindo rapidamente as falcatruas do globalismo, demandaria semanas!
🤮
 As pautas globalistas são criadas por psicopatas. São operacionalizadas por sua entourage, composta por safados-corruptos e legiões de ativistas .
🤪
 Todo ativista apresenta intensas contradições, sintoma de uma consciência entorpecida e alheia à realidade.
 Apresentam imunidade cognitiva recusando perceber qualquer coisa contrária às suas falsas crenças.
 Essa esquizofrenia é induzida por psicopatas dissimulados, fingem ser do bem, manipulando a pessoa até a controlar como se fosse um boneco.
 Por isso, na nossa Teoria Transdisciplinar, o marionete de psicopata é chamado de psicopateta.
🤪
 O psicopateta é alienado ao ponto de não perceber a contradição entre o que prega e o que faz!
😳
 Pior:    nunca perdoa quem combate as pautas globalistas, mas vive repetindo o mais importante ser o amor.
 😱
 Faz sentido?
 Felizmente, 2019 foi a Data Limite para tolerarmos isso!
  2️⃣0️⃣2️⃣0️⃣ muda tudo!
 Como acabar com a psicopatetice? 
 Confira o🔖 em http://bit.ly/qsnos

 Análises das comunicações não verbais - gestos e expressões faciais (O corpo fala, NLP) no pronunciamento, em 24/4/2020, do Presidente da República Jair Messias Bolsonaro: https://youtu.be/35vJFndD6Ik

Inquérito citado por Moro é ilegal:

 🤔 Sergio Moro, em 2016, esnobou Bolsonaro: o então Deputado tentou se aproximar para pedir autógrafo.
 Moro virou o rosto e se afastou pelo saguão de aeroporto. Confira esses 40 segundos mostrando quem é o que...



 Alexandre Garcia e Leda Nagle, em live no YouTube, tecem reflexões valiosas: https://youtu.be/bxEmyJCwmPg

Disponivel no acervo digital da Universidade Federal do Paraná, a tese de Moro, além de abortista e globalista, defende, em vários capítulos, o ativismo judicial como forma de mudança da Constituição Federal sem necessidade da aprovação do Legislativo e como forma de impedir o Executivo de exercer o poder.  
Moro é apologista da subversão do estado de Direito pautando mudanças na Constituição Federal através de ativismo judicial que by-passe a representação da Casa do Povo (Congresso) - em outras palavras: é um ditador ladino! https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/43018/Desenvolvimento%20e%20efetivacao%20judicial%20das%20normas%20constitucionais.pdf

 Após passarem mais de dois anos mantendo aberto, 24 horas por dia, 365 dias por ano, em apoio à operação Lava Jato, ativistas de Curitiba encerram o Acampamento com duras mensagens para Sergio Moro: https://youtu.be/c90g_nxsNs8
   Revoltadas por terem sido enganados, queimam camisetas e fotos de Moro, que adjetivam como canslha, enfatizando ele ter "queimado a sua própria biografia".
 Sugerem usar as camisetas com fotos de Moro como pano de chão:
 "Esquece Curitiba,  se aparecer aqui, estaremos te esperando... comestes cocô ou sempre fostes esse bosta?"

MITOS E IDOLATRIAS:
Reflita sobre os seguintes fatos:
1. Em qual país do mundo Zé Dirceu estaria livre e conspirando?
2. Alguém viu os ataques da mídia, como  da Rede Globo e Folha, tão acirrados em Governos anteriores?
3. Em que país um candidato ou presidente sofreria uma tentativa de assassinato e não se descobriria os mandantes?
4. Como pode o STF, legislar e interferir na PF?
5. Como pode um partido ser signatário e receber orientações de entidade estrangeira e não ser cassado?

 Sem entender com profundidade das questões acima, não passaremos de mosca na sopa: só tocamos a superfície do problema, que ainda não entendeu nada e que seu conhecimento político se resume a combater a corrupção, que, apesar de ser vital, ainda assim é a cortina de fumaça subindo de um lamaçal muito mais tóxico e amoral do qual personagens como Lula da Silva são meros batedores de carteira. A corrupção é um dos problemas que uma pessoa direita deve combater com todas suas forças, mas não é a única e nem a principal.

 A principal batalha é a guerra cultural, da qual a presidência da república é só a cereja do bolo. Difícil qualquer ser humano ou divino governar com toda a base cultural implantada na educação, nas igrejas, na arte, nos sindicatos, nas ongs, no empresariado. A espiral do silêncio existe a mais de 30 anos fazendo suas experiências sociais que chegaram nesse momento em seu ápice.

 Todos aqueles que nos fazem entrar na espiral do silêncio dizendo que somos idolatras ou petistas de sinal trocado, fazem parte dessa narrativa cultural, não tem o mínimo conhecimento de autores fora da bolha que os apresentaram, sequer nutrem atração pelo conhecimento, pela cultura. Quando Bolsonaro apareceu, para quem era de direita, era e ainda é a única alternativa.
Sérgio Moro nunca foi de direita, nem ele, nem Deltan, nem Aras, nem Gentilli, nem Lobão, Bebiano, Mandetta, Dória, Witzel, Amoedo, MBL, FHC, Alckmin, Aécio, Temer, nunca foram homens de direita, e pasmem...nem Bolsonaro. Bolsonaro se tornou "mito" por quebrar a espiral do silêncio, por entender que pra quebrar o sistema o povo tem que ser soberano, isso é um pensamento de direita, a qual Bolsonaro estava CULTURALMENTE ligado como o povo brasileiro em seu íntimo, contra o aborto, com patriotismo, pela família, pela beleza da arte, pela defesa. Só depois se agregaram outros valores da direita, como livre comércio, privatizações, desburocratização, valores estes agregados em campanha. O jeito politicamente incorreto que já existia oi só o tempero final para o brasileiro simples ter identificação imediata, pois era o que ele queria dizer, mas a espiral do silêncio imposta pelos intelectuais e engomadinhos não lhe permitia. Então veio a corrupção que saqueou o país durante anos na nova república, justamente para financiar mais poder e as pautas culturais que já estavam na cabeça dos especialistas e pôr fim do povo especialmente os que tem de 50 anos de idade abaixo, o que quer dizer que você que está lendo provavelmente também nunca tenha sido de direita.

 Sérgio Moro, fez um excelente e vital trabalho contra a corrupção, isso é fato, o país deve muito a Moro e sua atuação na Lava Jato, contudo Moro como Ministro, que chegou após a eleição (lembrem que o único candidato que dizia que ia chamar Moro era Álvaro Dias) nunca defendeu a criminalização do aborto, uma pauta de campanha do planalto, pauta essa que foi votada ontem dia 24/04 em plena crise, Moro sempre foi desarmamentista, não se pronunciou sobre os tiranetes dos Estados durante a pandemia, entre outras coisas. Impôs uma agente público para não pedir demissão, sem sucesso se demitiu e a história poderia ter parado aí, mas não, Moro caiu atirando em tudo e em todos, até na sua afilhada de casamento, fez acusações, convocou a imprensa, gravou conversas privadas e delatou ainda em cargo de confiança o homem que o protegeu durante os ataques do The Intercept, aquele site do Verdevaldo que deveria ter sido preso e que agora se oferece como amigo de Moro por delações, depois corre onde? Na rede Globo, a maior inimiga do país, e entrega prints de nada com coisa alguma queimando a biografia que tanto disse honrar. No facebook vocês não vão ver isso, mas no mundo real, com a fogueira ardendo, uma doença mal explicada em curso, uma crise econômica que se avizinha e pessoas como Santos Cruz, Maia, Alcolumbre, Mandetta, entre outros e agora Moro jogando gasolina na fogueira temos o cenário perfeito para uma guerra civil e então você vai entender um dos meus tópicos lá em cima, quando Zé Dirceu, disse assim que foi solto: "Nós vamos tomar o poder, o que é diferente de ganhar eleições".
 O único obstáculo entre o sistema e nós, as vítimas, no momento é Bolsonaro e isso não é idolatria, pelo simples fato de adorarmos a Deus.
 Lembro quando eu fui votar, o número e a foto na urna eram dele, não tinha nenhuma foto de ministro algum como acessório, não votei em ministros.

- STF solta Lula.
Moro: "Temos que respeitar a separação dos Poderes."

- STF e Juízes soltam líderes do PCC e presidiários.
Moro: "Temos que pensar no Covid-19."

- Tablets para presidiários conversarem com a família.
Moro: "Mas não é um pra cada, não, gente."

- Governadores e Prefeitos mandam prender cidadãos.
Moro: "Sempre trabalhamos junto e não contra as forças de segurança estaduais e municipais."

- Bolsonaro finalmente resolve nomear (cumprindo as atribuições constitucionais do cargo de PR!) pessoas alinhadas aos ideais conservadores ao invés de isentões.
Moro: "Absurdo! Eu me demito!"

 Quem era o Assessor de Comunicação de Moro? Giselly Siqueira, nora de Míriam Leitão e ex-assessora do CNJ durante as passagens de Dias Tóffoli e Ricardo Lewansdowski.

 Quem Moro queria nomear para o Conselho Nacional de Política Criminal? Ilana Szabó, amiga de George Soros, FHC e, dentre tantas outras coisas, colunista da Folha.
                               
🆘🇧🇷 Procuradoria Geral da República enviou ao STF um pedido de Inquérito devido à Notitia Criminis em fatos narrados pelo então Ministro da Justiça Sergio Moro
Pronunciamento do Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Fernando Moro, iniciado às 11h00 do dia 24 de abril de 2020 , no auditório Tancredo Neves, localizado no Palácio da Justiça, edifício-sede do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
Na ocasião, o titular da pasta, ao tornar pública a sua exoneração do cargo, deu declarações cujo teor é transcrito abaixo:

Eu queria lamentar esse evento na data de hoje, nós estamos passando por uma pandemia do Conid-9, ontem uma informação lamentável de 407 óbitos, então durante essa pandemia infelizmente tendo que realizar esse evento. Busquei ao máximo evitar que isso acontecesse, mas foi inevitável então peço a compreensão de todos pelas circunstâncias adversas mas não foi por minha opção.
Queria fazer algumas reflexões gerais para poder justificar minhas decisões. Antes de assumir o cargo como ministro eu fui juiz federal por 22 anos, tive diversos casos criminais relevantes, e desde 2014 em particular tivemos a operação lava jato que mudou o patamar de combate a corrupção no país. Claro que existe muito a ser feito, mas aquela grande corrupção que em geral era impune, esse cenário foi modificado. Isso foi um trabalho do judiciário, do ministério público, de outros órgãos, e na parte de investigação, principalmente da Polícia Federal. Desde 2014, sempre tive uma preocupação constante de uma interferência do Executivo na investigação, e isso poderia ser feito de diversas formas, como na troca de diretor-geral sem justa causa, troca de superintendente.
Tivemos no início da Lava Jato o superintendente Rosalvo Ferreira, que convidei pro ministrrio. Depois foi sucedido pelo superintendente Valeixo. Houve a substituição mas ela foi pela aposentadoria do dr Rosalvo e foi garantida a autonomia da Polícia Federal durante as investigações. O governo da época (Dilma Roussef, PT) tinha inúmeros defeitos, crimes de corrupção, mas foi fundamental a manutenção da autonomia da PF para que fosse possível realizar este trabalho. Seja de bom grado ou seja pela pressão da sociedade essa autonomia foi mantida e isso permitiu que os resultados fossem alcançados. Isso até é um ilustrativo da importância de garantir estado de direito,autonomia das instituições de controle e de investigação.
Lembrando atr um episódio que num domingo qualquer, lembro que Valeixo recebeu uma ordem de soltura ilegal do ex-presidente Lula, condenado por corrupção e preso, emitida por um juiz incompetente. Foi graças a autonomia de Valeixo que ele comunicou as autoridades e foi possível rever essa ordem de prisão ilegal, antes que ela fosse executada, a demonstrar o empenho dessas autoridades e a importância da autonomia das organizaçxes de controle
No fm de 2018,, recebi convite de Bolsonaro, recrm-eleito. Fui convidado a ser ministro da Justiça e Segurança Pública. Foi conversado no 1o de novembro que teríamos o compromisso com o combate à corrupção, crime organizado e criminalidade violenta. Inclusive foi-me prometido carta branca para nomear todos os assessores como a PRF e a PF.
Na ocasião, foi divulgado equivocadamente que eu teria estabelecido como condição uma nomeação ao STF. Isso nunca aconteceu. Eu realmente assumi o cargo, mas a ideia era buscar num nível de formulação de políticas públicas, numa alta posição no Executivo de aprofundar o combate à corrupção e levar maior efetividade em relação à criminalidade violenta e ao crime organizado.
Tem uma única condição que coloquei, que revelo agora, eu disse que como eu estava abandonando minha carreira de 22 anos da magistratura e contribui 22 para a previdência e pedi que se algo me acontecesse, que minha família não ficasse desamparada sem uma pensão. Foi a única condição que coloquei para assumir a posição no Ministério.
O presidente concordou com todos os compromissos. Falou que me daria carta branca. Eu já tinha uma expertise por trabalhar com polícia, como juiz evidentemente, e aceitei com o intento de fazer com que as coisas evoluíssem. Na época , minha avaliação r que a aceitação ao convite tinha sido bem aceito pela sociedade. Também me vi como, estando no governo, como também um garantidor. Claro que existem outras instituições, como o judiciário, o STF, o Ministério Público, mas entendi que, pelo meu passado como juiz e meu compromisso com o estado de direito, eu poderia ser um garantidor da lei e da imparcialidade e autonomia dessas instituições.
Dentro do ministério, a palavra norte tem sido integração. Atuamos próximos das forças de segurança estaduais e até municipais. Trabalhamos duro contra a criminalidade organizada. Não houve um combate tão efetivo como nesta gestão. Trabalhamos com os governos estaduais, não contra.
Ouso aqui dizer que não houve um combate tão efetivo à criminalidade organizada como nessa gestão trabalhando com os governos estaduais. Tivemos o caso da transferência e isolamento das lideranças do PCC, a prisão de um líder foragido há 20 anos, recorde de apreensão de drogas. Feito pela PF, PRF, força nacional. Também houve recorde de destruição de plantações de maconha no Paraguai, além de número expressivo de apreensões de produtos do crime. Buscamos fortalecer a PF e a PRF, com ampliação dos concursos. Empregamos a força nacional, instituição que ao meu ver deveria ser fortalecida.
Criamos o SIOP – secretaria de operações integradas -, nessa linha de fortalecer a integração, que desenvolveu o programa hórus e vigia, que trata do controle de fronteiras. investimos em inteligência, com os centros de fusão. Várias outras áreas do Ministério da Justiça tiveram um bom ganho de efetividade, área de consumidor, imigração, Senajus.
No momento, o ministério está voltando ao enfrentamento da pandemia. Isso prejudicou um pouco os planos em curso embora eles continuassem. Mas estamos cuidando de epis, vacinação, atenção às forças de segurança, de coordenação, de preocupação com o plano nacional de segurança.
Enquanto o Coaf esteve no ministério da justiça, e não pedi que o Coaf viesse, mas foi proposto que ele fosse colocado na estrutura, e nós o fortalecemos. Depois acabou sendo transferido mas a estrutura fortalecida se manteve.
Tivemos o projeto de lei anti crime, que foi a principal mudança legislativa durante o nosso período de gestão. O projeto poderia ter avanços maiores, mas na minha avaliação representou um grande avanço.
Lembro aqui de uma campanha motivacional que tivemos logo no início para nossos servidores e o tema era "faça a coisa certa sempre". Então esse sempre foi o mote do Ministério, faça a coisa certa, não importa as circunstâncias, arque com as consequências. Isso faz parte. Acho que com tudo isso conseguimos resultados expressivos, como as de combate ao crime organizado, mas tivemos uma redução da criminalidade em 2019 sem precedentes de -19% de assassinatos. Outros crimes também caíram. Mais de 10 mil brasileiros deixaram de ser assassinados. Claro, r um resultado compartilhado com estados e municípios. A proposta no MJSP sempre foi integração, não importa o resultado. Mas me deixa muito feliz que tivemos resultado assim tão positivos para a queda de violência. Claro que temos que melhorar muito mas isso r um trabalho permanente e duradouro.
Em todos esse período tive apoio o presidente em vários desses projetos, outros nem tanto, mas a partir do segundo semestre do ano passado passou a haver uma insistência do presidente da troca do comando da Polícia Federal. Isso inclusive foi declarado publicamente. Houve primeiro o desejo de trocar o superintendente do Rio. Sinceramente não havia nenhum motivo para essa mudança. Mas conversando com o superintendente, ele queria sair do cargo por questões pessoais. Então nesse cenário concordamos eu e o diretor geral em promover essa troca com uma substituição técnica, de um indicado da polícia.
É preciso que fazer uma referência, eu não indico superintendentes. A única pessoa que indiquei foi o diretor Maurício Valeixo. Não r meu papel fazer a minha indicação de superintendentes. Sempre tenho dado autonomia a minha equipe para que eles façam as melhores escolhas, assim se valoriza a equipe e as escolhas tecnicas.
Eu tinha notícia quando assumi de que pelo menos havia rumores de que a PRF tinha algumas superintendências por indicações políticas. Escolhi o diretor geral, ele pode testemunhar o que eu disse pra ele. Foi 'escolha tecnicamente, o que não é aceitável são essas indicações políticas'. Claro que existem indicações positivas, mas quando se começam a preencher esses cargos técnicos principalmente de polícia, com questões político partidárias, realmente o resultado não é bom para a corporação inclusive.
O presidente no entanto também passou a insistir na troca do diretor geral. Eu sempre disse, 'presidente não tem nenhum problema em trocar o diretor-geral, mas preciso de uma causa' e uma causa normalmente relacionada a insuficiência de desempenho, um erro grave. No entanto o que eu vi durante esse período e até pelo histórico do diretor que é um trabalho bem feito.
Várias operações importantes, combate ao crime organizado e corrupção. Poderiam ter até mais operações, mas normalmente elas maturam algum tempo e no ano passado ficamos quatro meses sem poder movimentar inquéritos de lavagem de dinheiro. Mas o trabalho vinha sido feito.
Não é uma questão do nome. Tem outros bons nomes para assumir o cargo de diretor da PF. Há outros delegados igualmente competentes. O grande problema de realizar essa troca r que haveria uma violação de uma promessa que me foi feita, de que eu teria carta branca. Em segundo lugar não haveria causa para essa substituição e estaria claro que estaria havendo ali uma interferência política na polícia federal, o que gera um abalo da credibilidade não minha, mas minha também, mas do governo e do compromisso maior que temos que ter com a lei. E tem um impacto também na própria efetividade da polícia federal, ia gerar uma desorganização. Não aconteceu durante a Lava Jato, a despeito de todos os problemas de corrupção dos governos anteriores. Houve até um episódio que foi nomeado um diretor no passado, com intuito de interferência política e não deu certo ficou pouco mais de três meses a própria instituição rejeitou essa possibilidade.
O problema é que nas conversas com o presidente e isso ele me disse expressamente, que o problema não é só a troca do diretor-geral. Haveria intenção de trocar superintendentes, novamente o do rio, outros provavelmente viriam em seguida como o de Pernambuco, sem que fosse me apresentado uma razão para realizar esses tipos de substituições que fossem aceitáveis.
Dialoguei muito tempo, busquei postergar essa decisão, às vezes até sinalizando que poderia concordar no futuro. Atr num primeiro momento pensando que poderia ser feito, mas cada vez mais me veio a sinalização de que seria um grande equívoco realizar essa substituição
Ontem conversei com o presidente houve essa insistência. Falei que seria uma interferência política. Ele disse que seria mesmo. Falei que isso teria um impacto pra todos que seria negativo. mas para evitar uma crise durante uma pandemia, não tenho vocação para carbonário, muito pelo contrário acho que o momento é inapropriado para isso eu sinalizei então vamos substituir o Valeixo por alguém que represente a continuidade dos trabalhos, alguém com perfl absolutamente técnico e que fosse uma sugestão minha também, mas na verdade nem minha, da polícia federal. Eu sinalizei com o nome do atual diretor executivo, Disney Rosseti. Nem tenho uma grande familiaridade, mas é uma pessoa de carreira de confiança. E como falei essas questões não são pessoais, tem que ser decididas tecnicamente. Fiz essa sinalização, mas não obtive resposta.
O presidente tem preferência por alguns nomes que seriam da indicação dele, não sei qual vai ser a escolha. Foi ventilado o nome de um delegado que passou mais tempo no congresso do que na ativa. Foi indicado o nome do atual diretor da Abin que é até um bom nome dentro da Polícia Federal. Mas o grande problema r que não são tanto essa questão de quem colocar, mas sim porque trocar e permitir que seja feita a interferência política na PF.
O presidente me disse mais de uma vez, expressamente, que queria ter uma pessoa do contato pessoal dele que ele pudesse ligar, colher informações, colher relatórios de inteligência, seja diretor-geral, superintendente e realmente não é o papel da polícia federal prestar esse tipo de informação. As investigações tem que ser preservadas. Imaginem se durante a própria lava jato, o ministro, diretor-geral ou a então presidente Dilma ficarem ligando para o superintendente em Curitiba para colher informações sobre as investigações em andamento. A autonomia da PF como um respeito a aplicação a lei seja a quem for isso é um valor fundamental que temos que preservar dentro de um estado de direito
O presidente me disse isso expressamente, ele pode ou não confirmar, mas é algo que realmente não entendi apropriado. Então o grande problema não é quem entra mas porque alguém entra. e se esse alguém, a corporação aceitando substituição do atual direto, com o impacto que isso vai ter na corporação, não consegue dizer não pro presidente a uma proposta dessa espécie, fco na dúvida se vai conseguir dizer não em relação a outros temas.
Há uma possibilidade que Valeixo gostaria de sair, mas isso não é totalmente verdadeiro. O ápice de qualquer delegado da PF é a direção geral. E ele entrou com uma missão. Claro que depois de tantas pressões para que saísse, ele de fato manifestou a mim 'olha talvez seja melhor eu sair para diminuir essa cisma e nós conseguimos realizar uma substituição adequada', mas nunca isso voluntariamente, mas decorrente dessa pressão que não é apropriada.
O presidente também me informou que tinha preocupação com inquéritos em curso no STF e que a troca também seria oportuna da Polícia Federal por esse motivo. Também não é uma razão que justifique a substituição e é até algo que gera uma grande preocupação.
Enfim, eu sinto que tenho o dever de tentar proteger a pf e por esses motivos, ainda busquei uma solução alternativa para evitar uma crise política durante a pandemia. acho que o foco deveria ser o combate a pandemia, mas entendi que não poderia deixar de lado esse meu compromisso com o estado de direito.
A exoneração fiquei sabendo pelo DOU. Não assinei esse decreto. Em nenhum momento isso foi trazido ou o diretor geral apresentou um pedido formal de exoneração. Depois me comunicou que ontem a noite recebeu uma ligação dizendo que ia sair a exoneração a pedido, e se ele concordava. Ele disse ' como é que vou concordar com alguma coisa, vou fazer o que'. O fato é que não existe nenhum pedido que foi feito de maneira formal. Sinceramente fui surpreendido, achei que foi ofensivo a via que depois a Secom informou que houve essa exoneração a pedido mas isso de fato não é verdadeiro.
Para mim esse último ato éuma sinalização de que o presidente me quer fora do cargo porque essa precipitação na exoneração não vejo muita justificativa.
De todo modo, meu entendimento foi que não tinha como aceitar essa substituição. Há uma questão envolvida da minha biografia como juiz, de respeito à lei, ao estado de direito, à impessoalidade no trato das coisas do governo. Seria um tiro na lava jato se houvesse substituição de delegados, superintendentes naquela ocasião. Então eu não me senti confortável. Tenho que preservar minha biografa, mas também o compromisso que assumi inicialmente, de que sejamos firmes no combate a corrupção, ao crime organizado e à criminalidade violenta. E o pressuposto a isso é que nós temos que garantir o respeito à lei e à própria autonomia da Polícia Federal contra interferências políticas
O presidente indica o diretor-geral, ele tem essa competência, mas assumiu um compromisso comigo de que seria uma escolha técnica que eu faria. O trabalho vem sendo realizado, e o diretor-geral poderia ser alterado desde que houvesse uma causa consistente. Não tendo essa causa consistente e percebendo que essa interferência política pode levar a relaçxes impróprias entre o diretor-geral, o superintendentes para com o presidente da república e ai que não posso concordar.
De todo modo agradeço ao presidente, fui fel ao compromisso que tivemos e acho que estou sendo fel no atual momento. No futuro, vou começar a empacotar minhas coisas e providenciar o encaminhamento da minha carta de demissão. Eu infelizmente não tenho como persistir com o compromisso que assumi sem que eu tenha condiçxes de trabalho, de preservar a autonomia da Polícia Federal para realizar seu trabalhos ou sendo forçado a sinalizar uma concordância com uma interferência política na polícia federal cujos resultados são imprevisíveis.
Espero que independentemente da minha saída seja feita a escolha – quem sabe atr a própria manutenção do diretor sendo que não existe pedido de exoneração, mas não havendo essa possibilidade que seja feita uma escolha trcnica sem preferências pessoais que seja indicado algurm que possa realizar um trabalho autônomo e independente também a instituição vai tambrm resistir a qualquer espécie de interferência política e algurm que não concorde em trocar superintendente delegados por motivos não justificados
Sobre o meu futuro pessoal, abandonei 22 anos de magistratura. Infelizmente é um caminho sem volta, mas quando assumi sabia dos riscos. Vou descansar um pouco. nesses 22 anos foram muito trabalho, em especial durante a lava jato não tive descanso, nem durante o cargo no ministério. vou procurar mais adiante a um emprego, não enriqueci no serviço público nem como juiz nem como ministro e quero dizer que independentemente de onde eu esteja sempre vou estar a disposição do país para ajudar. Enfim sempre respeitando o mandamento do ministério da justiça e segurança pública nessa gestão que é fazer a coisa certa sempre."

A dimensão dos episódios narrados, especialmente os trechos destacados, revela a declaração de Ministro de Estado de atos que revelariam a prática de ilícitos, imputando a sua prática ao Presidente da República o que, de outra sorte, poderia caracterizar igualmente o crime de denunciação caluniosa.

Dos fatos noticiados, vislumbra-se, em tese, a tipificação de delitos como os de falsidade ideológica (art. 299 do Código Penal), coação no curso do processo (art. 344 do CP), advocacia administrativa (art. 321 do CP), prevaricação (art. 319 do CP), obstrução de Justiça (art.1º, §2º, da Lei 12.850/2013) corrupção passiva privilegiada (art. 317, §2º, do CP) ou mesmo denunciação caluniosa (art. 319 do Código Penal), além de crimes contra a honra (arts. 138 a 140 do CP).

Para tanto, indica-se, como diligência inicial, a oitiva de Sérgio Fernando Moro, a fim de que apresente manifestação detalhada sobre os termos do pronunciamento, com a exibição de documentação idônea que eventualmente possua acerca dos eventos em questão.

Instaurado o inquérito, e na certeza da diligência policial para o não perecimento de elementos probatórios, o PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA reserva-se para acompanhar o apuratório e, se for o caso, oferecer denúncia.
Brasília, 24 de abril de 2020.
Augusto Aras
Procurador-Geral da República
⚖️
🆘🇧🇷🤔MORO, O CALCULISTA:
 fez muito mais para combater a corrupção como juiz da Lava Jato no Paraná do que como Ministro da justiça. Com a sua saída, houve na prática uma retração das ações.
 No ministério, nestes 14 meses, e tendo o comando da Polícia Federal, que grande ações de combate à corrupção foram feitas?
📣
As redes sociais da primeira dama da Laja Jato é o espelho da vaidade do casal. Aliás, este um dos poucos pecados capitais do agora ex-ministro.
🚨
Os seus bastidores e forma agir fora dos holofotes foram revelados depois pelo The Intercept Brasil. O conteúdo foi duro e respaldou tudo que vinha sendo levantado pela esquerda saqueadora.
🙏
Leia mais em:
Correio da Manhã 24 de abril de 2020
MORO, O CALCULISTA
Por Cláudio Magnavita *
Quando o então juiz Sergio Moro resolveu deixar 20 anos de magistratura e aceitar um cargo em um governo eleito por uma onda de direita, que ele próprio ajudou criar, sabia bem onde estava se metendo.

O convite foi aceito por representar um degrau, ou melhor, uma verdadeira escadaria ao Olimpo do poder. Deixou o aquário em que estava confinado em Curitiba, com uma imagem pública muito maior do que a função que ocupava, para o primeiro escalão do Governo Federal. Sem dúvida um degrau importante .

Neste caso há um paradoxo: ele fez muito mais para combater a corrupção como juiz da Lava Jato no Paraná do que como Ministro da justiça. Com a sua saída, houve na prática uma retração das ações. No ministério, nestes 14 meses, e tendo o comando da Polícia Federal, que grande ações de combate à corrupção foram feitas?

O clima do lavajatismo foi fundamental para a eleição do Bolsonaro. Indiretamente, Moro foi seu principal eleitor. Para quem quiser conhecer realmente Sérgio Moro é só seguir as redes sociais da sua esposa, Rosangela. Esta tudo lá, ou estava. A postagem de apoio ao Mandetta foi apagada, por exemplo.

As redes sociais da primeira dama da Laja Jato é o espelho da vaidade do casal. Aliás, este um dos poucos pecados capitais do agora ex-ministro.

Os seus bastidores e forma agir fora dos holofotes foram revelados depois pelo The Intercept Brasil. O conteúdo foi duro e respaldou tudo que vinha sendo levantado pela esquerda saqueadora.

Por duas vezes, Moro detonou a candidatura de Lula: quando vazou o áudio da nomeação do ex-presidente para a Casa Civil, o que lhe daria foro privilegiado, e quando, como confessou agora na coletiva da sua demissão , o superintendente da Polícia Federal desacatou a ordem de liberar Lula, expedida por um juiz, classificado na mesma coletiva por Moro ser incompetentemente. Foi uma manobra que manteve o candidato preso.

Para o casal Sérgio Moro, os próximos passos são previsíveis, como o sub-texto das suas sentenças nas quais mandava mensagens subliminares e certeiras. Técnica que usou agora na sua fala para acertar flechas verbais no Presidente. Tudo medido e minuciosamente pensado, inclusive nos desdobramentos jurídicos e políticos.

Apesar de terminar dizendo que vai procurar emprego, ele vai aceitar um dos inúmeros convites que possui para lecionar no exterior e ganhar dinheiro honestamente fazendo palestras, aliás como Lula fazia e o procurador Dellagnol resolveu fazer. Vai fazer um pé de meia de R$ 10 a 20 milhões, muito mais do que ganharia em toda uma vida como magistrado, e se preparar para 2022.

Ele sai no melhor momento que poderia sair. Com Bolsonaro em conflito com parte da mídia e com os presidentes da Câmara e do Congresso, e sufocado pelo descarrilhamento financeiro do Governo, causado pela pandemia. 

Busca agora novos degraus: o do enriquecimento lícito e o da disputa de 2022. Faz o contraponto ao presidente, ganha a simpatia da mídia de oposição. Assim, cada frase de efeito da coletiva foi pinçada pela GloboNews e estarão no Jornal Nacional etc.

O verdadeiro Sérgio Moro iremos conhecer no dia da assinatura da sua ficha de filiação partidária. Moro candidato é o pesadelo dos governadores João Dória e Wilson Witzel. O ex-juiz carioca vira imitação paraguaia junto de um Moro candidato.

O curioso é que, ao acusar o Presidente de querer saber detalhes de investigações e até acesso a relatórios de inteligência, o ex-ministro fala sobre práticas que o The Intercept Brasil revelou, e que ocorriam em Curitiba. Moro teve, como juiz e com seus homens de ouro, o comando e o acesso à Polícia federal que nenhum outro Ministro da Justiça possuiu.

Além de ter se colocado no mercado, dizendo que vai procurar emprego (ele tem direto a quarentena, como ex-ministro), de agradecer ao Presidente e, na frase final, quebrar a senha do futuro: "continuarei à disposição do país". Parte agora para os degraus mais importantes da sua vida. Passos milimetricamente calculados na trajetória de continuar a construir a imagem de herói nacional. Para ele estava na hora de sair, este Governo já lhe deu o que tinha de dar.
BRENO LINTZ, promotor em Uberlândia: Com tristeza vejo a decisão tomada por Moro de expor situações com as quais ele tinha concordado. Nesses 30 anos de Ministério Público e mais 27 como filho de Juiz aprendi que o pior caráter é aquele que entrega os outros por atitudes que até um dia atrás lhes eram convenientes. Não custaria nada a ninguém sair de cabeça erguida e em silêncio 🤫.
Vou mandar duas mensagens muito importantes pra os eleitores de Bolsonaro. Ou para quem votou e se arrependeu.

A primeira mensagem: Resumindo o cenário atual, apesar das calúnias, difamações, do pessimismo e dos discursos negativos da oposição, o Brasil estava indo muito bem, o PIB aumentou, o juros teve queda histórica, a bolsa de valores teve altas históricas, a criminalidade diminuiu, o desemprego diminuiu, o salário aumentou, a economia cresceu, empresas e industrias abrindo, promessas e posicionamentos políticos se cumprindo, e muito mais. De repente veio uma pandemia que trouxe uma crise de saúde, que gerou uma crise econômica que está gerando uma crise política. O cenário perfeito pra oposição deitar e rolar. Se antes eles criavam caso com um simples espirro agora uma exoneração de um ministro virou um escândalo nacional. Lembrando que nos governos anteriores ninguém sabia nem o que era um ministro, muito menos quem eles eram. Esses cargos sempre foram ocupados com politicagem, as escondidas e ninguém nunca reclamou de nada. Agora pela pressão da mídia e da oposição qualquer coisa que acontece no governo é transformada em um fim de mundo. Nesses últimos dias aconteceu o escândalo sobre a mudança do ministro da saúde, agora o escândalo sobre a mudança do diretor da PF e a demissão do ministro da justiça. Lembrando que a oposição nunca elogiou o presidente por ter nomeado nenhum desses ministros, muito menos elogiou algum desses ministros ou suas competências, pelo contrário, todos os ministros do governo eram taxados de loucos e incompetentes pela oposição. Sobre o diretor da PF nem se fala, ninguém nem sabe quem é nem nunca ouviu falar, mas agora virou a bola da vez. Ou seja, pra oposição nenhum membro do governo nunca prestou, mas somente depois que qualquer um deles deixam o governo, de repente eles viram santos. Para a oposição, ainda ontem Moro era o golpista que prendeu o dito cujo inocente, mas a partir do momento que Moro deixou o cargo virou um herói, a mesma coisa aconteceu com o Mandetta. Ou seja, a oposição sempre vai ser do contra, eles sempre vão criar um discurso pra tentar destruir Bolsonaro. Esses discursos hipócritas e tendenciosos da oposição já são esperados, mas vale a pena chamar atenção, não se deixe enganar por quem perdeu as eleições e perdeu o poder pra Bolsonaro, já é de se esperar que eles façam de tudo pra destruir Bolsonaro com o objetivo de voltar ao poder. Portanto Não se deixem enganar, o ideal é nem dar ouvidos as enganações da oposição, lembre-se que o objetivo deles é apenas destruir o atual governo na intenção de voltar ao poder.

A segunda mensagem: Vou tentar resumir um livro em uma página. Nunca se esqueça os motivos que fez você votar em Bolsonaro. Eu digo pra você eleitor, que escolheu ele principalmente pelas suas ideologias políticas. Vou citar algumas ideologias políticas dos candidatos da oposição que Bolsonaro veio para combater. A oposição é a favor do aborto, das drogas, da ideologia de gênero para crianças, a favor da causa LGBT, como foi visto nos últimos anos a disseminação dessas ideias, até mesmo usando dinheiro público para promover parada gay e produzir material didático infantil através do MEC para doutrinação homossexual de crianças. Nesse meio existe até mesmo políticas em defesa da pedofilia, querendo descaraterizar como crime, e colocar apenas um desvio psicológico. A oposição é contra a família tradicional, nos últimos anos até aqui já conseguiram mudar a constituição e já descaracterizaram a família tradicional, antes era homem, mulher e sua prole, pai e mãe, agora familia é qualquer coisa, e até os conceitos de pai e mãe eles querem destruir. Eles promovem lutas de classes, brancos contra negros, heteros contra gays, ricos contra pobres, homens contra mulheres, vide feminismo, e muitas outras coisas, é o "nós contra eles", usam o povo como massa de manobra, põe uns contra os outros com a estratégia de dividir para conquistar vide marxismo. Eles são contra os valores tradicionais da sociedade, são contra valores religiosos cristãos que é crença da maioria dos brasileiros. A oposição é contra polícia que é generalizada e taxada como agressores, corruptos e incompetentes. A oposição defende políticas a favor de bandidos, que são taxados como vítimas da sociedade, são a favor de políticas de desencarceramento, diminuição de pena, audiências de custódia para liberar bandidos até mesmo no ato da prisão, é o "prende e solta". A oposição é a favor de políticas de desarmamento da população, só bandidos podem andar armados, o cidadão não tem o direito de defesa da sua própria vida ou de defesa da sua família. A oposição é a favor da censura da mídia e da internet, contra a liberdade de expressão, vide marco civil da internet e propostas de campanha que incluíam regulação da mídia. A oposição não respeita o direito de propriedade privada, vide mst e mtst. A oposição é contra o capitalismo a favor do comunismo e socialismo, eles são contra o livre comércio. Eles são inimigos dos Estados Unidos e amigos de ditaduras esquerdistas como Cuba e Venezuela, são parceiros políticos dessas ditaduras e tem esses países de quinta categoria como referência para reproduzirem suas políticas no Brasil. Enfim, existem muitas outras coisas que poderiam ser ditas e o texto ficaria ainda maior, mas basta dizer que Bolsonaro tem uma ideologia política totalmente contrária a toda essa patifaria, ele veio para acabar com a festa dessa corja, por isso que eles estão tão empenhados em destruir Bolsonaro a todo custo para voltar ao poder. Eles são capazes de falar e de fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos mesquinhos na tentativa de voltar ao poder. Nunca se esqueça dos ideais políticos que Bolsonaro representa, não caia na lábia da oposição que vai falar e fazer de tudo para destruir a imagem do nosso presidente eleito democraticamente, eles perderam as eleições, e agora estão tentando virar o jogo, então não entre no jogo deles. E por mais que Bolsonaro erre, porque ele é humano e falho como qualquer outra pessoa, por mais que ele erre feio, muito feio mesmo, não entre no jogo deles. Na pior das hipóteses se Bolsonaro for tudo de ruim que eles dizem, mesmo assim seria menos pior do que todas essas ideologias nefastas que eles defendem e que tem destruído nossa nação. Lembre-se que tudo é importante, porém o mais importante no final das contas é a ideologia política que cada candidato defende. Uma ideologia política ruim pode tirar seu direito a liberdade de expressão, pode tirar seu direito de defesa da própria vida, pode até mesmo tirar a sua vida ou a vida de outros inocentes. Uma ideologia política ruim pode te alienar, te escravizar, pode tirar suas posses, tirar sua saúde, pode destruir a educação, a inocência e o futuro dos seus filhos, pode perseguir sua fé, seus ideais e sua liberdade de ir e vir. Uma ideologia política ruim pode fazer tudo isso e muito mais, por isso antes de cair na lábia da oposição e pensar em abandonar Bolsonaro, não se esqueça que outro vai ter que ocupar o lugar dele, e quem será? Pode ter certeza que os mesmos que lhe enganaram e lhe colocaram contra Bolsonaro vão estar prontos para voltar ao poder, e dessa vez com ódio e sede de vingança para nunca mais sair do poder. Nunca se deixe enganar por eles, as consequências podem ser muito graves. Vamos permanecer sóbrios, analisar as coisas com calma, não se deixar levar pelas emoções e pelos enganos, precisamos permanecer atentos e conscientes. Está dado o recado. Que Deus abençoe a todos.

Lembrando que essa mensagem é somente para os eleitores de Bolsonaro. Portanto não dê espaço para que a oposição mais uma vez se aproveite para vomitar suas difamações e discursos de ódio aqui também. Dessa vez não entre em debates vãos, se for preciso apague os comentários e apenas divulgue e essa mensagem.


🥋🆘🇧🇷 Sergio Moro industriado por Soros para ser o personagem da década no Brasil, foi desmascarado:  🆘 Descubra tudo necessário para não ser mais um esperto agindo como tolo:
paper 🆓📚📚http://bit.ly/sergio-moro     ╰☆╮ Pesquisa, compilação e edição: Professor PADilla, desde 1992, docente na UFRGS onde ingressou por concurso público, sendo nomeado na vaga da aposentadoria do saudoso Athos Gusmão Carneiro. A partir de 1995, criou e desenvolveu o Direito Desportivo http://bit.ly/Ufrgs e a Teoria Transdisciplinar; Master NLP e Mestre por Salamanca, Valladolid y Leon 🇪🇸; o engajamento em causas humanitárias, a pesquisa e o trabalho em prol do desenvolvimento humano outorgaram-lhe os títulos de Comendador, Doutor Honoris Causa e Embaixador da Paz

╰☆╮

Este paper é parte da TT  ⛩ TEORIA TRANSDISCIPLINAR 🆘

 A percepção do holograma que envolveu a humanidade:

╰☆╮

A TTTeoria Transdisciplinar, revelando o Plano das Crenças e Valores, conjuga a interdisciplinar TGPs, Teoria Geral dos Processos, sobre o Plano do Direito, com a TGDD 🥋🏆🏵🎖 Teoria Geral do Direito Desportivo, sobre o Plano dos Jogos-Esporte.

 Proporciona uma melhor percepção da causa de todo o mal estar na desinformação sobre:

- saúde-alimentação e os seus efeitos sobre a capacidade de pensarmos; 

- vivermos em 4 planos de atuação humana e nas suas interseções; 

- haver armadilhas em forma humana, os 2% mutantes.

 Fingindo serem perfeitos ou melhores do que nós, os psicopatas, desprovidos das 3 principais características humanas, manipulam os indecentes-corruptos-insensíveis e usuários de drogas como paracetamol, maconha, etc. Criam uma entourage psicopateta, um tipo de esquizofrenia induzida caracterizada pela imunidade cognitiva e idolatria visceral, compondo o que, na era dos emoji, intitulamos de 👺👿👹👽🤪🏦🌐.

 Eles impõe um padrão de vida paradoxal, anti-ecológico e hipócrita. São capazes de tudo e mais um pouco. Assassinam socialmente-reputação e fisicamente quem os enfrenta ou ameaça.


  Sergio Moro é sócio-diretor da gestora da recuperação judicial da Odebrecht.   Os interesses bilionários são conflitantes com as funções de juiz e ministro.       Explica as contradições e chineliza a tal 'biografia' à qual ele usou como pretexto para sair do Ministério da Justiça proferindo calúnias contra o Presidente da República. 👇

       “Médico compara Moro ao cirurgião auxiliar que, no meio de uma cirurgia complicada e cheia de intercorrências, desiste de continuar no procedimento, retira as luvas espalhafatosamente e sai do campo cirúrgico, deixando o operador sozinho. Então, dirige-se aos familiares do paciente alegando ter saído porque a cirurgia está um caos e ele tem um currículo a zelar. “ (editado de Marcelino de Freitas Ataíde)

 Em pronunciamento no dia 24/4/2020, o então Ministro da Justiça Sergio Moro mentiu “ter havido tentativa do Presidente da República em atuar na DPF para proteger os filhos”.

 Dos filhos do Presidente, o único investigado é o Senador Flávio Bolsonaro e tramita na POLÍCIA CIVIL do RIO de JANEIRO, sob o comando do MINISTÉRIO PÚBLICO do ESTADO do RIO de  JANEIRO, sem conexão com a Polícia Federal.

 Não há qualquer investigação na Polícia Federal com respeito aos filhos do presidente Bolsonaro.

 Se houvesse qualquer respingo de verdade na alegação de Sergio Moro, seria motivo de alarde 24 horas por dia na extrema imprensa.

 Qual o motivo para a exoneração do Diretor Geral da Polícia Federal?  Sua resistência en passar para a ABIN os Relatórios de Inteligência contrariando o Sistema Brasileiro de Inteligência.

 Criado no governo FHC, através da Lei 9.833/1999, impõe a todos os órgãos de inteligência no País, inclusive o Departamento de Polícia Federal, remeter à Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) seus relatórios de inteligência, para a ABIN analisar e classificar dentro de sua estratégia de defesa dos interesses nacionais, definindo a Política Nacional de Inteligência,  de Defesa, de Segurança e Corporativa. 

👺

 Sergio Moro, quando se demitiu naquelas condições, abriu a caixa de Pandora. Ele passou a mostrar estar do lado da treta tucana, criada pelo maior traidor da história do Brasil, história doc  documentada no paper http://bit.ly/comunista-FHC


🤭

 Traiu a direita e ficou com a flanco descoberto para a esquerda comunista.

🤑🏦

 George Soros e sua ‘Open Society’, notórios financiadores de ONGs de pautas abortistas, desamarmentistas, de liberação das drogas, anti polícia e contrárias à tradição e aos valores familiares tradicionais, está liberando quantias vultosas para a esposa do ex-Ministro.

 Isso corrobora ser um fabiano, do PSDB, a cujos interesses atendeu, blindando-os na Lava Jato, de onde os tucanos saíram ilesos.

🤡

 Os fabianos são perigosos. Eles conseguem ser ainda mais falsos do que a hipocrisia e desumanidade comunista - que Moro mostrou ter sendo indiferente às prisões violentas de pessoas inocentes pelo simples fato de estarem nas ruas ou quererem trabalhar.

🙀

   A esquerda ostensiva atacou com inquérito contra Sergio Moro, solicitado à Comissão de Ética da Presidência da República por Celso Antônio Bandeira de Mello, Lenio Streck e alguns advogados apoiadores de 🦑 Integra aqui: https://lnkd.in/dkyYiiT 

🤬

  🤮😀🇧🇷 Um momento divertido na crise Sergio Moro é a cara da repórter da GloboNews, arrependida de indagar o deputado Bibo Nunes.

Confira: https://youtu.be/kVV7Z3hOz7c

=Facebook https://lnkd.in/eVhpCHS

=IgTv https://lnkd.in/eYk5vsM

=Facebook https://www.facebook.com/1769120210022545/posts/2603069213294303/

=IgTv https://www.instagram.com/tv/B_fYJvbgrP_/?igshid=1c7agimjiht40

😡

  O ex-Diretor Geral da Polícia Federal foi afastado pelo Presidente porque violava o Sistema Brasileiro de Inteligência (criado no governo FHC pela Lei 9.833/99) sonegando da Agência Brasileira de Inteligência, ABIN, informações sobre irregularidades dos governos do Rio de Janeiro, São Paulo e até da tentativa de assassinato  do Presidente da República.

 Cronologias relevantes:

2001 - Assassinato de Toninho do PT

2002 - Assassinato de Celso Daniel

2002 - Assassinato de 2 envolvidos no caso Celso Daniel

2003 - Assassinato de 4 envolvidos no caso Celso Daniel

2003 - ONG Rede 13 é extinta após receber R$ 7,5 milhões

2004 - Caso GTech (Carlinhos Cachoeira)

2004 - Escândalo dos Bingos (Waldomiro Diniz)

2004 - 300 Medidas Provisórias de Lula

2004 - Morrem 3 da diretoria do Bancoop (OAS e o Triplex)

2005 - Assassinato do legista do caso Celso Daniel

2005 - Escândalo dos Correios

2005 - República de Ribeirão (Antonio Palocci)

2005 - Escândalo do Mensalão - R$ 200 milhões em desvios

2005 - Escândalo dos Dólares na Cueca

2005 - Cassação de Zé Dirceu

2005 - Escândalo da Gamecorp-Telemar R$ 111 MI para Lulinha

2006 - Caso Francenildo dos Santos Costa (Antonio Palocci)

2006 - Escândalo da Refinaria de Pasadena (prejuízo de R$ 3 bilhões)

2006 - Escândalo dos Sanguessugas

2006 - Escândalo dos Aloprados

2006 - Escândalo do Corinthians - MSI

2006 - Mesadas de Antônio Palocci

2007 - Operação Navalha

2007 - BNDES e o etanol em Moçambique

2007 - R$ 111,4 bilhões da CPMF desviados da saúde

2008 - Dossiê contra FHC e Ruth Cardoso (Dilma e Erenice Guerra)

2008 - Caso Cartôes Corporativos

2008 - Usina Hidrelétrica Jirau - Fraude no Leilão

2008 - Usina Hidrelétrica de Santo Antônio - Caixa dois

2009 - Caso Lina Vieira (Dilma e Gabrielli)

2009 - Refinaria Abreu e Lima - R$ 90 milhões em propinas

2009 - Propina na compra de submarinos e helicópteros franceses

2009 - Escândalo das montadoras - Medida Provisória 471

2010 - Caso Bancoop

2010 - Escândalo Novos Aloprados

2010 - R$ 1 MI de Alberto Youssef na campanha de Gleisi Hoffmann

2010 - BTG Pactual e as sondas do pré-sal

2010 - Erenice Guerra - Tráfico de influência

2010 - Governo Lula gasta R$ 88,2 milhões nos cartões corporativos

2011 - Caso Palocci Consultor

2011 - Escândalo nos Ministérios da Agricultura, Transportes e Cidades

2011 - Escândalo nos Ministérios do Turismo, Esporte e do Trabalho

2011 - Faxina Ética no Governo Dilma

2012 - Caso Cachoeira

2012 - Escândalo no Ministério da Pesca (Ideli Salvatti)

2012 - Rosemary Noronha e Lula e os 25 € milhões em Portugal

2012 - BNDES - Usina Metalúrgica na Venezuela

2012 - Operação Porto Seguro (Rosemary Noronha)

2012 - Prisão da cúpula do PT

2013 - Início das Pedaladas Fiscais

2013 - BNDES - Rodovia em Gana

2013 - Aeroporto em Guiné Equatorial

2013 - Arlindo Chinaglia - R$ 1 bilhão em fraudes de licitações

2013 - Dilma perdoa US$ 900 milhões em dívidas de ditaduras africanas

2014 - Assassinato de Paulo Malhães - Comissão da Verdade

2014 - BNDES - Porto Mariel em Cuba

2014 - Lava Jato - expectativa de recuperar R$ 40 bilhões

2014 - Superfaturamento de US$ 900 milhões caças Gripen

2015 - Prisão do ex-tesoureiro do PT

2015 – Ex-diretor da ANP cai do 11º andar

2015 - Caso LFT Marketing e Touchdown - R$ 12 MI para Luleco

2016 - R$ 131 bilhões de cortes na Saúde

2016 - Caso Exergia - R$ 20 MI para Taiguara dos Santos

2016 - Crime de responsabilidade fiscal de Dilma

2016 - Assassinato de Arthur Sendas (Compra de Pasadena)

2016 - Marqueteiro do PT é preso

2016 - Delcídio Amaral preso em flagrante

2016 - Governo Dilma gasta R$ 44,4 milhões nos cartões corporativos

2016 - Denúncias comprovadas já chegam a R$ 47 bilhões em desvios do PT

2016 - BNDES - US$ 788 milhões em propinas em 12 países

2018 - Assassinato de Roberto do PT (Queima de Arquivo)

2018 - Lula Preso - Primeiro de 8 Processos

2018 - Corrupção na usina de Belo Monte

2018 - Escândalo das agências de pesquisa na Campanha de Dilma

2018 - BNDES - Calote de Venezuela, Cuba e Moçambique (lavagem internacional)

2018 - Comperj - R$ 15 milhões de propina para o PT

2018 - Vice-presidente da Guiné Equatorial chega ao Brasil com US$ 16,4 milhões

2018 - Desvios de R$ 140 milhões nas obras da Torre Pituba

2018 - Caso Lulazord

2018 - Desvios de R$ 126 milhões nas obras a transposição do rio São Francisco

2018 - Jair Bolsonaro vítima de quase assassinato, prejudicando sua campanha para presidente! 2019 - Fernando Pimentel e CEMIG

2019 - André Esteves, Lula e Graça Foster na PetroAfrica

2019 - Operação Vegatomia - R$ 500 milhoes em fraudes no FIES

2019 - Delação de Palocci - R$ 270,5 milhões para o PT

2019 - R$ 1,1 milhão de mesada para Frei chico (irmão de Lula)

2020 - Assassinado em Curitiba o advogado que pediu a quebra do sigilo bancário do ex ministro Sergio Moro que, enquanto juiz, nunca condenou alguém do PSDB.

https://youtu.be/ay4aDMDWRCI


  Pior do que sonegar da ABIN, passou INFORMAÇÕES SIGILOSAS para PSDB.

  Moro condenou alguém do PSDB?

  Nunca o fez!

  Será que assumiu o cargo de Ministro de Justiça para manter, na Polícia Federal, pessoas de confiança dos tucanos para seguir o trabalho seletivo no combate à corrupção?

 Em entrevista exclusiva à Oeste, o General Heleno, ministro do GSI, Gabinete de Segurança Institucional, ressalta o ex-ministro Sérgio Moro ter colocado óbices nas substituições https://t.co/hKNM1W5S5B

  Confira os fatos apontados por este deputado federal: https://youtu.be/G_LFslMUctQ


🤡

 Acusar Presidente de intervir na Polícia Federal para proteger os filhos é uma acusação ridícula quando sopesamos os fatos.

 O único filho investigado é o Senador Flávio e as suspeitas envolvem fatos ocorridos quando foi Deputado Estadual. Portanto, tudo foi investido pelo no MP estadual do RJ sem nenhuma influência da Polícia Federal.


https://twitter.com/mtsazevedo/status/1263658652973629441?s=21


    A Operação Lava Jato foi desencadeada pelo PSDB para desarticular o mecanismo do PT e permitir aos tucanos retomar o poder executivo federal.

   O PSDB não contava com o crescimento de um candidato independente e que derrotaria os mecanismos do PT, PSDB et corja como ilustra o MEGA paper em https://bit.ly/pbolsonaro

🤡

  Deltan Dallagnol se referia ao presidente da República como "Bozo". 

 Promotores da lava Jato e seus parceiros, em grupos de Telegram, infamavam Bolsonaro acusando-o de ideais fascistas, misóginos e o compararam a Hitler.

👿

 Procuradores da República ligados a Operação Lava Jato tentaram forjar provas para incriminar Jair Bolsonaro. Eles também o chamavam de Bozo, afirmaram que tinha ideias fascistas e o compararam a Hitler.

 Essas informações são apenas amostras de trechos, entre centenas, onde Bolsonaro é citado nas mensagens da Lava Jato, entre os anos de 2015 a 2019. 

  Esse conteúdo está em posse do Supremo Tribunal Federal e, após decisão do Ministro Ricardo Lewandowski, foi compartilhado com os advogados do ex-presidente Lula. Mostrando  um peso com duas medidas,  não compartilham esse conteúdo com o ofendido, Presidente Bolsonaro, confirmando o aparelhamento da cúpula do Poder Judiciário escancarada no MEGA paper em https://bit.ly/mazelas 

🤮

 A Procuradora da República Monique Cheker sugeriu, em um chat de um grupo no Telegram com procuradores da Operação Lava Jato, forjar provas para incriminar Jair Bolsonaro no caso da pescaria de Angra dos Reis julgado em 2015. Após a Ministra Carmen Lúcia, relatora do caso no STF, defender o arquivamento do caso, Monique perguntou no grupo dos procuradores se alguém poderia tentar falar com os ministros do STF sobre isso e em seguida disse que conheceu um professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) em um evento de pesca e que ele poderia fazer um parecer contrariando o relatório de Carmen Lúcia, que aplicou ao caso o princípio da insignificância.

https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/27462/procuradora-da-republica-sugeriu-forjar-provas-para-tentar-incriminar-bolsonaro

https://horabrasilia.com.br/procuradora-da-republica-sugeriu-forjar-provas-para-tentar-incriminar-bolsonaro/


"Chefe da Força-Tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, planejou interferir nas eleições 2018. Junto com o diretor ", continue lendo em: https://www.agoraparana.com.br/noticia/lava-jato-planejou-dispositivo-anti-bolsonaro-nas-eleicoes-2018?fbclid=IwAR0TuE_3ukRi6ubY6MTgcaMzN9W7LQvGC6ld7-8i2mysfeADwODGFDAjrvU#.YEF6XZ3ILPM.whatsapp


    Moro Mentiu! 🤥 

 Análises das comunicações não verbais, os gestos e expressões faciais, revelam ter mentido.

 O corpo fala, sabia? A  neurolinguística é um pool de tecnologias, uma ciência transdisciplinar desenvolvida por alguns dos maiores gênios dos anos setenta a noventa.

 Assista à análise deste especialista em neurolinguística sobre o pronunciamento, em 24/4/2020, do então Ministro da Justiça, mostrando como, quando e porque Moro mentiu na entrevista coletiva, no momento em que faz a denúncia acusando o que Presidente da República, o ex-ministro

não consegue controlar e mostra, 4 vezes, estar acessando a área do cérebro que imagina cenas que nunca ocorreram. Confira em https://youtu.be/yLK5-XT_dNM

 Compare o mesmo tipo de análise, pelo mesmo especialista, sobre a fala do Presidente da República: https://youtu.be/35vJFndD6Ik Jair Messias Bolsonaro colocou de lado as 3 folhas e falou de improviso com espontaneidade e muita sinceridade.

 O STF, dia 22/05/2020, liberou o vídeo da reunião ministerial ocorrida um mês antes:

  Em seu depoimento para a Polícia Federal por ordem do Supremo, Sergio Moro afirmou estar, ali, naquele vídeo, a prova da interferência do Presidente da República na Polícia Federal.

 Obviamente, o ex-Ministro acreditava a gravação, após 48 horas, já ter sido apagada, como era a praxe.

  Se a fita estivesse apagada, a mídia e o Mecanismo iriam alardear “Sergio Moro está certo”, repetindo o tempo todo que o Presidente mentiu sobre interferir na Polícia Federal destruiu as provas!

 Contudo, após o traidor cochichar no seu ouvido, Bolsonaro foi intuído por Deus a ordenar a preservação ds gravação.

  O vídeo foi assistido por milhões de brasileiros e comprovou:

     Moro é mentiroso!

  Bolsonaro só fala a verdade verdadeiramente verdadeira: https://youtu.be/iX_Yse0YpQY

   Verdade verdadeiramente verdadeira como alertamos no início de 2018 em http://padilla-luiz.blogspot.com/2018/03/verdade-verdadeiramente-verdadeira.html?m=1  Antevimos todo o fake news que promoveriam contra o então pré-candidato a Presidente.

  Também sinalizamos a aliança espiritual que ocorreria entre Bolsonaro e Trump.

        🤥

  Resumo do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril de 2020 https://youtu.be/iX_Yse0YpQY

🇧🇷 Presidente está preocupado com o bem estar da população e indignado com as violações dos direitos.

🇧🇷 Doria é um bosta.

🇧🇷 Witzel é estrume. 

🇧🇷 Prefeito de Manaus sempre foi um bosta desde quando era deputado.

🇧🇷 O Presidente vai aonde ele quiser!

🇧🇷 O  Presidente é o chefe das FFAA.

🇧🇷 O Presidente jamais mentiria sobre o exame para Covid19.

🇧🇷 O Presidente combate privilégios.

🇧🇷 O Presidente esforça-se em se policiar para não se aproximar de quem não deve.

🇧🇷 Se a cambada que tentou, tivesse chegado ao poder em 64, estavamos todo mundo fudido, cortando cana para receber 20 dólares por mês, como em Cuba!

🇧🇷 Todo político tem que sentir cheiro de povo.

🇧🇷 General vai na frente e não deixa a tropa se ferrar.

🇧🇷 Todos têm que dar exemplo.

🇧🇷 O Presidente quer o povo armado, porque "povo armado jamais será escravizado"!

🇧🇷 Quem agir contra o bem estar do povo será processado e preso.    Damares começou tomando providências contra os Governadores;    Weintraub, quer prender o STF.

🇧🇷 Quem não aceitar Família, Deus, Brasil, Armamento, Liberdade de Expressão... Tá no governo errado!

👊🇧🇷

Após a divulgação do vídeo, a popularidade do Presidente Bolsonaro subiu, pois os eleitores puderam ver que, 20 meses depois de ter sido eleito, segue fiel aos compromissos com o bem estar da população.


👹

 O País precisa de estabilidade. O ex Ministro Sérgio Moro sabe disso como operador do Direito e professor universitário. 

  Em aulas e orientando mestrandos e doutorandos, sempre alardeou, oral e por escrito: 

 "Sempre que estivermos numa posição de agentes de Estado, deveremos colocar os interesses de Estado, acima e à frente dos interesses individuais".

 


 O Inquérito, citado, por Moro é ilegal:

http://sensoincomum.org/2020/04/26/inquerito-citado-por-moro-como-prova-de-interferencia-de-bolsonaro-e-inconstitucional/


 🤔 Sergio Moro, em 2016, esnobou Bolsonaro: o então Deputado tentou se aproximar para pedir autógrafo.

 Moro virou o rosto e se afastou pelo saguão de aeroporto. Confira esses 40 segundos mostrando quem é o que...

https://youtu.be/77SgytnqWAU

https://twitter.com/prof_padilla/status/1254594263121375232?s=21

https://www.instagram.com/p/B_dz5xLAq0J/?igshid=1p76a5oluybej

https://www.facebook.com/1769120210022545/posts/2602628153338409/


https://www.linkedin.com/posts/padill_verdadeiro-sergio-moro-em-2016-esnobou-activity-6660356843375771649-36Yh


🤡

 Alexandre Garcia e Leda Nagle, em live no YouTube, tecem reflexões valiosas: https://youtu.be/bxEmyJCwmPg

😈

 Disponível no acervo digital da Universidade Federal do Paraná, a tese de Moro, além de abortista e globalista, defende, em vários capítulos, o ativismo judicial como forma de mudança da Constituição Federal sem necessidade da aprovação do Legislativo e como forma de impedir o Executivo de exercer o poder.  

Moro é apologista da subversão do estado de Direito pautando mudanças na Constituição Federal através de ativismo judicial que by-passe a representação da Casa do Povo (Congresso) - em outras palavras: é um ditador ladino! https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/43018/Desenvolvimento%20e%20efetivacao%20judicial%20das%20normas%20constitucionais.pdf

😡

 Após passarem mais de dois anos mantendo aberto, 24 horas por dia, 365 dias por ano, em apoio à operação Lava Jato, ativistas de Curitiba encerram o Acampamento Lava Jato com duras mensagens para Sergio Moro. Assista aqui: https://youtu.be/c90g_nxsNs8

   Revoltadas por terem sido enganados, queimaram camisetas e fotos de Moro, que adjetivam como canalha, enfatizando ele mesmo ter “queimado a sua própria biografia”.

 Sugerem usarmos as camisetas com fotos de Moro como pano de chão:

 “Esquece Curitiba,  se aparecer aqui, estaremos te esperando... comestes cocô ou sempre fostes esse bosta?


👺Já sabemos do que PSDB é capaz! ▶️ Http://bit.ly/viengodo 


  

  Crise institucional:

 🆘🇧🇷 Alexandre Ramagem na Polícia Federal poderia apontar os mandantes de Adelio Bispo e dissolver a espiral do silêncio em torno da corrupção do PSDB.

🤔

 Ministro Alexandre de Moraes, na foto acima sorridente ao lado da cúpula do PSDB, impediu a posse. 

 Na decisão prolatada dia 28/4/2020 alegou direito líquido e certo.

 De quem?

 A amizade entre o presidente Bolsonaro e o delegado é incapaz de impedir a indicação à Diretoria-Geral da PF.

 Afinal, se for válido esse argumento de Alexandre de Moraes, ele nem pode ser ministro do STF, pois era amigo do ex-presidente Temer que o nomeou.

 Por falar em ser suspeito, em 15 anos, patrimônio de Alexandre de Moraes e sua família cresceu 691% https://www.viomundo.com.br/denuncias/em-15-anos-patrimonio-de-alexandre-de-moraes-e-familia-sobe-de-r-597-mil-para-r-122-milhoes-crescimento-de-691.html


👺

 Presumir má-fé em desrespeito à honra do chefe de Estado acusado de desvio de finalidade, violar moralidade, impessoalidade e probidade...

🦑

 O chefe de Poder não se submete a ordens antijurídicas de ministros do STF conforme art.116-IV, da Lei 8.112/90 (ordens ilícitas e criminosas não se cumpre) e art.38, p.2, do CPM (ordens criminosas não se cumpre).

🤜

 Art.17 da Lei de Segurança Nacional 7170/83

"Tentar mudar, com emprego de violência ou grave ameaça, a ordem, o regime vigente ou o Estado de Direito."

 Pena: reclusão, de 3 a 15 anos.

💪

 O abuso de poder permite até a prisão de Alexandre de Moraes em flagrante, art.142, da Constituição Federal. Pontual, sem intervenção militar generalizada, sem fechamento de instituições.

📹

https://youtu.be/vFeSl4HJrqk

=IgTv https://lnkd.in/eASUgfm

=Facebook https://lnkd.in/emPt3Fi

😈

 Fazer analogia com o caso do Lula (que estava para ser preso) é um atentado à inteligência mediana.

 No caso da Cristiane Brasil, também houve invasão do STF na competência do Temer. Juridicamente, nada impedia a posse da Cristiane.

 Moralidade, cada um preenche o conteúdo desse princípio como política e ideologicamente lhe interessa.


Ives Gandra

 Recuperando-se da infecção por Covid19, um dos mais respeitados juristas, Ives Gandra da Silva Martins questionou a decisão em trabalho entitulado:

⚖️

  Harmonia e independência dos poderes?

                    Ives Gandra Martins 

 Aos 85 anos e mantendo amizade e admiração com e por grande parcela dos juristas brasileiros e muitos estrangeiros, de todas as colorações ideológicas, é sempre com constrangimento que, no dever que me imponho de cidadão, sinto-me na obrigação de expor opinião contrária àqueles expoentes do direito, que, sendo amigos, encontram-se em funções públicas.


 Ao ler a Constituição, cujos trabalhos acompanhei de perto, participando de audiências públicas, oferecendo textos, alguns aprovados pela Constituinte e, informalmente, assessorando alguns constituintes, não consigo encontrar nenhum dispositivo que justifique a um ministro da Suprema Corte impedir a posse de um agente do Poder Executivo, por mera acusação de um ex-participante do governo, sem que houvesse qualquer condenação ou processo judicial a justificar. A simples suspeita de que foi escolhido por ser amigo do Presidente da República e poder influenciar procedimentos administrativos levantados por um desafeto do primeiro mandatário não justifica, constitucionalmente, a invasão de competência de um poder em outro.


 Se meras suspeitas servirem, a partir de agora, o Poder Judiciário estará revestido de um poder político que não tem, constitucionalmente, de dizer quem poderá ou não ser nomeado de acordo com a visão do magistrado de plantão, mesmo que não haja qualquer condenação ou processo judicial em relação àquele pelo Executivo escolhido.


 A partir da decisão do grande constitucionalista Alexandre de Moraes, a quem admiro, com quem tenho livros escritos, somos confrades em academias jurídicas e participamos de bancas de doutoramento juntos, qualquer magistrado de qualquer comarca do Brasil poderá adotar o mesmo critério e por acusações, fundadas ou infundadas, não examinadas pelo Poder Judiciário, em processos com o direito inviolável à ampla defesa, impedir nomeações que são de exclusiva atribuição constitucional do chefe do executivo de qualquer município, estado ou da própria União.


 Não entro no mérito de quem tem razão (Bolsonaro ou Moro), mas no perigo que tal decisão traz à harmonia e independência dos poderes (artigo 2º da CF), a possibilidade de uma decisão ser desobedecida pelo Legislativo que deve zelar por sua competência normativa (artigo 49, inciso XI) ou de ser levada a questão — o que ninguém desejaria, mas está na Constituição — às Forças Armadas, para que reponham a lei e a ordem, como está determinado no artigo 142 da Lei Suprema.


 A insegurança jurídica enorme que o Poder Judiciário traz sempre que foge à sua competência técnica para ingressar na política, agrava-se ao estimular todo o partido derrotado nas urnas ou nas votações do Congresso pretender suprir seu fracasso representativo recorrendo ao Supremo Tribunal Federal para que este, politicamente, lhe dê a vitória não obtida no exercício de sua função eleitoral.


 Não sem razão, temos visto as sessões técnicas de antigamente — quando sustentei pela primeira vez perante o STF, em 1962 ou 63, dois dos atuais ministros não tinham nascido — serem substituídas por seções em que muitas divergências ministeriais são respingadas por ofensas mais pertinentes às discussões legislativas.


 Se as suspeitas do ex-ministro são verdadeiras, que haja o devido processo legal com o DIREITO A AMPLA DEFESA, com o que, havendo comprovação, não só a posse não pode ocorrer, mas como se deve punir o culpado, se algum delito foi cometido.


 A minha irrestrita admiração de velho professor de Direito Constitucional ao Pretório Excelso e aos onze ministros que o integram, não poderia, todavia, afastar a obrigação, como mero cidadão, de externar meu desconforto em ver a Suprema Corte exercendo funções executivas e invadindo competências alheias, que entendo não ter, e gerando insegurança jurídica e não a estabilidade e a certeza no direito que toda a nação deseja.

https://www.conjur.com.br/2020-mai-02/ives-gandra-harmonia-independencia-poderes


  ‘STF já consolidou um verdadeiro golpe de estado’ por Evandro Pontes 

 Entrevistado pela colunista Ana Paula Henkel, o mestre e doutor em Direito Societário pela USP, Evandro Pontes fala sobre atos do Supremo Tribunal Federal seguidos de pedidos de impeachment como um golpe de Estado:

 “Estamos assistindo a uma quebra constitucional irreversível. O STF já cruzou linhas que constituem verdadeira atividade paraestatal”. 

 Após explicar como definir um golpe de Estado, registra:

  “Ora – para mim é claro e mais do que óbvio que esse golpe já ocorreu. Na medida em que o STF age a latere do sistema, age de forma a violar a própria constituição, o próprio STF já consolidou um verdadeiro golpe de estado em que todos os poderes foram criminosamente usurpados pela Corte: ela julga, ela investiga, ela legisla, ela manda abastecer navios, ela atua como executivo e impede a extinção de conselhos, ela impede o executivo de enxugar a máquina – enfim, o golpe de estado já foi dado diante de nossos olhos e ninguém simplesmente não fez nada para restaurar a ordem”.

 Ante a surpresa da entrevistadora, questionando-o se não se trataria de atos isolados de alguns ministros, com crimes isolados de responsabilidade, Evandro Pontes enfatizou:

 “Adoro o professor Carvalhosa, a quem tenho como Mestre muito querido, mas neste ponto eu discordo de meu Mestre sob o ponto de vista estratégico. Veja: quando uma ordem do STF é emanada por um Ministro usando papel timbrado da corte e todos os demais se calam, não há dúvida que esse silêncio integra a decisão ilegal dada pelo colega. O silêncio da corte quando um sistema paraestatal é montado e levado a plena operação, significa exatamente que a ilegalidade contaminou irremediavelmente a atuação dos demais ministros. Exemplo contrário disso foi o do Desembargador Favretto: ao tentar lançar mão de um expediente ilegal, a Corte como um todo se insurgiu e impediu que a ordem ilegal saísse com o timbre do TRF4. Os demais colegas preservaram a integridade institucional da Corte. Se o STF não faz o mesmo e aceita que ordens sejam emanadas em nome da Corte, a responsabilidade é sim colegiada e recai sobre aqueles que preferem reclamar na imprensa (que não é função de um juiz) e deixam de agir como juízes impedindo que um sistema paraestatal seja colocado em operação.

 “O STF é hoje, sem a menor sombra de dúvida (por isso não falo das pessoas, falo da corte mesmo, pois no caso da decisão da transferência do Lula, em que houve supressão de instância, a Corte integrou a decisão com 10 votos favoráveis; pense-se também no caso do Inquérito de Censura à Crusoé: foi claramente um ato institucional da própria Corte e não de ministros isoladamente), uma entidade de poder suprema e de atuação paraestatal. Suas decisões sequer são respaldadas em seus próprios precedentes (um indício de que o seu histórico foi completamente abandonado), nem mesmo na Constituição: basta ler as decisões que citei e procurar o dispositivo constitucional que serve de base para a decisão – não há, simplesmente não há. São atos de puro totalitarismo gestados a latere. Desta forma, Ana, o golpe já foi dado. Tudo o que decorrer dele é mera conseqüência de um golpe, jamais será uma resposta em ato isolado ou um golpe a parte ou contragolpe. Já estamos na marcha da história para recobrar o sistema que já foi rompido por iniciativa clara e desabrida do STF (e, repito, a responsável por isso é a corte sim e não os ministros isoladamente) ou simplesmente aceitá-lo. A escolha agora cabe ao povo brasileiro.”



  O que motivou a decisão do Ministro do STF?

 Eleito Bolsonaro, a Polícia Federal designou o Delegado Ramagem para chefiar equipe de segurança.

 No governo Bolsonaro, com Moro no MJSP e Valeixo na Polícia Federal, a investigação sobre o atentado segue sem efetividade, apesar de inúmeras cobranças.

 As provas, como 6 celulares e 2 tablets de Adélio, encontrados com mais de R$14 mil reais, foram proibidas de serem investigadas pelo STF.

 Adélio, para fazer curso em clube de tiro, era são. Contudo, é apontado como louco no inquérito e no processo onde a Polícia Federal deixa de interrogar testemunha chave.

  Ramagem dirige a ABIN e faz o trabalho que a Polícia Federal de Moro e Valeixo não fizeram: avança na investigação, descobre crimes de pessoas com altos cargos na República.

 Informado, Bolsonaro testa a lealdade de Valeixo e Moro.

 Moro transforma sua saída em um ato midiático político ciente de sua deslealdade e provável cumplicidade com o "cover up" foi descoberta.

 Ramagem foi nomeado para dirigir a Polícia Federal, onde pode transformar em inquéritos todas as informações que ele já dispõe. Basta ir nos alvos certos e colher as provas. Em uma semana, pode chegar nos mandantes do Adélio e varrer o Brasil com a lava-corona.

 O ministro Alexandre de Moraes, num aparente ato de desespero, suspendeu a nomeação de Ramagem para a chefia da PF! No despacho, pede que a AGU seja notificada por whatsapp!

  Temem Ramagem, na Polícia Federal,  desmonte a enorme conspiração para derrubar o Presidente. Essa conspiração envolve acobertar os mandantes do Adélio enquanto se move contra o presidente e sua família um inquérito inconstitucional com intuito de criminaliza-lo.

 Contudo, a chefia geral da Polícia Fedaral não se refere apenas ao caso Adélio.

 Também se refere à lavagem de dinheiro do PCC nos transportes coletivos da cidade de São Paulo.

 Um chefe geral honesto e desaparelhado para a Policia Federal dará andamento a todas as linhas de investigação, paradas há mais de uma década, sobre a lavagem de dinheiro do PCC nas cooperativas de ônibus, e que hoje em dia operam normalmente como se fossem empresas legalizadas, serão reabertas.

  Chegará aos bilhões de reais lavados pelo PT, PSDB, PCdoB, PR e PCC por intermédio do transporte coletivo da cidade de SP, e respingarão naquele que barrou a nomeação do Presidente da República à chefia geral da PF:

  Hoje Ministro, Alexandre de Moraes foi o Secretário de Transportes na gestão municipal de Gilberto Kassab quando explodiu um dos maiores escândalos de lavagem de dinheiro do PCC, no transporte coletivo de SP.

  Promotores de Justiça aparelhados pelo Foro de SP no Ministério Público de SP, das áreas de urbanismo, patrimônio público e até o GAECO, abafaram o escândalo.

 Depois disso, Alexandre de Moraes foi advogado da TRANSCOOPER, a principal cooperativa investigada pela lavagem de dinheiro do PCC, PT, PSDB, demais partidos de esquerda, e outras organizações criminosas.

 Depois de Alexandre de Moraes ser nomeado Ministro do STF, o Ministerio Público de SP fez acordos de ajustamento de conduta com Fernando Haddad e as cooperativas (como a Transcooper). Ao invés de serem descredenciadas e os investigados punidos e presos, mudaram de nome e viraram empresas de fachada.

 A Transcooper passou a se chamar Pêssego Transportes.

 A Novo Horizonte, também investigada por lavar dinheiro de policiais corruptos e do PCC, passou a se chamar Express Transportes, e várias outras cooperativas de SP mudaram de nome.

 Todas elas continuam a lavar dinheiro do PCC, de policiais militares de alto escalão corruptos, a maioria ligados ao PSDB e DEM, e de partidos de esquerda.

 Alexandre de Moraes não deixou o Presidente Bolsonaro nomear o chefe geral da Polícia Federal.

 A segunda maior fonte de lavagem de dinheiro do PCC e do Foro de São Paulo corre sério risco de secar.

  "Chega do STF violar preceitos e garantias fundamentais! "

 Bradou o Presidente Bolsonaro em 28/05/2020:  https://youtu.be/IMktkOShsuQ

👵

 A indignação é causada pelo abuso de poder pelo STF passando dos limites.

🤑

 Há contradição direta entre decisões do ministro Alexandre de Moraes.

 Ministro Alexandre de Moraes era advogado do cartel criminoso de drogas PCC:

https://youtu.be/kdy5--xnBKk

Facebook https://lnkd.in/eJtbUMB

IgTv https://lnkd.in/etD9VVJ

Twitter https://lnkd.in/eHQjb93

🤑

 Pelo argumento do Ministro Alexandre de Moraes impedindo a posse de Alexandre Ramagem na Chefia da Policia Federal, Alexandre de Moraes nem pode ser ministro do STF porque era amigo do ex-presidente Temer que o nomeou.

 Outra contradição é entre decisões do ministro é entre https://lnkd.in/gHbVtTp e a ordem de diligências excessivas, com abuso de autoridade, no inquérito onde magistrados, que deveriam ser imparciais, são ao mesmo tempo vítimas, investigadores, acusadores e julgadores.

 Passou dos limites!


 🆘🇧🇷 Alexandre de Moraes também afastou dois auditores que investigavam corrupção no PSDB

https://youtu.be/K1ss92Z5GWY

Facebook https://lnkd.in/ea_ee2N

IgTV https://lnkd.in/egvuvxw


 Em 15 anos, patrimônio de Alexandre de Moraes e sua família cresceu 691% https://www.viomundo.com.br/denuncias/em-15-anos-patrimonio-de-alexandre-de-moraes-e-familia-sobe-de-r-597-mil-para-r-122-milhoes-crescimento-de-691.html

🤥

Assista também:

https://youtu.be/C5USCxz_48M

🤔

 É condição essencial da jurisdição a imparcialidade, como prova o documento📝 http://bit.ly/mazelas

🤮

‪ Há 3 décadas, alertamos sobre o perigo de haver magistrados parciais e sem compromisso com a efetividade:

‪📖

Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, v.12, p.209-215 https://lnkd.in/eAN7H-a =

https://seer.ufrgs.br/revfacdir/article/viewFile/69180/39069

💪


 Como e porque Sergio Moro foi comprometido?

  Rosângela Moro, (a esposa do Sérgio Moro), deslumbrada, pôs-se a criar ONGs. Abriu contas offshore e absorveu um dinheirão (luvas/propina) pago pelos eficientes advogados da Odebrecht, os que negociaram a delação premiada da Lava Jato, com grande desconto nas indenizações.

 VazaJato, o telefone do Moro foi hackeado pelo PSOL, e saíram mensagens meio comprometedoras da atuação do super-juiz, com o resto da verdade a ficar escondida na mão de Alexandre de Moraes, do STF.

  Moro, daí para a frente, desalinha-se com Bolsonaro. Trava o que o chefe prometeu na eleição (a agenda da bala) e barra investigações importantes (especialmente o caso da facada, tentativa de assassinato por Adélio Bispo, organizada pelo PSOL, cujo rastro apareceu na ABIN.

  Polícia Federal não investiga os amigos do Adélio e considera "um ato isolado" contra todas as evidências e lógica. 

  O então comandante da PF, amigo de Moro, começa a dar sinais de não querer continuar e pede para ser substituído no cargo. 

  Das bases da PF vêm muitas queixas de interferência e bloqueio por parte do amigo de Moro, amputando investigações sensíveis e mandando-as para os seus amigos em Curitiba

  A LavaJato trava, não cai um único acusado do PSDB, tanto liquidou o PT, quanto não dá um passo contra o PSDB.

  Alexandre de Moraes do STF, montou uma força policial semi privada, onde é ele quem gere o inquérito, chamado de Fake News, onde ele é a suposta vitima, é o legislador e é o juiz. Teratológico e Inconstitucional, contudo, a lei não interessa ao STF.

  Moro nomeia para assessora de comunicação do Ministério da Justiça a nora de Miriam Leitão, uma globalista, inimiga jurada de Bolsonaro.

  Moro alinha no golpe do ComunaVírus e assina 3 decretos inadmissíveis em democracia:

 I- Ordem de prisão para quem honestamente passeia na Rua,m;

 II-  Libertação dos presos, especialmente os chefes do PCC e do Comando Vermelho;

 III- Compra superfaturada de tablets para os prisioneiros terem internet.   

 Ruptura total com a sua biografia e com o chefe.

 Moro aceita a saída a pedido do seu amigo da PF. Contudo, depois mente sobre isto. Sugere em substituição o chefe da pseudo-polícia de Alexandre de Moraes. Bolsonaro recusa nomear o indicado do Abreu e avança com o nome do chefe da ABIn.

 Moro demite-se. Ele não pode continuar, está exposto. Faz acusações sem provas numa declaração ansiosa e junta-se ao golpe de estado em andamento.

 Alexandre de Moraes, aprova uma liminar sem a menor base legal, barrando a entrada do chefe da ABIn como novo diretor na PF.

 O PSOL, o mesmo partido por detrás da VazaJato, que hackeou o telefone de Moro, entra com um processo de Impeachment, do qual Moro é a testemunha principal. Moro, que tinha todas as razões para se afastar do PSOL, revela estar comprometido.

 Moro foi corrompido através da mulher e da VazaJato.

 O Moraes, do STF, advogado do PCC, é o dono de Moro, e o telecomandou por um ano. Moro serve de fantoche ao PSOL esperando se safar e não acabar preso.

  O Brasil não é para amadores.


 Depoimento de VALEIXO Ex-diretor-geral da Polívia Federal desmente MORO: 

 O depoimento do ex responsável pela Polícia Federal, na segunda-feira 11/05/2020 na sede da corporação em Curitiba, demorou mais de seis horas.

 Desde quando Sérgio Moro pediu demissão “ao vivo” durante coletiva à Imprensa, há duas semanas, abundaram fakenews e especulações com objetivo de prejudicar o presidente da República numa suposta trama — cujo objetivo seria interferir diretamente em investigações da Polícia Federal do Rio de Janeiro. 

 Mesmo não existindo inquérito contra familiares de Bolsonaro na Polícia Federal, pois supostos desvios de verbas de gabinete da Assembleia Legislativa do RJ são investigados pela Polícia Civil e não pela Polícia Federal parte da Imprensa tradicional e membros da Oposição aproveitaram as declarações de Moro para tentar colocar em suspeição a credibilidade do governo. 

   O depoimento de Maurício Valeixo foi um “balde de água fria” nos adversários do governo federal.

 Ex-diretor-geral da PF desmentiu Sérgio Moro e negou interferência de Bolsonaro: nunca houve qualquer atitude ounpalavra do presidente Jair Bolsonaro sobre investigações do órgão; o presidente da República nunca lhe pediu relatórios de inteligência ou informações de inquéritos.

 Valeixo também confirmou haver combinado com o presidente sua demissão "a pedido" (Moro afirmou o contrário, que isso não era verdade).

 O ex-diretor contou que o presidente o avisou, por telefone, que o ato seria publicado com a expressão “a pedido” – com o que concordou.

 Valeixo também afirmou Bolsonaro nunca haver tratado com ele sobre troca de superintendentes:

 “Para o depoente [Valeixo], a partir do momento em que há uma indicação com interesse sobre uma investigação específica, estaria caracteriza uma interferência política, o que não ocorreu em nenhum momento sob o ponto de vista do depoente”, diz o relatório do depoimento distribuído à imprensa.

 De acordo com o ex-diretor-geral da PF, em duas oportunidades, uma presencialmente, outra pelo telefone, “o presidente da República teria dito ao depoente que gostaria de nomear ao cargo de diretor-geral alguém que tivesse maior afinidade, não apresentando nenhum tipo de problema contra a pessoa do depoente”.


MITOS E IDOLATRIAS:

Reflita sobre os seguintes fatos:

1. Em qual país do mundo Zé Dirceu estaria livre e conspirando?

2. Alguém viu os ataques da mídia, como  da Rede Globo e Folha, tão acirrados em Governos anteriores?

3. Em que país um candidato ou presidente sofreria uma tentativa de assassinato e não se descobriria os mandantes?

4. Como pode o STF, legislar e interferir na PF?

5. Como pode um partido ser signatário e receber orientações de entidade estrangeira e não ser cassado?

07/05/20 Braço direito do PCC solto pelo STF https://noticias.r7.com/jr-na-tv/videos/braco-direito-dos-chefes-da-maior-organizacao-criminosa-do-brasil-esta-em-liberdade-07052020


 Sem entender com profundidade das questões acima, não passaremos de mosca na sopa: só tocamos a superfície do problema, que ainda não entendeu nada e que seu conhecimento político se resume a combater a corrupção, que, apesar de ser vital, ainda assim é a cortina de fumaça subindo de um lamaçal muito mais tóxico e amoral do qual personagens como Lula da Silva são meros batedores de carteira. A corrupção é um dos problemas que uma pessoa direita deve combater com todas suas forças, mas não é a única e nem a principal.


 A principal batalha é a guerra cultural, da qual a presidência da república é só a cereja do bolo. Difícil qualquer ser humano ou divino governar com toda a base cultural implantada na educação, nas igrejas, na arte, nos sindicatos, nas ongs, no empresariado. A espiral do silêncio existe a mais de 30 anos fazendo suas experiências sociais que chegaram nesse momento em seu ápice.


 Todos aqueles que nos fazem entrar na espiral do silêncio dizendo que somos idolatras ou petistas de sinal trocado, fazem parte dessa narrativa cultural, não tem o mínimo conhecimento de autores fora da bolha que os apresentaram, sequer nutrem atração pelo conhecimento, pela cultura. Quando Bolsonaro apareceu, para quem era de direita, era e ainda é a única alternativa.

Sérgio Moro nunca foi de direita, nem ele, nem Deltan, nem Aras, nem Gentilli, nem Lobão, Bebiano, Mandetta, Dória, Witzel, Amoedo, MBL, FHC, Alckmin, Aécio, Temer, nunca foram homens de direita, e pasmem...nem Bolsonaro. Bolsonaro se tornou “mito” por quebrar a espiral do silêncio, por entender que pra quebrar o sistema o povo tem que ser soberano, isso é um pensamento de direita, a qual Bolsonaro estava CULTURALMENTE ligado como o povo brasileiro em seu íntimo, contra o aborto, com patriotismo, pela família, pela beleza da arte, pela defesa. Só depois se agregaram outros valores da direita, como livre comércio, privatizações, desburocratização, valores estes agregados em campanha. O jeito politicamente incorreto que já existia oi só o tempero final para o brasileiro simples ter identificação imediata, pois era o que ele queria dizer, mas a espiral do silêncio imposta pelos intelectuais e engomadinhos não lhe permitia. Então veio a corrupção que saqueou o país durante anos na nova república, justamente para financiar mais poder e as pautas culturais que já estavam na cabeça dos especialistas e pôr fim do povo especialmente os que tem de 50 anos de idade abaixo, o que quer dizer que você que está lendo provavelmente também nunca tenha sido de direita.


 Sérgio Moro, fez um excelente e vital trabalho contra a corrupção, isso é fato, o país deve muito a Moro e sua atuação na Lava Jato, contudo Moro como Ministro, que chegou após a eleição (lembrem que o único candidato que dizia que ia chamar Moro era Álvaro Dias) nunca defendeu a criminalização do aborto, uma pauta de campanha do planalto, pauta essa que foi votada ontem dia 24/04 em plena crise, Moro sempre foi desarmamentista, não se pronunciou sobre os tiranetes dos Estados durante a pandemia, entre outras coisas. Impôs uma agente público para não pedir demissão, sem sucesso se demitiu e a história poderia ter parado aí, mas não, Moro caiu atirando em tudo e em todos, até na sua afilhada de casamento, fez acusações, convocou a imprensa, gravou conversas privadas e delatou ainda em cargo de confiança o homem que o protegeu durante os ataques do The Intercept, aquele site do Verdevaldo que deveria ter sido preso e que agora se oferece como amigo de Moro por delações, depois corre onde? Na rede Globo, a maior inimiga do país, e entrega prints de nada com coisa alguma queimando a biografia que tanto disse honrar. No facebook vocês não vão ver isso, mas no mundo real, com a fogueira ardendo, uma doença mal explicada em curso, uma crise econômica que se avizinha e pessoas como Santos Cruz, Maia, Alcolumbre, Mandetta, entre outros e agora Moro jogando gasolina na fogueira temos o cenário perfeito para uma guerra civil e então você vai entender um dos meus tópicos lá em cima, quando Zé Dirceu, disse assim que foi solto: “Nós vamos tomar o poder, o que é diferente de ganhar eleições”.

 O único obstáculo entre o sistema e nós, as vítimas, no momento é Bolsonaro e isso não é idolatria, pelo simples fato de adorarmos a Deus.

 Lembro quando eu fui votar, o número e a foto na urna eram dele, não tinha nenhuma foto de ministro algum como acessório, não votei em ministros.


- STF solta Lula.

Moro: "Temos que respeitar a separação dos Poderes."


- STF e Juízes soltam líderes do PCC e presidiários.

Moro: "Temos que pensar no Covid-19."


- Tablets para presidiários conversarem com a família.

Moro: "Mas não é um pra cada, não, gente."


- Governadores e Prefeitos mandam prender cidadãos.

Moro: "Sempre trabalhamos junto e não contra as forças de segurança estaduais e municipais."


- Bolsonaro finalmente resolve nomear (cumprindo as atribuições constitucionais do cargo de PR!) pessoas alinhadas aos ideais conservadores ao invés de isentões.

Moro: "Absurdo! Eu me demito!"


 Quem era o Assessor de Comunicação de Moro? Giselly Siqueira, nora de Míriam Leitão e ex-assessora do CNJ durante as passagens de Dias Tóffoli e Ricardo Lewansdowski.


 Quem Moro queria nomear para o Conselho Nacional de Política Criminal? Ilana Szabó, amiga de George Soros, FHC e, dentre tantas outras coisas, colunista da Folha.


 Sérgio Moro foi nomeado Ministro da Justiça, porém:

- a lava-jato desapareceu quando o Moro assumiu o Ministério de Justiça, e ae esperava o oposto;

 Moro inerte durante as aprovações de projetos do Congresso, só foi lá quando convocado;

 Moro indiferente às lambanças praticadas por prefeitos e governadores, sobretudo às compras superfaturadas pós COVID;

 As polícias seguem sofrendo falta de estrutura;

 Moro inerte contra os Gomes, no ataque à polícia do Ceará;

 Moro apoiando a soltura de Bandidos e inerte com a prisão de civis;

 Moro inerte em todas as decisões do Congresso;

  Moro inerte nas ações da OAB;

  Moro inerte nas decisões do STF.


Moro era juiz acostumado a mandar e dar ordens.

 O Delegado da polícia federal iria sair em julho para ir para o exterior e a antecipação da exoneração é perfeita permitindo se organizar para viajar 

 

 Valeixo é quem sustentou Adélio ter agido como louco, um lobo solitário no ataque ao Presidente e que não havia ninguém financiando o "maluco".

 O PGR Aras não se deu por satisfeito e deu continuidade às investigações. Também foi na gestão dele que a PF concluiu que Glenn Greenwald dono do Intercep, não teve participação alguma no caso da invasão aos celulares de Ministros  feitas pelos hackers em 2019,  mesmo tendo inúmeras provas...entendi tudo agora. Acorda Povo!!!


 Sejamos menos emocionais e mais racionais:

🤔

 Moro é o herói da Sucupril ou Brasilcupira, o país dos políticos Sucupira, no estilo Odorico Paraguassú consagrado pela Globo?

 Falsos e comprometidos com o fracasso dos esforços pela evolução humana.

 Gostam do caos para poderem enriquecer com  o constante e perpétuo conserto do que nunca deveria ter estado errado...

 Exemplo?

 🛣  

 As estradas e vias férreas que passava  inacabadas. Sempre sendo objeto de sucessivas licitações, cada uma delas assegurando propinas polpudas sem nunca terminar as obras.

 Com o governo Bolsonaro, isso acabou.

Todas as vias inacabadas foram finalizadas em poucos meses com ajuda de engenheiros e pessoal do Exército, a custos ínfimos comparados às fortunas até então roubadas.

 Foram milhares de km entregues em meses.

  São apenas uma amostra da pontinha do iceberg de realizações desde 1º de janeiro de 1999. Saiba mais em http://bit.ly/pbolsonaro

🙃

 Contudo, entre os psicopatetas da esquerda e do fabianismo tucano, o "ominiun consensus ÓPIO" (alô revisão: é ópio mesmo!), o mau governante é o Bolsonaro…  Saiba mais aqui: http://bit.ly/sergio-moro

  Como não se pode descarregar a revolta com a estultice mandando a gentalha tomar no fe-ó-fó (porque seremos acusados de homofobia) a saída é escrachar...

🤪

  Vamos lá:

  A família 🦑 ficou bilionária vendendo Avon?

  A gestão da bandilma é case de sucesso na Harvard Business School?

  FHC foi patriota ao entregar, digo, vender a Vale do Rio Doce por uma pequena fração do seu valor?

 Anos depois, em apenas um ano a empresa faturou 10 vezes o preço pago na privatização. Essa foi uma das centenas de traições...

🥳

 Quem é falso, hipócrita ou dissimulado, odeia Bolsonaro e seu papo reto defendendo a verdade.

 🔑 

 A transdisciplinaridade é essencial para entendermos como o mal tomou conta e como mudar essa situação!

 Exceto pelos 2% mutantes, o ser humano é neutro, e tem livre arbítrio.

 Contudo, uma minoria de 2% perversa consegue impor o mal.

🎃

 A humanidade alcançou desenvolvimento tecnológico capaz de proporcionar conforto, qualidade de vida, saúde e bem estar a toda população do planeta.

  Por que o bem estar não acontece?

 🤔🇺🇳🆘🇧🇷

 Porque os 2% psicopatas conseguem criar e manter uma entourage de ativista do mal, cada um pingando uma gota de falsidade.

💧

 Uma gota de falsidade parece inofensiva.

😇 

 Sobretudo quando apoiada em uma "boa intenção".

👹

 As boas intenções pavimentam o caminho do inferno.

 O que precisa ser avaliado são as consequências.

👿

 O ativista do mal é um pateta pois acredita ser do bem.

 Observe as intensas contradições dos ativistas do mal.

  Tanto os de esquerda como quem se rotula de liberal são ativistas da falsidade, arautos do falso humanismo.

🤡 

  O ativista considera a palmada um crime hediondo mas defende o aborto.

🇮🇱

 Alguns odeiam os judeus e querem a destruição do Estado de Israel, mas fazem campanha contra o racismo e preconceitos, embora xinguem o adversário de nazista.

🛐

 Alguns se acham espiritualistas e frequentam templos, cultos, igrejas e centros espirituais mas nada fazem nem dizem contra o genocídio cristão: 

🆘✝️

 Mais de cem milhões de cristãos têm sido assassinados todo ano! Os dados são alarmantes mas você não os verá na grande mídia porque os anunciantes, leia-se as mega corporações, querem manter isso escondido.

 A guerra contra os valores judaicos cristãos é ocultada. Confira a compilação http://bit.ly/islamis-socialismo

😈

 Os psicoPaTetas protestam quando morre um traficante. Contudo, acham normal, alguns até festejam, quando um policial é assassinado.

👨‍✈️ 

 O psicoPaTeta não se importa em destruir vidas se for importante para a causa com a qual está comprometido e, entretanto, se acha um guerreiro do bem.

💸

 Faz gritaria pelos centavos da passagem de ônibus e ignora a roubalheira bilionária da Petrobras, BNDS, Itaipu, etc confira http://bit.ly/Avaaz-NOM

💳

 Prega a estatização do financiamento eleitoral, acha normal o governo gastar milhões com publicidade, mesmo retirando dinheiro da educação; contudo, protestou como se fosse o fim do mundo quando 10% das verbas foram contingenciadas no inicio de 2019: http://bit.ly/fraudensino

🇨🇺

 Ignora o fato do PIB per capita da Coreia do Sul 🇰🇷 ser 18 vezes maior do que o da outra metade, do Norte, comunista; aliás, é imune à óbvia e lógica conclusão - comprovar a ineficácia da falácia esquerdista. Afirma ser melhor viver na pretensamente igualitária Coreia do Norte 🇰🇵, com PIB de 1,8 mil dólares, do que na 🇰🇷 do Sul, cujo PIB de 32 mil dólares.

🇩🇪 🇮🇹 

 Ignora os fatos mais importantes da história mas se acha capaz de decidir o futuro.  Ignora nazismo e fascismo serem regimes de esquerda. Aliás, xinga quem discordar dele de ser fascista, embora idolatre comunistas desumanos, genocidas, que exterminaram covardemente indefesos, chacinaram populações inteiras, dezenas de vezes mais assassinos do que Hitler!

🌈 

 O psicoPaTeta aplaude o movimento gay no Brasil mas, contraditoriamente, apoia o regime cubano e outros onde há campos de concentração para homossexuais, onde discriminam e exterminam os gays.

👩🏼 

 O psicoPaTeta aplaude o feminismo mas, paradoxalmente, apoia radicalismo e o islamismo que oprime, escraviza e trata as mulheres como gado, que o homem pode matar http://bit.ly/feminaze

🛠

 Acredita em governo grátis, mesmo quando o País trabalha até maio só para pagar os impostos http://bit.ly/escravizacao

⚖️

 Também acusa de entreguista, mas nada reclama no PT doar bilhões a países alinhados com a esquerda e às empresas do "Mecanismo" http://bit.ly/BNDs

🐶

 É apologista da proteção dos animais mas faz vistas grossas ao sofrimento humano e às mortes causadas pela corrupção.

🙃

 Acha normal bandido ostentar fuzil, metralhadora e armas de guerra, nega haver perigo nisso e diz ser perigoso o cidadão honesto aprovado em testes práticos e exame psicológico poder ter arma para sua defesa. Recusa o fato dos locais onde a população está legalmente capacitada a usar armas, como a Suíça🇨🇭, serem os mais seguros. Acha-se saber tudo mas ignora os dados como mostra o http://bit.ly/impunidade-aumenta 

💰

 Chama empresário de sonegador e passou mais de um ano falando no Queiroz, repetindo fake news, tentando demonizar o http://bit.ly/flaviobolsonaro querendo atingir o presidente, contudo, aceita a maquiagem fiscal da Dilma e acha normal os estatutos das dezenas de partidos criados pelo globalismo para dividir a população, cobrarem pedágio de quem possui cargo comissionado http://bit.ly/comunista-FHC

🙈

 Diz odiar a censura; contudo, quer o controle social da mídia e a criação de CPMI contra postagens, embora o seu candidato tenha sido condenado por propagar notícias falsas http://bit.ly/espiral-silencio

👹

 Faz de tudo e mais um pouco para acabar com a família e a igreja, certamente por serem os principais focos de resistência ao globalismo e ao falso-humanismo.

🔪

 Chama o caso http://bit.ly/celsodaniel de "crime comum" e caçoa do atentado contra o então candidato a Presidente; contudo, escandalizou-se com a morte de uma vereadora do Psol e passou um ano acusando Bolsonaro. Quando as investigações apontam os verdadeiros culpados serem da própria bandidagem de esquerda, para de pedir punição dos culpados e nem se arrepende de ter passado um ano lutando por mentiras.

🤑

 Quando alguém é atingido por bala perdida, idolatra a vítima e SEMPRE coloca a culpa na polícia, mesmo que os disparos sejam dos traficantes. 

👮‍♀️

 Quer desarmar as pessoas decentes enquanto solta os bandidos e diz lutar pela paz http://bit.ly/impunidade-aumenta

😰

 Acusam Bolsonaro de ser apologista do estupro apesar dele ser o autor do projeto transformando em esse crime em hediondo; os psicoPaTetas idolatram quem defendeu o estupro de Rachel Sheherazade e há quem zomba da violência sexual sofrida (quando criança) pela ministra Damares.

🔫

 Afirmam marmanjos de 16 anos não poderem ser punidos quando cometem crimes e - contradição extrema - querem crianças podendo decidir mutilar os seus corpos para trocar de sexo: http://bit.ly/i-genero

🤮

🧨

 Os psicoPaTetas chegam a odiar os seus parentes e amigos l quando a não votam no seu candidato.

 O atual Presidente recebeu um país saqueado, exaurido, violentado – mas para o psicoPaTeta o problema é o Bolsonaro.

 O psicoPaTeta é um esquizofrênico incapaz de perceber como o país melhorou http://bit.ly/pbolsonaro

😡

 O ativista é contra Bolsonaro e outros patriotas mas não vê problema algum em Sarney, Collor, Itamar, FHC e suas corjas de ladrões.

 Sarney entregou o monopólio do crédito aos banqueiros com a MP 143/Lei 8.009. Confira os 7 artigos sobre isso em http://bit.ly/lei8009

 Sarney m afundou o país na pior inflação da história humana em tempos de estabilidade institucional. Além de ser o mais caro dos impostos como demonstra o artigo "Porque existe inflação" publicado em 8 jornais e revistas e também disponível no blog, a inflação camufla os milionários desvios de dinheiro: http://bit.ly/inflacao-imposto

🤢

 Collor congelou todo o dinheiro a pretexto de conter a inflação. Mentira: era para acabar com a liquidez e gerar uma crise vantajosa para os poderosos.

 Em toda crise, os mega agiotas do globalismo compram mercados, empresas e outros bens por uma pequena fração do seu valor.

🤖

 FHC acabou com o ensino de qualidade, fez acordos danosos ao país e entregou o patrimônio público a preço de banana madura em fim de feira.

 As ações preferenciais da Ciª Vale do Rio Doce, segunda maior mineradora do mundo, foram entregues por tão pouco que revelou-se inferior ao lucro anual da empresa.

 Ainda hoje, há 35 ações para anular essa venda, contudo, paralisadas no STF aparelhado: http://bit.ly/comunista-FHC

 A lucratividade era tanta que o PT comprou as ações e, depois, alterou o estatuto para assumir o controle acionário.

  A tragédia de Brumadinho ocorreu em uma grande empresa do PT, num estado governado pelo PT, portanto, "fiscal" dos riscos ao meio ambiente. Mas a culpa é do Bolsonaro!

  Vou parar aqui porque um relato, ainda que superficial e apenas referindo rapidamente as falcatruas do globalismo, demandaria semanas!

🤮

 As pautas globalistas são criadas por psicopatas. São operacionalizadas por sua entourage, composta por safados-corruptos e legiões de ativistas .

🤪

 Todo ativista apresenta intensas contradições, sintoma de uma consciência entorpecida e alheia à realidade.

 Apresentam imunidade cognitiva recusando perceber qualquer coisa contrária às suas falsas crenças.

 Essa esquizofrenia é induzida por psicopatas dissimulados, fingem ser do bem, manipulando a pessoa até a controlar como se fosse um boneco.

 Por isso, na Teoria Transdisciplinar, o marionete de psicopata é chamado de psicopateta.

🤪

 O psicopateta é alienado ao ponto de não perceber a contradição entre o que prega e o que faz!

😳

 Pior:    nunca perdoa quem combate as pautas globalistas, mas vive repetindo o mais importante ser o amor.

 😱

 Faz sentido?

 Felizmente, 2019 foi a Data Limite para tolerarmos isso!

  2️⃣0️⃣2️⃣0️⃣ muda tudo!

 Como acabar com a psicopatetice? 

 Confira o🔖 em http://bit.ly/qsnos



                               

 🆘🇧🇷 Procuradoria Geral da República enviou ao STF um pedido de Inquérito devido à Notitia Criminis em fatos narrados pelo então Ministro da Justiça Sergio Moro

https://lnkd.in/e4V5iii

Pronunciamento do Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Fernando Moro, iniciado às 11h00 do dia 24 de abril de 2020 , no auditório Tancredo Neves, localizado no Palácio da Justiça, edifício-sede do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Na ocasião, o titular da pasta, ao tornar pública a sua exoneração do cargo, deu declarações cujo teor é transcrito abaixo:


Eu queria lamentar esse evento na data de hoje, nós estamos passando por uma pandemia do Conid-9, ontem uma informação lamentável de 407 óbitos, então durante essa pandemia infelizmente tendo que realizar esse evento. Busquei ao máximo evitar que isso acontecesse, mas foi inevitável então peço a compreensão de todos pelas circunstâncias adversas mas não foi por minha opção.

Queria fazer algumas reflexões gerais para poder justificar minhas decisões. Antes de assumir o cargo como ministro eu fui juiz federal por 22 anos, tive diversos casos criminais relevantes, e desde 2014 em particular tivemos a operação lava jato que mudou o patamar de combate a corrupção no país. Claro que existe muito a ser feito, mas aquela grande corrupção que em geral era impune, esse cenário foi modificado. Isso foi um trabalho do judiciário, do ministério público, de outros órgãos, e na parte de investigação, principalmente da Polícia Federal. Desde 2014, sempre tive uma preocupação constante de uma interferência do Executivo na investigação, e isso poderia ser feito de diversas formas, como na troca de diretor-geral sem justa causa, troca de superintendente.

Tivemos no início da Lava Jato o superintendente Rosalvo Ferreira, que convidei pro ministrrio. Depois foi sucedido pelo superintendente Valeixo. Houve a substituição mas ela foi pela aposentadoria do dr Rosalvo e foi garantida a autonomia da Polícia Federal durante as investigações. O governo da época (Dilma Roussef, PT) tinha inúmeros defeitos, crimes de corrupção, mas foi fundamental a manutenção da autonomia da PF para que fosse possível realizar este trabalho. Seja de bom grado ou seja pela pressão da sociedade essa autonomia foi mantida e isso permitiu que os resultados fossem alcançados. Isso até é um ilustrativo da importância de garantir estado de direito,autonomia das instituições de controle e de investigação.

Lembrando atr um episódio que num domingo qualquer, lembro que Valeixo recebeu uma ordem de soltura ilegal do ex-presidente Lula, condenado por corrupção e preso, emitida por um juiz incompetente. Foi graças a autonomia de Valeixo que ele comunicou as autoridades e foi possível rever essa ordem de prisão ilegal, antes que ela fosse executada, a demonstrar o empenho dessas autoridades e a importância da autonomia das organizaçxes de controle

No fm de 2018,, recebi convite de Bolsonaro, recrm-eleito. Fui convidado a ser ministro da Justiça e Segurança Pública. Foi conversado no 1o de novembro que teríamos o compromisso com o combate à corrupção, crime organizado e criminalidade violenta. Inclusive foi-me prometido carta branca para nomear todos os assessores como a PRF e a PF.

Na ocasião, foi divulgado equivocadamente que eu teria estabelecido como condição uma nomeação ao STF. Isso nunca aconteceu. Eu realmente assumi o cargo, mas a ideia era buscar num nível de formulação de políticas públicas, numa alta posição no Executivo de aprofundar o combate à corrupção e levar maior efetividade em relação à criminalidade violenta e ao crime organizado.

Tem uma única condição que coloquei, que revelo agora, eu disse que como eu estava abandonando minha carreira de 22 anos da magistratura e contribui 22 para a previdência e pedi que se algo me acontecesse, que minha família não ficasse desamparada sem uma pensão. Foi a única condição que coloquei para assumir a posição no Ministério.

O presidente concordou com todos os compromissos. Falou que me daria carta branca. Eu já tinha uma expertise por trabalhar com polícia, como juiz evidentemente, e aceitei com o intento de fazer com que as coisas evoluíssem. Na época , minha avaliação r que a aceitação ao convite tinha sido bem aceito pela sociedade. Também me vi como, estando no governo, como também um garantidor. Claro que existem outras instituições, como o judiciário, o STF, o Ministério Público, mas entendi que, pelo meu passado como juiz e meu compromisso com o estado de direito, eu poderia ser um garantidor da lei e da imparcialidade e autonomia dessas instituições.

Dentro do ministério, a palavra norte tem sido integração. Atuamos próximos das forças de segurança estaduais e até municipais. Trabalhamos duro contra a criminalidade organizada. Não houve um combate tão efetivo como nesta gestão. Trabalhamos com os governos estaduais, não contra.

Ouso aqui dizer que não houve um combate tão efetivo à criminalidade organizada como nessa gestão trabalhando com os governos estaduais. Tivemos o caso da transferência e isolamento das lideranças do PCC, a prisão de um líder foragido há 20 anos, recorde de apreensão de drogas. Feito pela PF, PRF, força nacional. Também houve recorde de destruição de plantações de maconha no Paraguai, além de número expressivo de apreensões de produtos do crime. Buscamos fortalecer a PF e a PRF, com ampliação dos concursos. Empregamos a força nacional, instituição que ao meu ver deveria ser fortalecida.

Criamos o SIOP – secretaria de operações integradas -, nessa linha de fortalecer a integração, que desenvolveu o programa hórus e vigia, que trata do controle de fronteiras. investimos em inteligência, com os centros de fusão. Várias outras áreas do Ministério da Justiça tiveram um bom ganho de efetividade, área de consumidor, imigração, Senajus.

No momento, o ministério está voltando ao enfrentamento da pandemia. Isso prejudicou um pouco os planos em curso embora eles continuassem. Mas estamos cuidando de epis, vacinação, atenção às forças de segurança, de coordenação, de preocupação com o plano nacional de segurança.

Enquanto o Coaf esteve no ministério da justiça, e não pedi que o Coaf viesse, mas foi proposto que ele fosse colocado na estrutura, e nós o fortalecemos. Depois acabou sendo transferido mas a estrutura fortalecida se manteve.

Tivemos o projeto de lei anti crime, que foi a principal mudança legislativa durante o nosso período de gestão. O projeto poderia ter avanços maiores, mas na minha avaliação representou um grande avanço.

Lembro aqui de uma campanha motivacional que tivemos logo no início para nossos servidores e o tema era “faça a coisa certa sempre”. Então esse sempre foi o mote do Ministério, faça a coisa certa, não importa as circunstâncias, arque com as consequências. Isso faz parte. Acho que com tudo isso conseguimos resultados expressivos, como as de combate ao crime organizado, mas tivemos uma redução da criminalidade em 2019 sem precedentes de -19% de assassinatos. Outros crimes também caíram. Mais de 10 mil brasileiros deixaram de ser assassinados. Claro, r um resultado compartilhado com estados e municípios. A proposta no MJSP sempre foi integração, não importa o resultado. Mas me deixa muito feliz que tivemos resultado assim tão positivos para a queda de violência. Claro que temos que melhorar muito mas isso r um trabalho permanente e duradouro.

Em todos esse período tive apoio o presidente em vários desses projetos, outros nem tanto, mas a partir do segundo semestre do ano passado passou a haver uma insistência do presidente da troca do comando da Polícia Federal. Isso inclusive foi declarado publicamente. Houve primeiro o desejo de trocar o superintendente do Rio. Sinceramente não havia nenhum motivo para essa mudança. Mas conversando com o superintendente, ele queria sair do cargo por questões pessoais. Então nesse cenário concordamos eu e o diretor geral em promover essa troca com uma substituição técnica, de um indicado da polícia.

É preciso que fazer uma referência, eu não indico superintendentes. A única pessoa que indiquei foi o diretor Maurício Valeixo. Não r meu papel fazer a minha indicação de superintendentes. Sempre tenho dado autonomia a minha equipe para que eles façam as melhores escolhas, assim se valoriza a equipe e as escolhas tecnicas.

Eu tinha notícia quando assumi de que pelo menos havia rumores de que a PRF tinha algumas superintendências por indicações políticas. Escolhi o diretor geral, ele pode testemunhar o que eu disse pra ele. Foi ‘escolha tecnicamente, o que não é aceitável são essas indicações políticas’. Claro que existem indicações positivas, mas quando se começam a preencher esses cargos técnicos principalmente de polícia, com questões político partidárias, realmente o resultado não é bom para a corporação inclusive.

O presidente no entanto também passou a insistir na troca do diretor geral. Eu sempre disse, ‘presidente não tem nenhum problema em trocar o diretor-geral, mas preciso de uma causa’ e uma causa normalmente relacionada a insuficiência de desempenho, um erro grave. No entanto o que eu vi durante esse período e até pelo histórico do diretor que é um trabalho bem feito.

Várias operações importantes, combate ao crime organizado e corrupção. Poderiam ter até mais operações, mas normalmente elas maturam algum tempo e no ano passado ficamos quatro meses sem poder movimentar inquéritos de lavagem de dinheiro. Mas o trabalho vinha sido feito.

Não é uma questão do nome. Tem outros bons nomes para assumir o cargo de diretor da PF. Há outros delegados igualmente competentes. O grande problema de realizar essa troca r que haveria uma violação de uma promessa que me foi feita, de que eu teria carta branca. Em segundo lugar não haveria causa para essa substituição e estaria claro que estaria havendo ali uma interferência política na polícia federal, o que gera um abalo da credibilidade não minha, mas minha também, mas do governo e do compromisso maior que temos que ter com a lei. E tem um impacto também na própria efetividade da polícia federal, ia gerar uma desorganização. Não aconteceu durante a Lava Jato, a despeito de todos os problemas de corrupção dos governos anteriores. Houve até um episódio que foi nomeado um diretor no passado, com intuito de interferência política e não deu certo ficou pouco mais de três meses a própria instituição rejeitou essa possibilidade.

O problema é que nas conversas com o presidente e isso ele me disse expressamente, que o problema não é só a troca do diretor-geral. Haveria intenção de trocar superintendentes, novamente o do rio, outros provavelmente viriam em seguida como o de Pernambuco, sem que fosse me apresentado uma razão para realizar esses tipos de substituições que fossem aceitáveis.

Dialoguei muito tempo, busquei postergar essa decisão, às vezes até sinalizando que poderia concordar no futuro. Atr num primeiro momento pensando que poderia ser feito, mas cada vez mais me veio a sinalização de que seria um grande equívoco realizar essa substituição

Ontem conversei com o presidente houve essa insistência. Falei que seria uma interferência política. Ele disse que seria mesmo. Falei que isso teria um impacto pra todos que seria negativo. mas para evitar uma crise durante uma pandemia, não tenho vocação para carbonário, muito pelo contrário acho que o momento é inapropriado para isso eu sinalizei então vamos substituir o Valeixo por alguém que represente a continuidade dos trabalhos, alguém com perfl absolutamente técnico e que fosse uma sugestão minha também, mas na verdade nem minha, da polícia federal. Eu sinalizei com o nome do atual diretor executivo, Disney Rosseti. Nem tenho uma grande familiaridade, mas é uma pessoa de carreira de confiança. E como falei essas questões não são pessoais, tem que ser decididas tecnicamente. Fiz essa sinalização, mas não obtive resposta.

O presidente tem preferência por alguns nomes que seriam da indicação dele, não sei qual vai ser a escolha. Foi ventilado o nome de um delegado que passou mais tempo no congresso do que na ativa. Foi indicado o nome do atual diretor da Abin que é até um bom nome dentro da Polícia Federal. Mas o grande problema r que não são tanto essa questão de quem colocar, mas sim porque trocar e permitir que seja feita a interferência política na PF.

O presidente me disse mais de uma vez, expressamente, que queria ter uma pessoa do contato pessoal dele que ele pudesse ligar, colher informações, colher relatórios de inteligência, seja diretor-geral, superintendente e realmente não é o papel da polícia federal prestar esse tipo de informação. As investigações tem que ser preservadas. Imaginem se durante a própria lava jato, o ministro, diretor-geral ou a então presidente Dilma ficarem ligando para o superintendente em Curitiba para colher informações sobre as investigações em andamento. A autonomia da PF como um respeito a aplicação a lei seja a quem for isso é um valor fundamental que temos que preservar dentro de um estado de direito

O presidente me disse isso expressamente, ele pode ou não confirmar, mas é algo que realmente não entendi apropriado. Então o grande problema não é quem entra mas porque alguém entra. e se esse alguém, a corporação aceitando substituição do atual direto, com o impacto que isso vai ter na corporação, não consegue dizer não pro presidente a uma proposta dessa espécie, fco na dúvida se vai conseguir dizer não em relação a outros temas.

Há uma possibilidade que Valeixo gostaria de sair, mas isso não é totalmente verdadeiro. O ápice de qualquer delegado da PF é a direção geral. E ele entrou com uma missão. Claro que depois de tantas pressões para que saísse, ele de fato manifestou a mim ‘olha talvez seja melhor eu sair para diminuir essa cisma e nós conseguimos realizar uma substituição adequada’, mas nunca isso voluntariamente, mas decorrente dessa pressão que não é apropriada.

O presidente também me informou que tinha preocupação com inquéritos em curso no STF e que a troca também seria oportuna da Polícia Federal por esse motivo. Também não é uma razão que justifique a substituição e é até algo que gera uma grande preocupação.

Enfim, eu sinto que tenho o dever de tentar proteger a pf e por esses motivos, ainda busquei uma solução alternativa para evitar uma crise política durante a pandemia. acho que o foco deveria ser o combate a pandemia, mas entendi que não poderia deixar de lado esse meu compromisso com o estado de direito.

A exoneração fiquei sabendo pelo DOU. Não assinei esse decreto. Em nenhum momento isso foi trazido ou o diretor geral apresentou um pedido formal de exoneração. Depois me comunicou que ontem a noite recebeu uma ligação dizendo que ia sair a exoneração a pedido, e se ele concordava. Ele disse ‘ como é que vou concordar com alguma coisa, vou fazer o que’. O fato é que não existe nenhum pedido que foi feito de maneira formal. Sinceramente fui surpreendido, achei que foi ofensivo a via que depois a Secom informou que houve essa exoneração a pedido mas isso de fato não é verdadeiro.

Para mim esse último ato éuma sinalização de que o presidente me quer fora do cargo porque essa precipitação na exoneração não vejo muita justificativa.

De todo modo, meu entendimento foi que não tinha como aceitar essa substituição. Há uma questão envolvida da minha biografia como juiz, de respeito à lei, ao estado de direito, à impessoalidade no trato das coisas do governo. Seria um tiro na lava jato se houvesse substituição de delegados, superintendentes naquela ocasião. Então eu não me senti confortável. Tenho que preservar minha biografa, mas também o compromisso que assumi inicialmente, de que sejamos firmes no combate a corrupção, ao crime organizado e à criminalidade violenta. E o pressuposto a isso é que nós temos que garantir o respeito à lei e à própria autonomia da Polícia Federal contra interferências políticas

O presidente indica o diretor-geral, ele tem essa competência, mas assumiu um compromisso comigo de que seria uma escolha técnica que eu faria. O trabalho vem sendo realizado, e o diretor-geral poderia ser alterado desde que houvesse uma causa consistente. Não tendo essa causa consistente e percebendo que essa interferência política pode levar a relaçxes impróprias entre o diretor-geral, o superintendentes para com o presidente da república e ai que não posso concordar.

De todo modo agradeço ao presidente, fui fel ao compromisso que tivemos e acho que estou sendo fel no atual momento. No futuro, vou começar a empacotar minhas coisas e providenciar o encaminhamento da minha carta de demissão. Eu infelizmente não tenho como persistir com o compromisso que assumi sem que eu tenha condiçxes de trabalho, de preservar a autonomia da Polícia Federal para realizar seu trabalhos ou sendo forçado a sinalizar uma concordância com uma interferência política na polícia federal cujos resultados são imprevisíveis.

Espero que independentemente da minha saída seja feita a escolha – quem sabe atr a própria manutenção do diretor sendo que não existe pedido de exoneração, mas não havendo essa possibilidade que seja feita uma escolha trcnica sem preferências pessoais que seja indicado algurm que possa realizar um trabalho autônomo e independente também a instituição vai tambrm resistir a qualquer espécie de interferência política e algurm que não concorde em trocar superintendente delegados por motivos não justificados

Sobre o meu futuro pessoal, abandonei 22 anos de magistratura. Infelizmente é um caminho sem volta, mas quando assumi sabia dos riscos. Vou descansar um pouco. nesses 22 anos foram muito trabalho, em especial durante a lava jato não tive descanso, nem durante o cargo no ministério. vou procurar mais adiante a um emprego, não enriqueci no serviço público nem como juiz nem como ministro e quero dizer que independentemente de onde eu esteja sempre vou estar a disposição do país para ajudar. Enfim sempre respeitando o mandamento do ministério da justiça e segurança pública nessa gestão que é fazer a coisa certa sempre.”


A dimensão dos episódios narrados, especialmente os trechos destacados, revela a declaração de Ministro de Estado de atos que revelariam a prática de ilícitos, imputando a sua prática ao Presidente da República o que, de outra sorte, poderia caracterizar igualmente o crime de denunciação caluniosa.


Dos fatos noticiados, vislumbra-se, em tese, a tipificação de delitos como os de falsidade ideológica (art. 299 do Código Penal), coação no curso do processo (art. 344 do CP), advocacia administrativa (art. 321 do CP), prevaricação (art. 319 do CP), obstrução de Justiça (art.1º, §2º, da Lei 12.850/2013) corrupção passiva privilegiada (art. 317, §2º, do CP) ou mesmo denunciação caluniosa (art. 319 do Código Penal), além de crimes contra a honra (arts. 138 a 140 do CP).


Para tanto, indica-se, como diligência inicial, a oitiva de Sérgio Fernando Moro, a fim de que apresente manifestação detalhada sobre os termos do pronunciamento, com a exibição de documentação idônea que eventualmente possua acerca dos eventos em questão.


Instaurado o inquérito, e na certeza da diligência policial para o não perecimento de elementos probatórios, o PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA reserva-se para acompanhar o apuratório e, se for o caso, oferecer denúncia.

Brasília, 24 de abril de 2020.

Augusto Aras

Procurador-Geral da República



👇🏼👆🏼

 Alguns fatos sobre o trabalho do Sergio Moro enquanto juiz federal.

 - Anulou todas as sentenças do caso Banestado, um desvio de mais de 500 bilhões onde apenas tucanos (políticos do PSDB) estavam envolvidos.

- Anulou as perguntas de Cunha a Temer, dizendo ele estar constrangendo o presidente.

- Tinha todas as provas contra Andrea Neves, a irmã de Aécio, desde 2015, e não a prendeu ou sequer pediu investigação; ela foi presa pelo STF.

- Absolveu a mulher de Eduardo Cunha ignorando as contas na Suíça e o parecer do MP suíço dizendo ela ser quem as operava.

- Absolveu a mulher de Cabral, mesmo ela comprovadamente sendo a líder de um esquema comprando juízes e promotores, tendo comprado mansões e mais de 11 milhões em joias.

- Quase 4 anos de Lava Jato, nunca prendeu, condenou nem sequer indiciou nenhum tucano.

- Ignorou vídeo de ex-presidente do PSDB pedindo 10 milhões em propinas e o absolveu por "falta de provas".

- Diminuiu em 90% a pena de bandidos que delataram Lula, como Léo Pinheiro, Roberto Duque, etc. Mas só se delatar Lula.

- Soltou Yousseff duas vezes e diminuiu a pena dele, no caso Banestado, de 121 anos para apenas um ano.

- Quando descobriu o maior desvio da Lava Jato, os 16 Bilhões da Refinaria Abreu e Lima em Pernambuco, envolver somente o PSDB, PP e PSB, Moro atribuiu a culpa a defuntos e realizou um julgamento, no dia 22 de abril de 2015, em absoluto segredo, implicando apenas uns gatos pingados, sem citar nenhum político, dando o caso por encerrado.

 A imprensa, pilotada pelos controladores do globalismo, tudo ocultou.

⚖️

🆘🇧🇷🤔MORO, O CALCULISTA:

 fez muito mais para combater a corrupção como juiz da Lava Jato no Paraná do que como Ministro da justiça. Com a sua saída, houve na prática uma retração das ações.

 No ministério, nestes 14 meses, e tendo o comando da Polícia Federal, que grande ações de combate à corrupção foram feitas?

📣

As redes sociais da primeira dama da Lava Jato é o espelho da vaidade do casal. Aliás, este é um dos poucos pecados capitais do agora ex-ministro.

🚨

Os seus bastidores e forma agir fora dos holofotes foram revelados depois pelo The Intercept Brasil. O conteúdo foi duro e respaldou tudo que vinha sendo levantado pela esquerda saqueadora.

🙏

Leia mais em:

https://www.jornalcorreiodamanha.com.br/coluna-magnavita/1747-coluna-magnavita-moro-o-calculista

Aaaaaahttp://docs.google.com/document/d/1bMcIUucOEKsoriHRuzGnc1LQItTYeQgpkd1pZ5mcMMo/pub

Correio da Manhã 24 de abril de 2020

MORO, O CALCULISTA

Por Cláudio Magnavita *

Quando o então juiz Sergio Moro resolveu deixar 20 anos de magistratura e aceitar um cargo em um governo eleito por uma onda de direita, que ele próprio ajudou criar, sabia bem onde estava se metendo.


O convite foi aceito por representar um degrau, ou melhor, uma verdadeira escadaria ao Olimpo do poder. Deixou o aquário em que estava confinado em Curitiba, com uma imagem pública muito maior do que a função que ocupava, para o primeiro escalão do Governo Federal. Sem dúvida um degrau importante .


Neste caso há um paradoxo: ele fez muito mais para combater a corrupção como juiz da Lava Jato no Paraná do que como Ministro da justiça. Com a sua saída, houve na prática uma retração das ações. No ministério, nestes 14 meses, e tendo o comando da Polícia Federal, que grande ações de combate à corrupção foram feitas?


O clima do lavajatismo foi fundamental para a eleição do Bolsonaro. Indiretamente, Moro foi seu principal eleitor. Para quem quiser conhecer realmente Sérgio Moro é só seguir as redes sociais da sua esposa, Rosangela. Esta tudo lá, ou estava. A postagem de apoio ao Mandetta foi apagada, por exemplo.


As redes sociais da primeira dama da Laja Jato é o espelho da vaidade do casal. Aliás, este um dos poucos pecados capitais do agora ex-ministro.


Os seus bastidores e forma agir fora dos holofotes foram revelados depois pelo The Intercept Brasil. O conteúdo foi duro e respaldou tudo que vinha sendo levantado pela esquerda saqueadora.


Por duas vezes, Moro detonou a candidatura de Lula: quando vazou o áudio da nomeação do ex-presidente para a Casa Civil, o que lhe daria foro privilegiado, e quando, como confessou agora na coletiva da sua demissão , o superintendente da Polícia Federal desacatou a ordem de liberar Lula, expedida por um juiz, classificado na mesma coletiva por Moro ser incompetentemente. Foi uma manobra que manteve o candidato preso.


Para o casal Sérgio Moro, os próximos passos são previsíveis, como o sub-texto das suas sentenças nas quais mandava mensagens subliminares e certeiras. Técnica que usou agora na sua fala para acertar flechas verbais no Presidente. Tudo medido e minuciosamente pensado, inclusive nos desdobramentos jurídicos e políticos.


Apesar de terminar dizendo que vai procurar emprego, ele vai aceitar um dos inúmeros convites que possui para lecionar no exterior e ganhar dinheiro honestamente fazendo palestras, aliás como Lula fazia e o procurador Dellagnol resolveu fazer. Vai fazer um pé de meia de R$ 10 a 20 milhões, muito mais do que ganharia em toda uma vida como magistrado, e se preparar para 2022.


Ele sai no melhor momento que poderia sair. Com Bolsonaro em conflito com parte da mídia e com os presidentes da Câmara e do Congresso, e sufocado pelo descarrilhamento financeiro do Governo, causado pela pandemia. 


Busca agora novos degraus: o do enriquecimento lícito e o da disputa de 2022. Faz o contraponto ao presidente, ganha a simpatia da mídia de oposição. Assim, cada frase de efeito da coletiva foi pinçada pela GloboNews e estarão no Jornal Nacional etc.


O verdadeiro Sérgio Moro iremos conhecer no dia da assinatura da sua ficha de filiação partidária. Moro candidato é o pesadelo dos governadores João Dória e Wilson Witzel. O ex-juiz carioca vira imitação paraguaia junto de um Moro candidato.


O curioso é que, ao acusar o Presidente de querer saber detalhes de investigações e até acesso a relatórios de inteligência, o ex-ministro fala sobre práticas que o The Intercept Brasil revelou, e que ocorriam em Curitiba. Moro teve, como juiz e com seus homens de ouro, o comando e o acesso à Polícia federal que nenhum outro Ministro da Justiça possuiu.


Além de ter se colocado no mercado, dizendo que vai procurar emprego (ele tem direto a quarentena, como ex-ministro), de agradecer ao Presidente e, na frase final, quebrar a senha do futuro: "continuarei à disposição do país". Parte agora para os degraus mais importantes da sua vida. Passos milimetricamente calculados na trajetória de continuar a construir a imagem de herói nacional. Para ele estava na hora de sair, este Governo já lhe deu o que tinha de dar.


 BRENO LINTZ, promotor em Uberlândia: Com tristeza vejo a decisão tomada por Moro de expor situações com as quais ele tinha concordado. Nesses 30 anos de Ministério Público e mais 27 como filho de Juiz aprendi que o pior caráter é aquele que entrega os outros por atitudes que até um dia atrás lhes eram convenientes. Não custaria nada a ninguém sair de cabeça erguida e em silêncio 🤫.

Vou mandar duas mensagens muito importantes pra os eleitores de Bolsonaro. Ou para quem votou e se arrependeu.


A primeira mensagem: Resumindo o cenário atual, apesar das calúnias, difamações, do pessimismo e dos discursos negativos da oposição, o Brasil estava indo muito bem, o PIB aumentou, o juros teve queda histórica, a bolsa de valores teve altas históricas, a criminalidade diminuiu, o desemprego diminuiu, o salário aumentou, a economia cresceu, empresas e indústrias abrindo, promessas e posicionamentos políticos se cumprindo, e muito mais. De repente veio uma pandemia que trouxe uma crise de saúde, que gerou uma crise econômica que está gerando uma crise política. O cenário perfeito pra oposição deitar e rolar. Se antes eles criavam caso com um simples espirro agora uma exoneração de um ministro virou um escândalo nacional. Lembrando que nos governos anteriores ninguém sabia nem o que era um ministro, muito menos quem eles eram. Esses cargos sempre foram ocupados com politicagem, as escondidas e ninguém nunca reclamou de nada. Agora pela pressão da mídia e da oposição qualquer coisa que acontece no governo é transformada em um fim de mundo. Nesses últimos dias aconteceu o escândalo sobre a mudança do ministro da saúde, agora o escândalo sobre a mudança do diretor da PF e a demissão do ministro da justiça. Lembrando que a oposição nunca elogiou o presidente por ter nomeado nenhum desses ministros, muito menos elogiou algum desses ministros ou suas competências, pelo contrário, todos os ministros do governo eram taxados de loucos e incompetentes pela oposição. Sobre o diretor da PF nem se fala, ninguém nem sabe quem é nem nunca ouviu falar, mas agora virou a bola da vez. Ou seja, para oposição nenhum membro do governo nunca prestou, mas somente depois que qualquer um deles deixam o governo, de repente eles viram santos. Para a oposição, ainda ontem Moro era o golpista que prendeu o dito cujo inocente, mas a partir do momento que Moro deixou o cargo virou um herói, a mesma coisa aconteceu com o Mandetta. Ou seja, a oposição sempre vai ser do contra, eles sempre vão criar um discurso para tentar destruir Bolsonaro. Esses discursos hipócritas e tendenciosos da oposição já são esperados, mas vale a pena chamar atenção, não se deixe enganar por quem perdeu as eleições e perdeu o poder pra Bolsonaro, já é de se esperar que eles façam de tudo pra destruir Bolsonaro com o objetivo de voltar ao poder. Portanto Não se deixem enganar, o ideal é nem dar ouvidos as enganações da oposição, lembre-se que o objetivo deles é apenas destruir o atual governo na intenção de voltar ao poder.


A segunda mensagem: Vou tentar resumir um livro em uma página. Nunca se esqueça os motivos que fez você votar em Bolsonaro. Eu digo pra você eleitor, que escolheu ele principalmente pelas suas ideologias políticas. Vou citar algumas ideologias políticas dos candidatos da oposição que Bolsonaro veio para combater. A oposição é a favor do aborto, das drogas, da ideologia de gênero para crianças, a favor da causa LGBT, como foi visto nos últimos anos a disseminação dessas ideias, até mesmo usando dinheiro público para promover parada gay e produzir material didático infantil através do MEC para doutrinação homossexual de crianças. Nesse meio existe até mesmo políticas em defesa da pedofilia, querendo descaraterizar como crime, e colocar apenas um desvio psicológico. A oposição é contra a família tradicional, nos últimos anos até aqui já conseguiram mudar a constituição e já descaracterizaram a família tradicional, antes era homem, mulher e sua prole, pai e mãe, agora familia é qualquer coisa, e até os conceitos de pai e mãe eles querem destruir. Eles promovem lutas de classes, brancos contra negros, heteros contra gays, ricos contra pobres, homens contra mulheres, vide feminismo, e muitas outras coisas, é o "nós contra eles", usam o povo como massa de manobra, põe uns contra os outros com a estratégia de dividir para conquistar vide marxismo. Eles são contra os valores tradicionais da sociedade, são contra valores religiosos cristãos que é crença da maioria dos brasileiros. A oposição é contra polícia que é generalizada e taxada como agressores, corruptos e incompetentes. A oposição defende políticas a favor de bandidos, que são taxados como vítimas da sociedade, são a favor de políticas de desencarceramento, diminuição de pena, audiências de custódia para liberar bandidos até mesmo no ato da prisão, é o "prende e solta". A oposição é a favor de políticas de desarmamento da população, só bandidos podem andar armados, o cidadão não tem o direito de defesa da sua própria vida ou de defesa da sua família. A oposição é a favor da censura da mídia e da internet, contra a liberdade de expressão, vide marco civil da internet e propostas de campanha que incluíam regulação da mídia. A oposição não respeita o direito de propriedade privada, vide mst e mtst. A oposição é contra o capitalismo a favor do comunismo e socialismo, eles são contra o livre comércio. Eles são inimigos dos Estados Unidos e amigos de ditaduras esquerdistas como Cuba e Venezuela, são parceiros políticos dessas ditaduras e tem esses países de quinta categoria como referência para reproduzirem suas políticas no Brasil. Enfim, existem muitas outras coisas que poderiam ser ditas e o texto ficaria ainda maior, mas basta dizer que Bolsonaro tem uma ideologia política totalmente contrária a toda essa patifaria, ele veio para acabar com a festa dessa corja, por isso que eles estão tão empenhados em destruir Bolsonaro a todo custo para voltar ao poder. Eles são capazes de falar e de fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos mesquinhos na tentativa de voltar ao poder. Nunca se esqueça dos ideais políticos que Bolsonaro representa, não caia na lábia da oposição que vai falar e fazer de tudo para destruir a imagem do nosso presidente eleito democraticamente, eles perderam as eleições, e agora estão tentando virar o jogo, então não entre no jogo deles. E por mais que Bolsonaro erre, porque ele é humano e falho como qualquer outra pessoa, por mais que ele erre feio, muito feio mesmo, não entre no jogo deles. Na pior das hipóteses se Bolsonaro for tudo de ruim que eles dizem, mesmo assim seria menos pior do que todas essas ideologias nefastas que eles defendem e que tem destruído nossa nação. Lembre-se que tudo é importante, porém o mais importante no final das contas é a ideologia política que cada candidato defende. Uma ideologia política ruim pode tirar seu direito a liberdade de expressão, pode tirar seu direito de defesa da própria vida, pode até mesmo tirar a sua vida ou a vida de outros inocentes. Uma ideologia política ruim pode te alienar, te escravizar, pode tirar suas posses, tirar sua saúde, pode destruir a educação, a inocência e o futuro dos seus filhos, pode perseguir sua fé, seus ideais e sua liberdade de ir e vir. Uma ideologia política ruim pode fazer tudo isso e muito mais, por isso antes de cair na lábia da oposição e pensar em abandonar Bolsonaro, não se esqueça que outro vai ter que ocupar o lugar dele, e quem será? Pode ter certeza que os mesmos que lhe enganaram e lhe colocaram contra Bolsonaro vão estar prontos para voltar ao poder, e dessa vez com ódio e sede de vingança para nunca mais sair do poder. Nunca se deixe enganar por eles, as consequências podem ser muito graves. Vamos permanecer sóbrios, analisar as coisas com calma, não se deixar levar pelas emoções e pelos enganos, precisamos permanecer atentos e conscientes. Está dado o recado. Que Deus abençoe a todos.


Lembrando que essa mensagem é somente para os eleitores de Bolsonaro. Portanto não dê espaço para que a oposição mais uma vez se aproveite para vomitar suas difamações e discursos de ódio aqui também. Dessa vez não entre em debates vãos, se for preciso apague os comentários e apenas divulgue e essa mensagem.


A decadência:

 Sérgio Moro, até março de 2020, era um ícone na batalha contra a corrupção, respeitado por pessoas de bem e temido por marginais. Agora, praticamente virou uma caricatura, um símbolo de 'traição’.

 Em junho de 2020, Moro virou colunista em um dos veículos mais empenhado em fazer odiosos ataques contra o governo, o jornal O Globo.

 Moro é o mais novo integrante da 'mídia do ódio'.

 Na quarta-feira, 3/6/2020, a coluna do ex-ministro trouxe um artigo intitulado: “Contra o populismo”.

 Ao longo do texto, o ex-juiz da Lava Jato discorre sobre aspectos das acusações que ele fez contra o presidente Jair Bolsonaro.

 “Os órgãos policiais, por exemplo, encarregados de apurar crimes, por vezes, dos próprios governantes, não podem ficar sujeitos ao arbítrio do mandatário de ocasião”, escreveu Moro, atacando o governo:

 “O populismo, com lampejos autoritários, está escancarado. [...] Não há espaço, porém, para ameaçar o país invocando falso apoio das Forças Armadas para aventuras”, 

Sergio Moro foi muito mais ativo como Juiz do que como Ministro:

 Moro escreveu um livro sobre o Crime de Lavagem de Dinheiro, capa acima, e em pdfhttps://drive.google.com/file/d/1H-DCYVz1ELyHPZJo1kRfnC0Ri0VjQUzv/view?usp=sharing 

 Lula, apesar de toda a experiência em desconversar e mentir, torminou preso devido à capacidade do Juiz Sergio Moro, focado e, não obstante a pressão, num depoimento de 5 horas - pequeno pedaço do grande trabalho - conseguiu obter uma confissão de Lula.

  Os 8 segundos da confissão relativa à reforma na cozinha do sítio em Atibaia estão aqui https://vimeo.com/224540236 contextualizamos em 30 segundos destacados do depoimento de 5 horas em https://youtu.be/W6Ivx06yw1M

 Houve elegância pilotando os processos da Lava Jato. Muito diferente de sua conduta leniente com injustiças à frente do Ministério e, mais ainda, com a sua saída.

 Ante a importância geoestratégica do Brasil, esperava-se dele um protagonismo a frente de um importante Ministério em meio a uma intervenção branda, a conta gotas, despejando os bandidos e o crime organizado do poder.

A promessa dessa imagem não se concretizou!

    🆘🇧🇷 Lava Jato e Sergio Moro sob ataque terrorista:

 🤮Maio de 2019, o hacker israelense Tal Prihar foi preso em operação conjunta entre Polícia Federal e FBI. 

 O Hacker levantou U$15 milhões e, em Brasília, estava na antiga casa do Dirceu. Coincidência?

🤔

 Junho de 2019, site The Intercept Brasil, do jornalista Glenn Greenwald, amigo do presidiário Lula e dos goobalistas, divulga alegadas transcrições dos celulares de procuradores e juízes da maior operação de combate ao crime: https://theintercept.com/2019/06/12/chat-sergio-moro-deltan-dallagnol-lavajato


 Começam a circular imagens falsas como se fossem prints dos diálogos, contudo, adulteradas. Em algumas, a hora da postagem vem antes e não depois do nome

🗡

 Apenas 1h. - UMA HORA! - depois, os advogados do maior bandido deste país (Lula), querem soltar o seu cliente com base no fake news das adulterações das conversas ilegalmente divulgadas.

 Gente torcendo contra o Brasil, a favor da manutenção dos absurdos e roubos.

🤮

 Fake news e quem a promove precisa ser tratado como criminoso que é! No mínimo, distrai-nos para não atentarmos para o óbvio...

 🇧🇷🆘🇮🇱🇺🇸 

 Estamos lidando com gente "capaz de tudo e mais um pouco!"http://bit.ly/sergio-moro

  https://www.instagram.com/p/Bykfah2g1C6/?igshid=3yl5i7v8q23i

 Análise psiquiátrica das denúncias contra o MP-Dallagnol e Judiciário-Moro (editado sobre texto de Marcelo Caixeta, médico especialista em psiquiatria forense AmB\AbP) .


 “O Direito parte de um fato relacionado a um Valor.” Para crimes “simples”, os valores são simples. Para crimes complexos, há valores complexos (G. Radbruch, Filosofia do Direito, Ed. Martins Fontes; no mesmo sentido, a Ciência Política aplicada ao Direito, B. Ferreira, O Risco do Político, Ed UFMG) 


Um “Grande Esquema para roubar, esquerdizar e stalinizar o Brasil do  PT revelado na Operação Lava-Jato, é um crime altissimamente complexo, o mais intrincado que o país e, provavelmente, o mundo já viu.


Contudo, mediante a divulgação de pretensas conversas entre Moro e Dallagnol, a bandidagem pretende anular toda a complexidade, procuram inverter todos os valores, alegando, em nome da “Ética Jurídica”,  que: 

a) Moro “dava ordens” aos promotores;

b) Moro direcionava diligências;

c) Moro assumia funções investigativas;

d) Promotores tinham uma ligação visceral com o Juízo.


 Obviamente que eles falavam: não é possível  julgar uma criminalidade de tal envergadura e complexidade sem troca de informação e  atuação. 

 Tal “crise moralista” da mídia, políticos, certa parte esquerdista-estatizante da sociedade, é claramente hipócrita.

 Por que nunca questionaram as relações conhecidas de ministros do STF - ex. Gilmar Mendes, Tofolli, etc, confira http://bit.ly/mazelas - com partes interessadas, inclusive envolvendo trocas pecuniárias?  Essas relações são anti-republicanas e eivadas de conotações personalísticas. Incomparavelmente mais graves do que as trocas de informações entre Moro e Dallagnol nas quais, diga-se de passagem e frise-se porque é fundamental: nenhum deles auferiu lucro pecuniário direto ou indireto. 


 O complô em curso no Brasil utiliza-se do expediente sutil e pérfido do Direito: “Summum ius, summa iniuria”,  “excesso de Justiça, excesso de Injustiça”.

 Querem usar picuinhas, vírgulas e notas-de-rodapé jurídicos para anular dois expoentes do setor.  Dallagnol, Moro, e demais operadores da Lava-Jata, entenderam perfeitamente o “valor” dos  fatos jurídicos com que estavam lidando. Tinham plena consciência de lidarmos não com “ladrões-de-galinha”, sim com uma complexa rede do crime escondida na fachada de um partido e criada para sugar dinheiro do Estado e do empresariado para alimentar um Projeto Comunista de Poder.  


As transcrições dos diálogos,,sob o viés de técnico, isentos e não politiqueiro, nada demonstram do que querem inflamar.

 Moro não manda em promotores, não dirige investigações, não protege ou ataca ninguém, não aufere NENHUM ganho pessoal com nada. Está claramente armado um complô contra a moralidade estatal de Moro-Bolsonaro, pois esses representam, hoje, o “fim” do conúbio “políticos-empresários”, representam o “fim do Estado Esquerdista-Totalitário”, representam a defesa da Família, da Propriedade, de Deus. Os Esquerdistas querem mais Estado, a Mídia quer mais Dinheiro, os Funcionários querem mais Poder Burocrático, o Grande Empresariado quer mais Benesses, os Políticos querem mais brechas para serem alimentados pelo Grande Capital. Todos estão em polvorosa com o “plano de poder “BolsoNoro”, que, em última instância , redundaria em  menos poder ao Estado ( e todos seus chupins citados acima ) e mais poder para a Sociedade Civil zelosa de Deus\Família\Propriedade.   


A utilização de “picuinhas de leis” para anular um processo investigativo-jurídico-político da envergadura da Lava-Jato aproveita-se de uma “visão distorcida do Direito” que querem passar para a Sociedade : “de perto ninguém é honesto, nem Moro, nem Dallagnol”. Evidentemente, face à Selva de Leis em que se transformou o Brasil ( vide meu outro ensaio sobre as causas psicológicas da  hiper-judicialização do Brasil ), ninguém é “honesto”, ninguém está “cumprindo a Lei”. A calçada da casa do Moro deve estar irregular,  deve-lhe faltar, por exemplo, o “piso tátil”,  o carro do Dalagnol não deve estar parado a exatos 20 cm do meio-fio, ou ele deve, num dia desses , ter carregado sua filha sem a cadeirinha, etc, etc, blábláblá. 


Na Filosofia do Direito há vários princípios que não são observados por essas picuínhas, por exemplo, a proporcionalidade, a razoabilidade, o agravo doloso, etc.  Sub-repticiamente, o “complô” quer dizer o seguinte : “Moro-Dallagnol-Lava-Jato não podem ser efetores da Lei, pois são “fora-da-Lei”. Como se houvesse comensurabilidade , como se houvesse jeito de medir entre si, os valores da Lava-Jato com os valores de uma troca de zap tratando de  assuntos operativos inerentes à sua função profissional.  A valoração superior do Direito não pode apequenar-se diante desse tipo de subterfúgio. 


O Direito lida, antes de tudo, com Valores, não com regrinhas das vírgulas e dos rodapés. Assumir Valores Maiores pode ferir a "letra-miúda"  da "imparcialidade jurídica". Isso para os que não entendem que são os Valores que criam o Direito.  Isso para aqueles que  se utilizam da "letra-miúda" para anular o Grande Direito. Trocar umas pelas outras só pode ser fruto de mentes perdidas na  pequenez, ou , do que é pior, de  mentes engolfadas na mais sorrateira  perfídia. 


........ 

Sergio Moro no Roda Viva: https://www.youtube.com/watch?v=TydUsIB5qbY 



 Em 7/7/2018, aproveitando Sergio Moro estar em férias, um petista, tornado Desembargador por Lula, no plantão do TRF-4, mandou soltar o seu ex-chefe. Esse habeas porcus foi a 80° tentativa de soltar Lula. Seria cômico não fosse trágico causando vergonha perante o mundo jurídico. Esqueceram o juiz, assim como o policial (art. 301 CPP), sempre estarem incumbidos de suas missões, ainda quando em férias.

 O juiz petista devia se declarar suspeito de julgar casos de notório conflito de interesses por parentesco, afinidade política ou de negócios.

  Não fazê-lo é ilegalidade grave.

  Um juiz ser parcial é non sense, contudo, os paradoxos são resultados do marxismo, uma ideologia pregando a mentira como normal e uso de qualquer meio ilegal para acabar com os inimigos, isto é, todo aquele que não for do partido

 Segundo a Ministra Eliana Calmon, o comportamento ilegal e abusivo de juízes ignorando a sua própria falta de imparcialidade causa grave lesão à ordem jurídica. Assista os 3 minutos do vídeo aqui: https://vimeo.com/279086514 ou https://www.facebook.com/1769120210022545/posts/2113466848921211  https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6422552234759905280 

 Sergio Moro estancou a libertação do líder da maior quadrilha da história alertando a Polícia Federal a esperar o Relator do processo.

  O juiz petista prolatou uma segunda ordem de libertação.

 O Relator do processo ratificou a orientação de Moro à Polícia Federal expondo a ilegalidade da decisão do juiz petista. Este praticou um terceiro ato de parcialidade incluindo assinar um alvará de soltura.

 Como no final da Ópera Il Pagliacci, de Ruggero Leoncavallo, "... Enquanto a multidão recua horrorizada, o enlouquecido e exausto Canio fala: ´E finita la comedia´ ", a opereta da política nacional foi encerrada pelo Presidente do TRF logo após a Associação dos Juízes Federais criticar a ilegalidade dos atos do petista.

 No dia seguinte, foi interposto mais um habeas porcus. A presidente do STJ, Superior Tribunal de Justiça, Ministra Laurita Vaz, despachou elogiando Sergio Moro por agir de forma oportuna diante da “esdrúxula situação processual” criada pelo desembargador, notório petista, agindo ilegalmente.

  Alguém comprometido com ideologia pode ser juiz?

  Claro que não!

 A imparcialidade é a característica essencial e indispensável à jurisdição, definindo-a e a distinguindo da administração.

  As normas processuais estão repletas. Só no CPC, os verbetes impedimento, suspensão e imparcialidade aparecem 60 vezes, nos dispositivos vedando ao juiz atuar em processos com cujos objeto ou agentes tenham determinadas ligações.

 A imparcialidade é a condição mais essencial da Justiça. Confira: http://padilla-luiz.blogspot.com/2013/01/imparcialidade-jurisdicional-versus.html http://www.padilla.adv.br/teses/jurisdicao.htm e o e-book TGP aqui:  http://www.padilla.adv.br/processo/tgp 


 O que está por trás da comédia ou ópera bufa petista?

 Felizmente, as instituições puderam prosseguir funcionando porque Sergio Moro, como um bom faixa preta, possui o "estranho hábito de decidir com sensatez" recomendado por S. Tomaz de Aquino. Saiba mais aqui: “Desembargador e advogados petistas tentam soltar Lula de qualquer jeito!” Http://bit.ly/juiz-pt + http://bit.ly/ptadvogados  


Apoio à Lava jato pedido por Sergio Moro: https://instagram.com/p/


Honrarias dignificam o combate à corrupção:

Mestre Edson Suemitsu entrega relíquia ao Juiz Moro, faixa preta em karate e aikido https://youtu.be/jiYqGUXDZZI 

 A Universidade de Notre Dame honra o Juiz Sergio Moro: https://www.instagram.com/p/BZ5TdItlTaJ/  +  https://www.facebook.com/ProfessorPadilla/videos/1971453696455861/

"Moro desbanca presidentes norte-americanos em cerimônia nos EUA. O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos de primeira instância da Operação Lava Jato investigando os crimes de corrupção na Petrobras, é o orador cerimonial da 173ª turma de formatura da Universidade de Notre Dame, em South Bend, Indiana, Estados Unidos, no dia 20 de maio de 2018, no Estádio Notre Dame. Diversos presidentes norte-americanos, como Barack Obama, George W. Bush, George H. Bush e Ronald Reagan, foram oradores em edições anteriores da formatura, assim como os primeiros-ministros canadenses Lester Pearson e Pierre Trudeau; o primeiro-ministro da Irlanda Taoiseach Albert Reynolds; o presidente da Irlanda Mary McAleese; o secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan; além de outros líderes. O presidente da Universidade, reverendo John I. Jenkins, concedeu o Prêmio Notre Dame em cerimônia realizada em São Paulo, no dia 2 de outubro de 2017, afirmando o juiz paranaense ter os valores inspiradores para todos: “Foi um privilégio encontrar e conversar com o juiz Sérgio Moro no início de outubro. Constitui um claro exemplo de alguém vivenciando os valores que buscamos inspirar nos nossos estudantes. Estou grato ele ter aceito nosso convite e certo de que aportará observações valiosas para nossos formandos da classe de 2018. Sua mensagem sobre integridade e o estado de direito e o seu exemplo de corajosa busca pela justiça são enormemente necessárias em nossos tempos. Nossos estudantes, suas famílias e convidados serão inspirados ao ouvir o juiz Moro.”  Moro recebeu o diploma de Dr. Honoris Causa por  fazer “diferença para a humanidade”.

Sérgio Moro e colegas do Tiro de Guerra de Maringá-PR 

 Falso patriotas e os patriotetas espalham mentiras sobre esse juiz oriundo do EXÉRCITO BRASILEIRO onde, conjugado às Artes Marciais japoneses, desenvolveu rígida formação moral. Moro tem sido aplaudido em todo lugar onde vai: https://youtu.be/8OsLRm6WG1Y 

 Em edição especial, marcando a despedida do apresentador Augusto Nunes após cinco anos, o programa Roda Viva "sabatinou" Sérgio Moro em 26 de março de 2018, na primeira entrevista ao vivo concedida pelo juiz da Lava Jato à televisão brasileira: https://youtu.be/DqtPZVBhfNw 

 👁 Flagrante dos bastidores do programa mostra 🤭 Moro e Augusto Nunes referindo-se a Jair Bolsonaro como o único presidenciável a pedir a prisão de 🦑 Lula: https://www.facebook.com/ProfessorPadilla/posts/2052908788310351 = https://t.co/SxlBNDrPK0 e https://instagram.com/p/Bg9uG6iFCwU/ 

 Todos os demais presidenciáveis compõem o "mecanismo" globalista 🌎 https://t.co/65cS1Q5qza

👇 Como Moro derrotou os profissionais da velhacaria? 

 Há décadas, PT e PSDB encenam oposição, uma mentira pois foram criados da mesma fonte e seguem o mesmo plano. Confira aqui: http://bit.ly/comunista-FHC e aqui http://bit.ly/nova-ordem 
Sempre prometem melhorar as condições de vida, contudo, fazem o contrário. Aparelham as instituições. Semeiam corrupção. Desviam os recursos. Tornam o serviço público ineficaz.
Quando não conseguem mais enganar a maioria do povo, o PMDB assume. Alega não haver recursos e ser ineficaz a gestão pública e, ao invés de torná-la eficaz, entrega setores inteiros da economia aos globalistas! Veja a semelhança entre os governos do PMDB de Sarney e Temer e os governadores gaúchos Antonio Brito e José Sartori.

 Examine os números, por exemplo, da Eletrobrás. Valendo cerca de 370 bilhões, Temer oferece por 20 com a desculpa de "tapar o buraco fiscal". 'DAR' a ELETROBRAS por menos de 10% do seu valor!?!?!?   A Eletropaulo foi “privatizada” para uma estatal estrangeira.  Fonte sobre Eletrobrás ilustrando entreguismo das privatizações: Jornal do Commercio de Comunicaçãohttp://jconline.ne10.uol.com.br/cana

   

 Embora contenham e usem pessoas bem intencionadas, o PMDB, PT e PSDB são os executores do crime de lesa pátria porque através deles os controladores globalistas, operacionalizam todo o mal que repudiamos!
  Para mudar o país, Moro tornou-se a mudança que queremos ver no mundo. Com o seu exemplo de trabalho alavancou a onda de conscientização: http://bit.ly/qsnos
🤗🥋☕️🦈 

  A sagacidade do magistrado ao pilotar uma longa  audiência:

  A sagacidade do Juiz Sérgio Moro estampa--se durante 5 horas de depoimento. Lula não respondeu às perguntas mais difíceis, mais intrigantes e mais complicadas. Alegando determinação de seus advogados, os quais interrompiam constantemente, molusco permanecia em silêncio.
Confrontado com as suas próprias declarações do passado, Lula utilizou o direito de manter-se calado.
  O réu "não sabia de nada" imputando a responsabilidade por todas as tratativas relacionadas ao tal triplex à dona Marisa falecida (de morte matada? Como Celso Daniel e outros?)

  Estrategicamente, o Juiz o instou, a cerca do tríplex, e Lula assumiu a responsabilidade pela reforma do sítio em Atibaia relatando ter negociado com Léo Pinheiro e Paulo Gordilho. Os 30 segundos onde Lula confessa estão aqui: https://vimeo.com/224540236  

 A sagacidade magistral na estratégia:

 Sérgio Moro poderia ter mandado prender Lula há muito tempo, especialmente depois da confissão.

  Não o fez.

 Isso levou alguns setores do poder judiciário a expor sua parcialidade. Ao mesmo tempo, alavancou os ânimos da sociedade contra a corrupção e o PT que iconiza o mal.
  Cada dia, mais pessoas despertam. Quem, até bem pouco tempo, não acreditava no aparelhamento e conluio de FHC, PSDB, PMDB e PT, percebe: http://bit.ly/comunista-FHC 

  Sérgio Moro, ao só ameaçar prender Lula, expôs um STF corrompido, abrindo o caminho para a maioria da população sair da zona de conforto, renascendo o sentimento patriótico visto, pela última vez, em 15/03/2015, encorajando o enfrentamento das hostes do MST e assemelhados.
  Sérgio Moro, lucidamente, não criou um mártir para o PT usar e a Globo abusar.  Lula preso antes da decisão de segundo grau, interessaria apenas para a esquerda. Lula solto pelo STF mobilizou a sociedade em crescente aversão pela esquerda e as suas mentiras!

  Lula ficou solto até 7/4/2018 e, ao iniciar uma caravana demagógica, tornou-se uma piada ambulante.

 O povo despertou da gangorra globalista 💪🏻  revoltado! Ninguém quer o Lula pondo os pés 👣 na sua cidade.

  🙋🏻‍♀🙆🏼‍♂🙋‍♂🙅🏼‍♀🙎🏽‍♂🙆🏾‍♀🙋🏿‍♂ Gaúchos fizeram o mate e foram protestar em uníssono:

 ⚠ EM BAGÉ NÃO! LADRÃO! ⚠
A EDUCAÇÃO SOFRE;🙍🏽‍♀
A SAÚDE SOFRE; 🤒
O AGRO SOFRE; 🍂🍂
O RS SOFRE; 😢
O BRASIL SOFRE; 💸

💸 🔊 BAGÉ NÃO SE CALA!

 Lula foi barrado no Rio Grande do Sul, uma cidade após outra. As manifestações foram pacíficas e apartidárias. Por exemplo,  às 8h da manhã da segunda-feira, 19/3/2018, o povo se reuniu na esquina da Lancheira Machado, na Av. Santa Tecla, e bloqueou o acesso pavimentado da Unipampa. Lula abortou as visitas. Confira as imagens, via instagram, aqui: Https://instagram.com/p/BggsZ6dgpNb /
Molusco fugiu de helicóptero, pegou um avião e foi para Santa Catarina. O povo catarinense também não queria saber da demagogia do maior corrupto da história e de sua entourage psicoPaTeta.

  O guerreiro Sergio Moro 🤜 aplicou 👁 um 💪 ippon 🖖🏽 na ☯️ corrupção!

   O que mudou no Brasil 🇧🇷 ?

  A tecnologia atual é capaz de assegurar conforto e segurança para toda a população mundial.
  Então, porque continua havendo miséria e sofrimento?
Isso se deve ao interesse dos controladores globalistas. São quem impede erradicarmos a pobreza de espírito. Eles são viciados em poder e mantém a escravização dissimulada no falso-humanismo.
  A estratégia globalista baseia-se em impor a hipocrisia, dizem uma coisa para fazer outra!
Descontextualizam, misturam realidade e ficção, manipulando a sociedade.
Nesse contexto, a priorização da paz tem sido a raiz de todo o mal.
Sem percebermos, o nosso silêncio permite aos desumanos e a sua entourage psicopateta mudar a realidade porque as mentiras deles eram validadas pela nossa omissão!
O silêncio significa concordância!  "Quem cala consente" é uma máxima universal milenar, pré histórica, existia antes da civilização.
  Então, quando estamos em um ambiente, real ou virtual, e acontece uma comunicação não verdadeira, o nosso silêncio valida a mentira!
Passei duas décadas pesquisando o processo de pensamento e comunicação até entender os mecanismos de manipulação.
Um momento decisivo foi essa apresentação em Salamanca🇪🇸 http://bit.ly/4plano  sobre a importância e o valor do esporte - que se torna mais importante nesta época de Copa do Mundo Fifa.

  O que houve de diferente no Brasil foi as pessoas começaram a despertar do torpor da HEM, a hipnose em massa!

  

O PARTIDO

Projeto Criminoso de Poder:

 No livro O PARTIDO, Projeto Criminoso de Poder, psicografado pelo médium Robson Pinheiro,  Sérgio Moro é um guerreiro do Arcanjo Miguel, o Príncipe das Milícias Celestiais, a autoridade máxima da Justiça Divina no planeta:

Narração feita pelo Espírito do Visconde de Mauá (desencarnado) sobre os acontecimentos no plano astral do entorno e do local de trabalho da equipe do Juiz Sérgio Moro em Curitiba-PR.


“ – Claro, Juscelino! Vamos sim. Após isso, devo ir à Curitiba. Recebi a incumbência de acompanhar uma equipe de guardiões cuja missão é dar apoio ao juiz que tem servido de instrumento de justiça, um verdadeiro guardião entre os encarnados! Avante!

Na mesma noite, Mauá dirigiu-se à Curitiba para juntar-se aos amigos guardiões. O aspecto nas imediações do local onde estavam lembrava um acampamento de guerra. Espíritos ligados às pessoas que respondiam a processos na justiça haviam se instalado no entorno, em barracas e construções improvisadas. Tentavam romper o cerco imposto pelos guardiões, pois desejavam, a todo custo, invadir o prédio e violar a privacidade energética, espiritual, e até mesmo, física dos juízes e dos demais profissionais que trabalhavam nos casos. Ao chegarem à Avenida Anita Garibaldi, ainda havia uma quantidade razoável de pessoas, incluindo turistas ansiosos por registrar sua presença no lugar; apesar da hora avançada, faziam fotografias para suas lembranças. Entretanto, o que chamou a atenção, realmente, foi o número de desencarnados erguendo barricadas, entrincheirando-se do outro lado da rua, a uma distância aproximada de 50 m da entrada. Do mesmo modo, havia um contingente menor próximo à residência do juiz e também em outros pontos, perto de onde viviam os demais agentes da operação. Era um verdadeiro campo de batalha à céu aberto. Felizmente, guardiões atentos policiavam os locais, na mira dos espíritos vândalos e corruptores, a fim de que os obsessores da nação não lhes tivessem acesso.

- As entidades sombrias conseguiram infiltrar alguns de seus agentes por intermédio de pessoas próximas dos magistrados e dos policiais. Na verdade, não é nada que não possamos abortar, mas, de fato, alguns funcionários e uns poucos familiares se transformaram em alvos mentais de tais espíritos.

- Tenho acompanhado de perto essa situação Jamar – falou Watab para o amigo. – Já coloquei nossos especialistas de prontidão.

- Emissários dos magos negros, liderados pessoalmente por um desses senhores, têm feito uma triagem das pessoas associadas aos magistrados e aos demais agentes, a quem compete organizar os processos e lhes dar prosseguimento. Como não conseguiram atingir diretamente os juízes, adotaram como alvos alternativos as pessoas relacionadas a eles. Convém redobrar o cuidado. Embora as figuras principais da operação estejam secundadas por guardiões ligados à justiça divina, ainda assim, representantes dos celerados, os magos e seus comparsas encarnados, não medirão esforços para desfechar uma ofensiva.

- Isso é lamentável, mas compreensível, Jamar. Todos os que querem calar o juiz e sua equipe, afinal, desejam o fim da operação. Têm culpa no cartório, como se diz aqui, no Brasil. Portanto, temem que seus nomes sejam implicados e que sua posição se comprometa ainda mais. Têm, também, uma motivação extra para se emprenharem no desmantelamento da operação de limpeza levada a cabo pelos agentes da justiça encarnados. Sabem que, caso a ação siga livre curso, será difícil evitar que seu chefe, o conhecido homem forte, agora bastante abalado, seja levado a prestar contas perante a justiça dos homens.

- Bem, amigo, se ele se safar, o que acredito ser improvável devido aos desdobramentos judiciais que temos visto, jamais conseguirá ludibriar a justiça divina, Desta, é impossível escapar. Não obstante, devemos contar com o desespero desse suposto homem forte, que teve sua imagem demasiadamente arranhada, conforme era de se esperar. É apenas natural que ele e seu séquito tomem providências as mais bizarras e antiéticas, incitando os piores comportamentos. Afinal, o time a que se filiam esses filhos da escuridão, não titubeia em lançar mão de qualquer espécie de estratagema, manobra ou ardil, sem o mínimo pudor, pois seu critério de conduta é a falta de critério. Não resta dúvida que eles são vis o suficiente para instigar, em alguns de seus seguidores, ideias que possam colocar em risco a vida dos juízes ou as de seus familiares. Lamentavelmente, devemos levar em conta essa possibilidade e providenciar uma escolta de guardiões para os parentes dos atores imbuídos do propósito de promover as limpezas moral, ética e política, pelas quais clama a nação, nos limites da lei. Jamais será fácil, Watab, enfrentar os donos do poder no submundo, tampouco seus sequazes, que não somente os defendem com unhas e dentes entre os encarnados, mas, ainda por cima, aliciam fanáticos irascíveis por onde podem, a fim de cumprirem seus desígnios espúrios.

- Para mim, defender essa horda de malfeitores, seja de um lado da vida, seja do outro, sinceramente, não é mais posição política; transcendeu há muito tal dimensão. Só a patologia espiritual explica esse comportamento, isto é, a obsessão complexa, coletiva e programada, levada ao grau máximo de ferocidade e crueldade por parte dos manipuladores do submundo.

- Mas não se esqueça: ninguém faz absolutamente nada obrigado. Nenhum obsessor constrange suas marionetes no plano físico a ponto de elas fazerem aquilo que rejeitam terminantemente. Em regra, trata-se de um processo de parceria.

- Recordo-me muito bem, Jamar, daquela mensagem de Bezerra na assembleia de que participamos, no início do ano de 2002. As palavras dele foram, para dizer o mínimo, proféticas... – É pena que os amigos espiritistas e espiritualistas não tenham atentado para isso na época. Mas tudo bem, vamos em frente. Temos um juiz a proteger. Não podemos permitir que a hoste do mal derrube os representantes  da justiça.

- Como será que se comportarão os que são cotados para assumir a direção da nação no tocante à operação que confronta a corrupção institucionalizada no país?

- Não sei mesmo. De qualquer modo, seja quem for que assuma, seja o governo atual que permaneça – tudo depende muito mais do povo do que de nós -, se tiver um histórico de honestidade e nada a esconder, não haverá porque barrar a investigação policial, certo? Não se compreende que um governante e seus auxiliares, alegando correção e defesa dos interesses nacionais, queiram se furtar ao escrutínio ou criar obstáculos a seu pleno exercício, não é mesmo?

- Portanto...

- Portanto, só há uma conclusão lógica. Pouco importa quem esteja no comando da nação. Caso se coloque contra o processo em andamento na esfera judicial ou contra seus representantes legais, com certeza esconde delitos e mascara crimes, os quais teme que venham à tona. Seja como for, deixemos essas questões aos que tentam obstar a justiça no plano físico. Ocupemo-nos da justiça divina; esta, sim, fará com que cada um encontre, inevitavelmente e no devido tempo, o resultado de suas ações, tanto no corpo como fora dele.

Ao adentrarmos o prédio da Justiça Federal, em Curitiba, notamos a presença não somente de guardiões, como também de parentes ou de espíritos familiares que procuravam, por algum meio, achegar-se a seus afetos. Um deles se acercou de Watab, reclamando que não conseguia entrar no edifício, pois fora impedido pelos guardiões.

- Será que eles não sabem que eu sou ligado a um dos juízes envolvidos no processo? Por que não me deixam entrar? – falou o espírito.

- Sinto muito, amigo – respondeu Watab, enquanto Mauá e Jamar, acompanhados por mais três equipes de vigilantes, continuaram até a ala onde se reuniam, em caráter de urgência, os juízes que analisavam as causas a eles confiadas. – Para ingressar no ambiente, não basta ser um espírito familiar, ligado aos profissionais que aqui trabalham. O serviço desenvolvido aqui corre em paralelo a um processo do lado de cá da vida. Agentes vinculados à justiça divina militam também; aproveitam a ocasião para discutir a respeito do eventual expurgo planetário dos indivíduos trazidos até este local. Portanto, dê-se por contente que se lhe foi permitido vir até o saguão de entrada. Daqui para frente, somente espíritos comprometidos com a causa da justiça. Ninguém mais, não importa se porventura forem mentores, amigos ou familiares desencarnados.

E partiu, deixando o espírito esbravejando atrás de si. Note-se que eram um dos bons espíritos. Mas bondade, simplesmente, não era suficiente nesse caso. Aliás, como é questionável, a bondade dos que se imaginam bons... Deste lado da vida, age-se segundo outros parâmetros, alheios às preferências e aos paradigmas humanos, mesmo dos religiosos. Sendo assim, aos agentes da justiça divina não importa se agradam ou desagradam, a quem quer que seja; o trabalho há de ser feito, hoje ou mais tarde, desagradando ou não. Prosseguem seus afazeres na certeza de que nem o Cristo conseguiu satisfazer os próprios discípulos, quem dirá o resto do mundo.

Ao chegarem ao lugar aonde iam, observaram uma hoste de guardiões – composta de 49 oficiais, 49 sentinelas, 98 especialistas, dos quais 35 eram ligados aos processos de expurgo e repatriamento planetário, e 147 eram praças – que estava disposta pelo ambiente, numa dimensão dificilmente percebida pelos encarnados ali reunidos. Nenhum grupo de magos ou de sua malta conseguiria penetrar o edifício, em virtude da autoridade moral e do aparato de segurança montado pelos espíritos que envolviam os indivíduos que ali trabalhavam além do horário normal. Jamar sorriu de forma discreta, dando a entender que estava satisfeito com o que via. Nem ousou se aproximar dos juízes. Porém, ordenou mentalmente que, de onde estavam, os especialistas em magnetismo e em campos de força se colocassem à disposição, pois deveriam reforçar as defesas energéticas dos representantes da justiça na Terra.

- Faz-se necessário ter cuidado e reforçar a imunidade energética e espiritual de nossos aliados no plano físico, visto que a turma que age em sintonia com as forças das trevas está determinada a destruí-los de qualquer maneira. Querem fazer injustiça com as próprias mãos, vândalos que são, sem nenhum pudor ou senso de limites, pois se consideram defensores do sistema reinante.

- Faremos o possível, Jamar – falou Watab, que se achegava ao grupo. – Eu mesmo assumirei o reforço energético.

O que se viu a partir daquele momento, se porventura fosse observado por encarnados, decerto lhes inspiraria o mais profundo sentimento de respeito, de gratidão e,  até mesmo, de veneração pelo investimento que o Alto fazia no amparo àqueles que, corajosamente, agiam em nome da justiça. É claro que desvarios humanos, como a noção de perfeição e santidade das pessoas que atuavam ali, não faziam parte das expectativas; tanto no plano material quanto no plano extrafísico, não existe ninguém santificado ou que tenha alcançado a pureza que, muitas vezes, os encarnados esperam dos zeladores da ordem e da justiça.

Tão logo Watab olhou, de maneira significativa, os peritos em manejar as leis do magnetismo, todos se colocaram de pé, pois até então estavam diante dos arquivos estruturados em biocomputadores ultraluz, forjados na tecnologia sideral e empregados na base dos guardiões. Watab levantou os braços, empunhando em uma das mãos a espada usada pelos guardiões superiores, enquanto os demais estenderam seus braços no mesmo ritmo, no mesmo instante. Um som diferente reverberou no ambiente, quando se abriu, então, uma brecha no continuum espaço-tempo. Estrelas foram vistas a brilhar num universo desconhecido, e um facho de luz derramou-se sobre o  recinto, advindo de uma dimensão desconhecida dos humanos encarnados.

De repente, a figura de Miguel desceu, envolvida pelas cintilações de mil sóis, acompanhada por seres representantes das estrelas. Um grupo de sete espíritos provenientes da Constelação de Órion – dos quais dois eram de Alpha Orionis; três, de Rigel; um, de Belatrix; e outro , de Saiph ou Kappa Orionis – compunha a comitiva de Miguel, que vieram pessoalmente, a pedido de Ismael, para reforçar as defesas energéticas e a imunidade espiritual dos representantes da justiça no mundo. Miguel pousou sobre os tutelados da justiça sideral e derramou sobre eles sua energia, percebida em forma de luz, um tipo de luz ainda desconhecido pelos habitantes da dimensão física. Cada integrante da comitiva estelar trazia recursos fluídicos, aliados à tecnologia superior, além de irradiar sobre os homens ali presentes seu potencial mental de altíssima frequência. 

Imediatamente, um a um, os homens ali presentes pararam o que estavam fazendo, sentiram certa tontura, e levaram a mão aos olhos, como se estivessem ofuscados por algo que desconheciam. Um deles comentou:

- Parece que estamos cansados, senhores, sorriu discretamente para os colegas de trabalho, sem registrar o caudal de fluídos que chegava. – Mas devemos continuar assim mesmo. 

O juiz que atraía a atenção de todos talvez tenha percebido algo, embora não houvesse tempo suficiente para interpretar a ocorrência de maneira clara e consciente. Por isso mesmo, enquanto levava a mão esquerda aos olhos, esfregando-os lentamente, proferiu uma prece silenciosa:

- Deus, soberano da vida, em nome de Jesus, dê-nos força e sustentação, Senhor da vida. Auxilia-nos a nos manter em sintonia com seus desígnios e preserva-nos dos inimigos da justiça. – Foi a prece proferida em silêncio, que todos desconheciam, a não ser nós, os que lidávamos deste lado da barreira sutil das dimensões.

Miguel abriu os braços, espalmou as mãos e elevou a cabeça ao alto, como se estabelecesse sintonia com alguém muito maior do que ele, canalizando as vibrações magnânimas à medida que fitava diretamente o centro da Via Láctea. Um jato de luz verteu das estrelas do centro galáctico e perpassou o príncipe dos exércitos celestes, irradiando-se, principalmente, de suas mãos sobre o grupo de homens ali presentes. Logo, não se divisava mais a feição humana de Miguel, mas tão somente uma silhueta de luz coagulada, que lembrava um homem de estatura imponente a irradiar reverberações luminosas em torno de si, como se fossem asas – naturalmente, irradiações magnéticas de sua aura em expansão.

Após o fortalecimento das defesas energéticas dos magistrados, Miguel, máximo representante da justiça divina no planeta, olhou significativamente para Jamar. Este apenas movimentou os olhos, sem  se mover um milímetro sequer, como um militar de alta patente à frente de seu general. Estava reverente e profundamente comovido ao mesmo tempo. Miguel ergueu-se ao alto, logo em seguida, depois de jorrar sua luz sobre os guardiões ali envolvidos no trabalho. Uma lágrima discreta escorreu pela face de Jamar. A brecha dimensional se fechou, mas foi impossível não se comover ao ver as luzes das estrelas do centro da Via Láctea, morada dos espíritos redimidos. Jamar recompôs-se num átimo, após esse evento marcante, e deixou o ambiente acompanhado por Watab e nós outros.

- Graças a Deus, tivemos a interferência de quem pode mais do que nós – falou o guardião da noite.

- Já vi Miguel interferir inúmeras vezes, em outros países, mas, até hoje, eu me sensibilizo ao ver como ele se porta, sem tomar partido de ninguém, pairando acima das querelas humanas. Basta apenas as pessoas estabeleceram conexão com a justiça sideral, imbuídas do propósito sincero de auxiliar a humanidade. Eu o vi agir assim na Rússia, no encontro do G-20, há alguns anos; mais recentemente, na Venezuela, quando ajudamos os congressistas de lá, e também na Argentina se manifestou; na África do Sul, já faz alguns anos, e em vários outros pontos do globo onde fomos convocados a interceder. Não obstante, sempre me surpreendo e me comovo ao ver como os emissários da justiça divina intervêm a fim de ajudar a humanidade.

Após um suspiro profundo, Jamar arrematou suas observações:

- De qualquer modo, Watab, dependemos da resposta humana aos apelos divinos. Não podemos forçar ninguém a aceitar nosso socorro. Os fatos estão aí e aí permanecerão por largo tempo. Quiçá os homens desse país acordem da hipnose coletiva que ameaça dominar a nação. Por ora, o que temos de fazer, faremos. Aguardemos os próximos lances dessa luta entre o reino do mundo e o reino da luz.

- Sem nos esquecermos, parafraseando o apóstolo, de que estamos apenas no início da luta contra os principados, as potestades e os príncipes das trevas desse século, nas regiões espirituais da maldade…”

 Quem é o juiz Sergio Moro?

 O  principal personagem nos protestos antigovernamentais a partir do dia 13 de março de 2016 foi Sérgio Moro. Naquele mês, foi considerado pela Revista Fortune o 13º maior líder mundial. A lista cita cinquenta nomes sendo o único brasileiro a entrar na lista:  «Juiz Moro é único brasileiro na lista de influentes da Time». Exame. 21 de abril de 2016. Consultado em 22 de abril de 2016.

 Em abril de 2016, Moro foi considerado pela revista Time como um dos cem mais influentes do mundo sendo, novamente, o único brasileiro a entrar na lista.  «Sérgio Moro é incluído na lista das 'Cem Pessoas Mais Influentes', da Time». Globo News. G1. 21 de abril de 2016. Consultado em 22 de abril de 2016.


  Sergio Moro é o personagem da década no Brasil ou do Mundo? 

  A operação Lava Jato, ao desmanchar o plano de chinelização do país e de criação de um novo bloco comunista centro e sul americano, converteu Sergio Moro no operador da maior repercussão geoestratégica mundial, mudando a face do Planeta!

  Um ano antes de colher o depoimento de Lula obtendo a confissão do crime, SERGIO MORO era considerado um Juiz Templário 👊 📚 💪 devido a sua formação guerreira. A versão que circula na internet desde 2016 enaltece…

 Contudo, ele não é Templário.

 Sérgio Moro é membro da Open Society, instituição ligada à Fundação George Soros e a FHC

 A formação pessoal e profissional do Juiz Sérgio é em Direito e Antropologia, fascinado por livros clássicos e apaixonado pelas artes de combate, Faixa Preta 2º Dan de karatê, 1º Dan de Aikido e Faixa Roxa de Judô, atirador com armas curtas e longas, especialista em combate com faca, com curso de operações especiais na PF.

 É leitor de Pensadores como Nicolau Maquiavel, escritor renascentista italiano que discorreu sobre a política de estado, sagacidade e a esperteza para tratar uma ideologia nefasta, comunista e exploratória implantada pelo PT - Partido dos "Trabalhadores". 

  Age com sobriedade e adota um estratagema de forma a não permitir que as suas decisões sejam contestadas pelos tribunais superiores, a exemplo do STF e do STJ. 

 Sérgio Moro aprendeu muito com Maquiavel, declarando “O Príncipe” ser o seu livro mais conhecido.

 Trabalha com paciência, como um exímio enxadrista, para acuar o ex-presidente e seus "vampiros" até o golpe fatal, o xeque-mate que se aproxima, com a movimentação cuidadosa no "Tatame da vida" e das peças no tabuleiro.

  É assim que o juiz Sergio Moro está montando o quebra-cabeça do maior escândalo da história do país, organizando o jogo de xadrez com inteligência e a paciência.

   A prisão do Lula, só após a sentença confirmada no TRF4.

 Frase do Nicolau Maquiavel: "Os homens julgam, em geral, na base das aparências mais do que da substância. Pois todos têm olhos, mas poucos possuem o dom da sagacidade". E acrescentou com tom forte na voz: "Eu me preparei a vida inteira para o combate ... Não temo nada, sou um Homem livre e de bons costumes. Estou pronto para a guerra."

  Sérgio Fernando Moro foi “Brasileiro do Ano” em 2014 para a revista Época e a Bloomberg considera-o o 10.º líder mais influente do mundo.


   A educação onde se destaca a inteligência e correção:

 Filho de dois professores universitários, passava despercebido nas aulas, contudo, suas notas eram as mais elevadas.

 Nasceu a 1 de agosto de 1972, quando o pai, Dalton, comemorava o 29.º aniversário. A relação com o pai foi sempre próxima e com uma boa dose de idolatração.

 Dalton Áureo Moro era professor de geografia. A mulher, Odete Starki Moro, lecionava português. Sérgio é o mais novo dos dois filhos do casal.

 O juiz federal foi criado numa família de classe média, em plena ditadura militar, mas gozava de certos privilégios de que o comum brasileiro não desfrutava. Maringá, a cidade paranaense onde nasceu, foi considerada a mais limpa e segura do Brasil e, em certa altura, a mais arborizada do mundo. O pai de Sérgio Moro era sócio e frequentava o Clube de Campo da cidade: pai e filho iam juntos de carro para o clube, onde Dalton se juntava a amigos para jogos de futebol. O Diário do Centro do Mundo conta que, ao longo dos anos, ninguém viu Sérgio num campo de futebol. No país de Pelé, Romário e tantos outros, o juiz preferiu sempre a ginástica e o ciclismo.

 Embora fossem ambos professores numa escola pública, Dalton e Odete confiaram a educação de Sérgio ao Colégio de Santa Cruz, uma instituição privada e católica, onde o mais novo dos Moro recebeu uma educação rígida por parte de duas freiras carmelitas espanholas – ambas canonizadas. Desde os 6 anos e pelos dez seguintes, Sérgio Moro estudou numa escola onde se segue o lema “o caminho é a perfeição” e em casa tinha dois professores universitários enquanto pais. A missão de corrigir o que estava errado foi-lhe enraizada desde bastante novo.

 No colégio de freiras, fez três grandes amigos que se mantêm até aos dias de hoje: Lafayete, Luis e Eduardo. Nenhum deles fala sobre Sérgio. O super juiz que controla os destinos da Operação Lava Jato pediu aos amigos – e à família e colegas de trabalho – nada revelarem sobre a sua vida fora dos tribunais. E os três amigos cumprem. O máximo que contam é Sérgio Moro, hoje com 45 anos, ter predileção pelo Grêmio Maringá. O juiz federal recusa a grande maioria dos pedidos de entrevistas e, segundo a Gazeta do Povo, os assessores até riem dos jornalistas que as pedem. A mãe, Odete, conta “ter conhecidos na Folha de S. Paulo, na Veja e na Globo a quem dá entrevistas quando quer”.

 Em 1989, saiu do Colégio de Santa Cruz e continuou os estudos no Colégio Gastão Vidigal. No último ano antes de entrar na universidade, em dez disciplinas, a nota mais baixa que teve foi um 8,6 (de 0 a 10).

Entrou em Direito na Universidade Estadual de Maringá e pertenceu a uma turma de 40 alunos de onde saíram seis juízes.

 Manteve-se discreto, de poucas palavras, raramente frequentava festas e dedicava todo o tempo livre aos estudos.

 A primeira festa a que foi coincidiu com o primeiro dia em que andou de ônibus: a amiga Rita Agioletto, que o tinha convidado para a dita festa, conta que Sérgio chegou em êxtase, contando a toda a gente que tinha acabado de andar de transportes públicos pela primeira vez.

 Além deste dia, o desconhecimento do agora juiz face à pobreza que se vivia no resto do país foi visível quando tinha já 29 anos.

 Nessa altura, propôs-se a escrever um ensaio jurídico intitulado “Quem são os pobres”, onde revelou a dificuldade que sentiu em descrever quem era e como vivia a classe mais baixa do Brasil.

 Estagiou num escritório de advogados durante o curso e, em 1995, estava licenciado em Direito.

 Tornou-se mestre em 2000 e, em 2002, concluiu o doutorado em Direito do Estado.

 Antes, fez um programa de formação de advogados em Harvard e assistiu a uma iniciativa sobre lavagem de dinheiro promovida pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos.

 Em 1996, tornou-se juiz federal em concurso do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região e começou a dar aulas na Universidade Federal do Paraná, onde citava Walter White, a personagem principal da série “Breaking Bad“, para dar exemplos de conduta ilícita.

 Em 2003, começou examinar os julgamentos de colarinho branco. Entre 2003 e 2007, trabalhou no caso Banestado, resultando na condenação de 97 pessoas; na Operação Farol da Colina, um desdobramento do Banestado, decretou a prisão temporária de 103 suspeitos de evasão fiscal e lavagem de dinheiro. Em 2012, auxiliou a magistrada do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber no Mensalão: foi convocado por ser especialista em crimes financeiros e no combate à lavagem de dinheiro. A essa altura, pediu a dispensa do cargo de professor na Universidade do Paraná.

 Em março de 2014, juiz federal da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, foi apontado como principal responsável da Operação Lava Jato, considerada a maior investigação contra a corrupção da história do Brasil.

 Em um país onde a justiça é “muito morosa”, Sérgio Moro conduz as operações com distinta rapidez, traço de personalidade que, de acordo com um antigo amigo da família, o juiz herdou do pai.

 “O Serginho é o espelho do pai. Ele não gostava de inovar. Era metódico e legalista, seguia os regulamentos. A gente ia para um congresso e ele levava provas para corrigir no ônibus. Ninguém mais fazia isto, só o Moro era tão exigente consigo mesmo. O Dalton passou isto ao Serginho. Passou conceitos de moral, de bons costumes. Serginho é Dalton Moro no passado”, contou, ao Diário do Centro do Mundo, Elpídio Serra, ex-aluno e mais tarde amigo do pai de Sérgio Moro.


   Nada tendo a falar de mal dele, inventam aleivosias!

   Os corruptos e sua entourage alegam interesse partidário, dizem até que o pai de Moro seria fundador do PSDB. Não é verdade. Montaram uma imagem simulando a Santa Ceia colocando uma montagem de fotos de Moro e Aécio Neves, candidato do PSDB a Presidente em 2014, para alimentar o boato de que Moro agiria no interesse de um grupo político que, alega a infâmia, o Juiz não processa.

  A mentira é rebuscada pela relação próxima entre o juiz Sérgio Moro e o seu pai Dalton, falecido em 2005 vítima de câncer, o qual, na estória montada pelos globalistas, teria sido “fundador do PSDB”.

  Essa mentira termina sendo fortalecida pelo silêncio do juiz Moro que, em respeito ao cargo que exerce e a sua prioridade de manter a sua privacidade, não comenta e nem toma qualquer atitude com relação à aleivosia, exceto ignorá-la!

 Amigos, família e colegas de profissão negam qualquer associação partidária de Sérgio Moro e do seu falecido pai, Dalton.

  Desmistificando essa história: 

 Em 1990, quando foi fundado o PSDB em Maringá, Basílio Baccarin, associou-se à fundação e se elegeu vereador, e ele conta:  “Dalton Moro [pai do juiz] apoiou-me, como amigo. Esteve sempre comigo durante a minha campanha e só me dizia que eu deveria ser menos radical”.

 Portanto, conforme o antigo professor, este foi o único contacto de Dalton, pai do Juiz Sérgio Moro, com partidos políticos.

 A esquerda comporta-se como estando acima da lei. Inconformada com a punição de seus crimes pelo juiz Moro, acusa-o e quem quer que a combata de golpista.

 Moro (ainda!) não pode processar a cúpula do PSDB porque, até o final de 2018, todos eles têm foro privilegiado

 Compare com Jair Bolsonaro, o qual está na política há quase trinta anos e nunca se deixou envolver pela corrupção. Como não há nada que possam falar dele, os controladores inventam preconceitos politicamente corretos… Dolosa e hipocritamente descontextualizam falas irônicas quando o deputado federal reagiu a pergunta ou a situação desaforada!

 Misturam ficção e ampliam a mentira como se vê aqui http://bit.ly/bolsonaro-pq exatamente como fizeram com Donald Trump: http://bit.ly/bolsonaro-trump 

 Com Sergio Moro acontece a mesma coisa. Nada dispondo contra ele, esforçam-se para o desacreditar com boatos!

 ‪Seria cômico não fosse trágico… Reclamam da competência do Juiz Sergio Moro, como registra o jornalista Augusto Nunes https://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/jornal-denuncia-moro-por-excesso-de-eficiencia/  https://t.co/W4kU7iprsl 

  Eu passei por assédio assim na PGE-RS onde tinha o melhor desempenho judicial enquanto combatia as mazelas do globalismo sem nem saber existia esse movimento malígno. Indefeso em minha inocência, sofri um massacre após 1995, quando impedi a Monsanto de dominar a Emater-RS e controlar a produção de alimentos http://bit.ly/PADilla  https://t.co/kaBRnbz3OC  

 A condução da Operação Lava Jato levou Sérgio Moro a ter preocupações acrescidas com a própria segurança e a da família.

 Casado com a advogada Rosângela Wolff de Quadros e com dois filhos, tomou as medidas necessárias para proteger a privacidade da qual não abdica.

 Deixou de ir trabalhar de bicicleta passando a usar carro blindado acompanhado por seguranças.

 Deu indicações explícitas à família e aos amigos para nada contarem sobre ele e lhes pediu apagar todas as fotografias nas redes sociais onde aparecesse.

 Ameaças de morte tornaram-se o dia-a-dia de um homem que sempre gostou de passar despercebido.

 O porteiro do prédio onde ainda vive Odete Moro, a mãe do juiz, é um fã incondicional do magistrado. Sérgio entrava no edifício por trás e Edson, o porteiro, só o via através da câmara de vigilância do elevador. Um dia, pediu à mãe do juiz ajudá-lo a conseguir uma fotografia com Sérgio. O dia chegou, ela chamou-o, o porteiro subiu e conseguiu a tão aguardada selfie. Na semana seguinte, foi abordado por dois agentes federais pedindo-lhe para apagar a fotografia. As ameaças de morte tinham-se tornado mais frequentes e era perigosa a existência de fotografias de Sérgio Moro perdidas no celular do porteiro.

  A prisão de Lula demorou? Por que?

  A demora em prender Lula foi estratégica. Ao prender, foi para não soltar. Contudo, o mais importante: a expectativa alavanca o "campo mórfico" para romper o holograma. Saiba mais no capítulo sobre como vamos nos libertar da espiral do silêncio aqui http://bit.ly/espiral-silencio 

 As provas vão se acumulanto: Lula confessa: Odebrecht iniciou obra 3 meses antes de haver contrato! https://www.facebook.com/ProfessorPadilla/videos/2035242966743600 /

  Correio Braziliense: defesa de Odebrecht apresenta e-mails sobre compras para o Instituto Lula: http://google.com/newsstand/s/CBIwwPSP4zc   👆👆 

 Com meu colega de concurso, o professor Sérgio Borja, fomos os primeiros a denunciar formalmente essa corja.
  Então, sofremos a desdita de ser alvo do assassinato de reputação dos "encantados" com o falso-humanismo da horda psicoPaTeta...
  Felizmente, a Verdade está aflorando.  Rumo a 1MMM, um Mundo Muito Melhor... http://bit.ly/1mundomelhor  

👆

  Sergio Moro, um líder na construção de 1 MMM um Mundo Muito Melhor.


 1 MMM é a abreviatura criada em 11/9/2001 iconizando o foco em construirmos um Mundo Muito Melhor a partir de cada um de nós.


  Guia para limpar as bobagens sobre a Lava Jato na internet:

1) Sérgio Moro não é filiado ao PSDB.
2) Sua esposa, Rosangela Wolff Moro, também não.
3) Rosângela não advoga para os tucanos.
4) Moro não investiga o PSDB e o PMDB porque ele julga, não investiga.
5) Moro não pode julgar Aécio, Serra ou Temer porque eles (ainda) possuem foro privilegiado.
6) Quem julga pessoas com foro privilegiado é o STF.
7) 8 dos 11 ministros do STF foram indicados por Dilma e por Lula.
8) Moro não negocia delações premiadas, quem faz isso é o Ministério Público.
9) Moro não faz vazamento seletivo: a divulgação dos inquéritos é a regra na Lava Jato, não a exceção.
10) A Lava Jato não investiga apenas Lula e o PT, mas também dezenas de políticos ligados ao PP, PMDB, PSDB, PTC e SD.
11) Menos de 4% das decisões de Moro até aqui foram reformadas por juízes do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal.
12) A Lava Jato não prende ninguém para delatar: 70% dos acordos de delação premiada até agora foram feitos com investigados soltos.
13) Muitos dos partidos e políticos investigados na Lava Jato usam de seu poder de influência para distorcer as informações sobre a operação, deslegitimar o Judiciário, caluniar juízes e procuradores e modificar a opinião pública em favorecimento da impunidade; não seja um idiota útil.          (listagem elaborada por Rodrigo da Silva)


 A tecnologia atual permite disponibilizar uma vida confortável e segura para toda a população, sabia? Então… Por que isso não acontece?


 Aliás, muito esforço é feito para impedir o progresso e o conforto de alcançar a todos!

 Quem cria e mantém tanta atraso e confusões?

 Qual é a origem de todo esse mal?


 Todo o mal é obra dos mutantes desumanos e da sua entourage psicopateta. Enquanto fingem serem exatamente o oposto de sua maligna natureza, os falso-humanistas acenam com as melhores intenções para fisgar as nossas emoções e nos anular induzindo paradoxos e um estado de torpor.


 O resultado da hipocrisia é invariavelmente dantesco e retroalimenta a estratégia reptiliana. Os problemas servem para jogar uns contra os outros colocando a culpa em quem combate o mal! As mazelas proporcionam que a bandidagem enrustida apresente pretensas soluções as quais, na verdade, são paliativos caros ou armadilhas para criarem novos problemas.



 Ao longo das últimas décadas, os decentes foram afastados dos processos de decisão. Grande parte de nós foi vencida pelo cansaço porque a gentalha repete mentiras até desistirmos de as contestar. Contudo, nós, os persistentes, fomos jogados uns contra os outros divididos em um cipoal de grupos.

 A podridão política chegou em um nível de sordidez tal que passamos a sentir vergonha de participar.

 Quem ainda se mantinha na luta foi massacrado com bullying, assédio moral e assassinatos, tanto os de reputação quando as mortes a sangue frio, tudo bastante dissimulado como sempre agem os psicopatas.

 No Brasil, os espaços ficaram livres e a direção institucional foi ocupada por criminosos. E não são criminosos comuns: o governo foi aparelhado pelo crime organizado!

 Ainda assim, muita gente boa persistiu e, com a chegada dos reforços de uma geração de índigo e cristal e o amparo dos Aliados, chegou a hora das pessoas decentes, catalizarmos as mudanças no Brasil e no Mundo.


 Sérgio Moro é um dos líderes da nova era. Ele não nasceu por acaso. Há uma missão muito grande estampada no seu mapa astral quando veio ao mundo no momento exato quando, no céu de Maringá, no dia 1º de Agosto de 1972, o planeta Plutão estava exatamente em oposição ao mapa do Ipiranga, o mapa da independência do Brasil 149 anos, 328 dias e 14 horas depois. Sérgio Moro veio acordar o país! http://astrale.com/wp/o-plutao-do-moro-o-regresso/



Sérgio Moro, um ilustríssimo desconhecido 

Rogerio Waldrigues Galindo [11/12/2015]

 Milhões de brasileiros ouvem o nome “Sergio Moro” todos os dias na tevê e no rádio, leem sobre ele nos jornais e na internet. É fácil associá-lo à  Lava Jato. Mas para a imensa maioria ele não passa disso, um nome: sem rosto, sem voz, sem passado e sem personalidade.

 Aparentando timidez, desde quando começou a trabalhar na Lava Jato Moro se fechou. Não dá entrevistas há mais de um ano. Aos amigos, pediu que não deem informações sobre ele, até por prudência: alguém que está mandando prender empreiteiros, gente ligada à maior estatal do país, políticos e doleiros tem razão para não querer que se diga onde mora ou detalhes de sua rotina (o que será respeitado nestas páginas). Durante o tempo em que este perfil foi escrito, Moro falou uma única vez com a reportagem: para dizer que não se pronunciaria.

 Mas para muita gente Moro é bem mais do que o nome na tevê. Para os funcionários da Justiça Federal, é o sujeito pacato que até pouco tempo atrás ia de bicicleta trabalhar. Para os alunos da UFPR, é o professor que ensina sobre lavagem de dinheiro e que mesmo durante a Lava Jato não se atrasa para a aula. Para os advogados, é osso duro de roer. Para os amigos, é o são-paulino que gosta de vinho e charutos. Para dona Odete, é o filho que saiu cedo de casa para ser juiz. Para Rosângela e os filhos, é o pai de família com dois empregos que passa as férias em Santa Catarina.

 Saiba a seguir um pouco mais sobre Moro, o homem que, goste-se ou não, está mudando a imagem do Judiciário no país.

As origens: o Sergio de Maringá 

O juiz: a linha dura começou cedo 

O professor: bem visto pelos alunos, contestado por colegas 

O funcionário: o homem que escreve as próprias sentenças 

O marido: os olhos brilharam para ela

As origens: o Sergio de Maringá

Faz quase 50 anos. Recém-formado, Dalton conheceu Odete e os dois partiram para vida nova. Casaram e saíram de Ponta Grossa rumo a Maringá. Ele, aprovado em concurso para dar aulas de geografia, escolheu o colégio Gastão Vidigal para lecionar. Odete dava aulas de português. Juntos, tiveram dois filhos, Sergio e Cesar, e viveram casados por quase quatro décadas, até a morte de Dalton em 2005.

O professor se dizia “positivista”, mas escolheu a geografia humana – estudava a região de Maringá e a debandada da população rural. Um amigo, em homenagem póstuma, diz que Dalton chegava a chorar ao ver o sofrimento dos roceiros na cidade grande. Mas achava que pesquisador não devia chorar, e pedia segredo.

Os meninos estudaram em colégio religioso. Faziam aula no Instituto de Línguas de Maringá, única escola de idiomas da cidade. Não era vida de luxo – a típica situação da classe média no interior do Brasil, numa época de “milagre econômico” e de falta de liberdades individuais.

Sergio passou no vestibular e entrou no curso de Direito. Típico de sua timidez, não chegou a chamar a atenção de muita gente. Um ex-professor, questionado sobre o aluno famoso, diz que nem tem certeza de que lhe deu aulas. “Dei aula para ele? Nem sei... Teria que olhar no histórico.”

Mas Sergio chamou a atenção de advogados. Indicado por um ex-reitor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Neumar Godoy, foi parar em um escritório de advocacia de direito tributário. Hoje, Moro brinca com seu antigo gosto pelo tema. “Sinceramente tenho muita dificuldade de me lembrar por que eu gostava daquilo...” Mas fazia bem o trabalho. “Ele ficou dois anos com a gente. Sujeito sensacional”, diz o advogado que o contratou, Irivaldo de Souza.

Sergio começou fazendo pesquisas. Ia ao fórum. Depois passou a redigir petições, memoriais, cada vez assumindo mais responsabilidade. Mas o sonho era outro e veio com a aprovação no concurso para juiz, em 1996. Recém-saído da faculdade, aos 24 anos, Sergio repetia o pai: conseguia emprego em outra cidade e se mudava para seguir a profissão escolhida. O destino era Curitiba – na sede da Justiça Federal.

[Sergio Moro] é só um cara tranquilo, tímido, que gosta de ficar com a família, os amigos, fumar charuto e tomar um vinho. AMIGO DO JUIZ que pediu para não ser identificado.


O juiz : a linha dura começou cedo

Ser juiz e decidir coisas fundamentais sobre a vida alheia aos 24 anos pode ser intimidador. Mas os relatos sobre os primeiros tempos de Sergio Moro como juiz federal não fazem parecer que ele se deixou intimidar. A “linha dura”, de que hoje reclamam os advogados da Lava Jato, vem da vara previdenciária em que ele começou.

Vídeos: veja o juiz Sergio Moro em ação na Lava Jato

Em 1996, não era comum o uso da tutela antecipada – um tipo de liminar que pode favorecer, por exemplo, alguém que está pedindo algo ao governo. A lei era recente e os advogados não estavam acostumados a pedir. Moro, visto pelos procuradores do INSS como “pró-velhinhos”, passou a perguntar nos autos se haveria interesse em fazer a solicitação.

No INSS, houve choro e ranger de dentes. Pediu-se a suspeição de Moro, já que ele não poderia fazer sugestão às partes. Ele levou o caso ao Tribunal Regional Federal, que lhe deu razão. A partir daí, sempre que o INSS questionava seus despachos lembrando a existência da tutela antecipada, Moro tascava a decisão do tribunal e perguntava se o procurador queria continuar com o pedido de suspeição, mesmo sabendo de possíveis consequências processuais. No INSS, isso foi visto como ameaça e os procuradores pediram uma correição parcial de Moro.

O Sergio é um juiz fantástico. É um cara que realmente faz o processo andar. Às vezes eu brincava, dizendo que com um juiz desse nem precisava de promotor

CELSO TRÊS, promotor.

A situação era difícil porque, numa vara previdenciária, o juiz só trabalha com o INSS. Se o INSS o considera suspeito, como pode ficar lá? Ao fim e ao cabo, Moro não precisou lidar com o problema. Acabou tendo sua primeira transferência, para Cascavel. Lá, a fama de juiz durão prosseguiria com o caso das contas CC5.

O processo da CC5, que analisava remessas ilícitas de dinheiro para o exterior, foi a primeira grande experiência de Moro com o crime do colarinho branco. O Ministério Público pediu uma quebra de sigilo gigantesca, de todas as contas usadas para esse tipo de remessa. E os promotores só tinham elogios para o jovem juiz, de 26 anos, que assumiu o processo.

“O Sergio é um juiz fantástico”, diz Celso Três, promotor do caso. “É um cara que realmente faz o processo andar. Às vezes eu brincava, dizendo que com um juiz desse nem precisava de promotor”, diz. A frase de Celso Três faz lembrar o tom dos acusadores de Moro. O resumo da acusação cabe na frase de um desafeto: “Com o Moro, o jogo já começa sempre dois a um: é ele e o MP contra o acusado”.

O próprio Celso Três diz que não é assim. “É que no Brasil tem muito juiz que trava o processo. Ele não. E não cerceia a defesa, que tem o direito de recorrer ao Supremo, se for o caso. Agora, se o juiz mata tudo na primeira instância, a gente não tem a quem recorrer”, diz.

Seja como for, o resultado do caso Banestado e das contas CC5 desanimou Moro. Em 2009, já tendo saído de Cascavel, passado por Joinville e subido a serra de volta para Curitiba, ele escreveu um e-mail para amigos. “Quanto aos crimes de colarinho branco, o custo e o desgaste não valem o resultado. Se prende-se, se solta. Se não prende, prescreve pelo tempo entre eventual condenação e início da execução da pena.”

A Lava Jato mostraria ao Moro de 2015 que o Moro de 2009 estava redondamente errado.

O professor: bem visto pelos alunos, contestado por colegas

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2015/12/12/VidaCidadania/Imagens/Futuro/sergio_moro.jpg

Duas vezes por semana, Sergio Moro subia a escadaria da UFPR para suas aulas. O ritual se repetia desde 2007, quando passou em segundo lugar no concurso para o Departamento de Direito Penal. Lá, dá uma disciplina obrigatória para o último ano e, neste semestre, uma optativa sobre... lavagem de dinheiro. Evidente: a sala lota.

 Moro não costuma decepcionar os alunos. Mesmo em meio à Lava Jato, não falta e, segundo os alunos, só uma vez se atrasou no semestre. Visto como professor tranquilo, dá mostras de bom humor. Na política interna, se abstém de disputar cargos e até foge de votar (se não se pronuncia em público nem sobre os partidos da faculdade, imagine sobre PT e PSDB...).

 Entre os professores, está longe de ter a mesma unanimidade. Para alguns, Moro foi atacado pela “juizite”. Houvesse um dicionário de advogados a doença seria definida como o mal que ataca os magistrados, tornando-os arrogantes e de difícil trato. “Nem no cafezinho ele se mistura”, diz uma professora. “Nunca conversa com ninguém”, diz outro. Há quem o defenda. “Não tem juizite nenhuma. A vida da gente é corrida, ninguém fica lá matando tempo depois da aula”, diz o professor João Gualberto Garcez Ramos.

 O modo como muitos olham para Moro dentro da UFPR tem a ver com um processo em que ele não era juiz, e sim parte autor. Convidado para ser juiz instrutor do Supremo Tribunal Federal durante o mensalão, Moro pediu para acumular todas as aulas numa só noite. Uma portaria proibia isso. O juiz, ao ouvir a resposta, não só não gostou como entrou com um processo para conseguir o que queria. Perdeu.

 Para quem vê de fora, parece ter havido mais um problema de comunicação e de diplomacia. O problema acabou sendo resolvido de uma forma ou de outra. Mas ficaram as mágoas . Moro quis mostrar a importância de um professor da casa ir ao STF. Para muitos colegas, soou arrogante. Juizite? Depende de quem vê.

 O funcionário: o homem que escreve as próprias sentenças

 Antes da Lava Jato, o dia de Sergio Moro começava muitas vezes com uma pedalada de três quilômetros de seu apartamento até o prédio da Justiça Federal, na Anita Garibaldi. Hoje, por motivos óbvios, a pedalada em público está fora de cogitação. Mas muito da rotina segue igual: Moro continua acordando cedo e indo para sua sala na Torre Judiciária do Ahú.

 Chegar à 13.ª Vara exige passar por pelo menos duas barreiras de segurança. Na portaria, há detecção de metais e é preciso se identificar. Para chegar ao andar, só acompanhado por funcionário e passando pela segurança.

 A vara segue o padrão de todas as outras. Com a Lava Jato, ganhou mais quatro pessoas recentemente. Vagas disputadíssimas, aliás: cerca de 100 estudantes se cadastraram para ser estagiário de Moro. Os onze escolhidos para fazer a seleção foram informados por Gabriela Hardt, juíza substituta, que “a discrição conta pontos”.

  Os dois discretos estagiários escolhidos para a função ajudam a superpovoar o cartório, único setor visível da vara para quem vê de fora: é a parte administrativa e burocrática. Numa sala à esquerda, ficam os dois assessores jurídicos de Moro, classificados de “geniozinhos”. Genialidade à parte, o que corre pelos bastidores é que os dois auxiliam o Moro a pensar, mas não têm autorização para escrever uma linha das e sentenças.

 Tudo isso é escrito nas duas salas finais da vara. De um lado, Gabriela Hardt toca as demais ações. De outro, Moro cuida exclusivamente da Lava Jato. O fato de escrever as próprias sentenças já é estranho no Judiciário: há casos em que se dá exatamente o oposto, com o juiz delegando todo o trabalho de escrever a assessores. O trabalho é muito. “Tem sentença dele de quatro da manhã”, diz um observador.

 Recentemente, esse mesmo “observador” disse a Moro, brincando, que a qualidade dos textos caiu com a Lava Jato. Ouviu como resposta que ,com a quantidade atual de trabalho, “é o que dá para fazer”. Quantidade de trabalho que, segundo um amigo, só é viável por causa de uma capacidade (rara nos juízes, segundo ele) de manter várias bolas no ar ao mesmo tempo. “É impressionante o trabalho de logística dele”. Nem todos concordam. “O Sergio, metódico?”, questiona um amigo de longa data. “Acho ele até meio atrapalhado.”

 Seja como for, as 38 ações da Lava Jato continuam sendo tocadas pelo solitário juiz Moro. Talvez a custo de algum Red Bull, segundo quem já viu sua mesa. Faz sentido.

 Ele sempre foi um ponto fora da curva. Tinha nossa idade, formado há menos de um ano, aprovado em concurso de juiz meses após colar grau e dando aula em faculdade.

EX-ALUNO DE MORO.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2015/12/12/VidaCidadania/Imagens/Cortadas/sergio_moro_horizontal-kJJD-U102107598087wOB-1024x256@GP-Web.jpg

 O marido: os olhos brilharam para ela

 O ano que mudou a vida de Moro? Aposte em 1996. Foi o ano em que ele pegou o diploma de Direito, passou no concurso para juiz, começou a dar aulas na Faculdade de Direito de Curitiba e – mais importante – conheceu Rosângela.

 Quando chegou a Curitiba, Moro tinha basicamente a idade de seus alunos. Não é de admirar que se desse bem com eles, apesar da timidez. Era admirado pela turma. “Ele sempre foi um ponto fora da curva. Tinha nossa idade, formado há menos de um ano, aprovado em concurso de juiz meses após colar grau e dando aula em faculdade”, diz um aluno da primeira turma.

 Como ninguém é de ferro, dava uma esticada com os alunos depois das aulas noturnas. “Aí saía às vezes com a turma. Foi numas festas nossas e os olhinhos brilharam para a Rô”, conta um aluno. Rosângela Wolff de Quadros (hoje Moro) se formaria naquele ano. Hoje, dezenove anos depois, os dois continuam juntos e têm dois filhos.

 A família mora em um apartamento num prédio típico de classe média na zona norte de Curitiba. Com dois carros na garagem, a família não é de ostentar. Passa as férias em Balneário Camboriú e pelo menos uma vez por semana tem uma reunião com amigos. Entre os convivas mais frequentes, um assessor parlamentar, um dono de restaurante e um investidor da bolsa.

 Na conversa, nada de Lava Jato ou política. A grande disputa é sobre times de futebol. Moro é são-paulino. “Ele tem problema para escolher duas coisas: vinho e time de futebol”, diz um palmeirense que recusa qualquer rótulo de arrogante para o amigo famoso. “É só um cara tranquilo, tímido, que gosta de ficar com a família, os amigos, fumar charuto e tomar um vinho. Mas o melhor é que eu escolha o vinho pra ele”, diz, sorrindo.


  Sérgio Moro é um Adulto Índigo ou Cristal?


  Os índigo e Cristal tem sido alvo principal dos desumanos com bandidagens desde a drogalização infantil - http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2011/06/criancas-drogadas-por-pais-entorpecidos.html - até a destruição da personalidade com a ideologia de gênero porque, em face de suas habilidade de raciocínio espacial e de conexão intuitiva, quando amadurecem os índigo e cristal percebem e desmascaram a realidade escondida por trás dos engodos como, costumeiramente, os psicopatas vem manipulando a humanidade. https://youtu.be/d6yhKYs6Rus   https://vimeo.com/166765353

   Um dos engodos mais paradoxais usados na manipulação humana é a pretensa "oposição" entre o capitalismo e o socialismo-comunismo. Esses sistemas não são opostos como você já vai ver:

 Os socialistas e os maiores empresários capitalistas são aliados uns dos outros. Quando acabou a cortina de ferro, de onde surgiram vários bilionários russos? do capitalismo dissimulado atrás da fachada socialista! O multibilionário Bill Gates é capitalista na área econômica e socialista em ideais.

 A China é comunista e capitalista ao mesmo tempo e, contudo, jamais poderia ser comunista e Cristã ao mesmo tempo. A China e todos comunistas-socialistas perseguem os Cristãos e, contudo, não perseguem os capitalistas.

  O oposto do socialismo-comunismo é o Cristianismo.


Brindemos ao 



Como os EUA trataram de casos de troca de mensagens entre juízes e promotores

19 de junho de 2019, 6h15

Por Antonio Vieira

O sistema de Justiça dos EUA também já se deparou com casos envolvendo troca de mensagens de texto entre promotores e juízes, durante julgamentos criminais. Essas situações caracterizam aquilo que os norte-americanos chamam de ex parte communications, em que a comunicação de uma das partes com o juiz, sem a presença e/ou conhecimento da outra, já pode ter a capacidade de afetar a percepção sobre a imparcialidade judicial e, consequentemente, a higidez dos julgamentos. Há registro de que em pelo menos dois casos a situação foi grave e exigiu a adoção de medidas drásticas por parte dos órgãos de controle e das demais instâncias do sistema de Justiça.

Um exemplo foi a situação de desvio de conduta atribuído à juíza Ana Gardiner e ao promotor Howard Michael Scheinberg[1]. O caso aconteceu no condado de Broward, na Flórida, em 2007, e chocou a comunidade jurídica local. Gardiner e Scheinberg foram punidos depois que se descobriu que eles, secretamente, haviam trocado 949 telefonemas e 471 mensagens de texto, durante o julgamento de um processo em que ambos atuavam[2]. A conduta imprópria, caracterizada pelas conversações mantidas sem o conhecimento da defesa e dos jurados, teve lugar durante os cinco meses, durante a fase mais relevante do julgamento de Omar Loureiro — State v. Loureiro, No. 04-15633CF10A (Fla. 17th Cir. Ct.) —, um réu acusado de assassinato e para quem a Promotoria pleiteava e obteve a condenação à pena de morte. Conquanto Scheinberg e Gardiner tivessem negado que as conversas tivessem relação com o processo em andamento[3], a condenação de Loureiro foi anulada e lhe foi assegurado o direito a um novo julgamento[4].

Em razão do ocorrido, a juíza Gardiner teve que se demitir (resign). No acordo celebrado com a Judicial Qualifications ComissionJQC, ela se comprometeu a jamais voltar a concorrer ao cargo de juíza[5]. Além disso, ela foi processada pela Florida BAR Association e, por decisão da Suprema Corte do Estado da Flórida, perdeu definitivamente a licença para o exercício de atividades jurídicas (disbarred)[6]. Na decisão, proferida em 2014, a corte considerou Gardiner culpada por má conduta profissional e assentou que o comportamento da magistrada manchou todo o processo judicial. Invocando o precedente In re Adams, 932, So. 2d 1025, 1027 (Fla. 2006) — o tribunal considerou que a sua conduta desonesta comprometeu a percepção da comunidade jurídica e do público em geral de que os juízes são absolutamente imparciais quando julgam as causas. A corte ainda destacou o fato de que Gardiner, por estar presidindo o julgamento, tinha a grande responsabilidade de preservar a integridade do processo judicial e de assegurar ao réu um julgamento justo, circunstância que recomendava a aplicação de uma sanção rigorosa.

Já o promotor Scheinberg teve sua licença para a prática de atividades jurídicas suspensa por dois anos[7]. Na decisão, a Suprema Corte da Flórida deixou consignado que era evidente que as comunicações mantidas entre a juíza e o promotor não eram casuais ou protocolares, como costuma ser o tipo de comunicação que acontece quando um advogado e juiz se cruzam pelos corredores do fórum, e que, com a descoberta das extensas conversações, criou-se uma aparência de impropriedade em relação ao julgamento, servindo para comprometer a percepção acerca da imparcialidade judicial, no caso. Para o tribunal, ademais, a natureza grave da má conduta e o dano causado à administração da Justiça (pois as comunicações indevidas impuseram a anulação do primeiro julgamento do acusado) justificavam a aplicação de uma sanção severa.

Um outro exemplo foi o caso da juíza que ficou conhecida como “the texting judge[8].

Elizabeth J. Coker era juíza no Condado de Polk, no Texas, até que foi forçada a se demitir[9], num acordo celebrado na Comissão Estadual de Conduta Judicial[10]. Na origem de tudo estava o fato de que, durante um julgamento criminal, a juíza Coker havia mandado uma mensagem de texto para o telefone celular da promotora assistente Kaycee L. Jones, orientando e sugerindo uma determinada linha de arguição a ser utilizada pelo Ministério Público.

O episódio ocorreu num processo (State v. David M. Reeves) em que o réu era acusado de agressão a um bebê. No momento em que a promotora Beverly Armstrong interrogava o acusado, a juíza Coker enviou uma mensagem de texto para a promotora assistente Kaycee Jones, na qual tentava ajudar e orientava a atuação da promotoria. Na mensagem, dizia a juíza à promotora: “O bebê defecou no acusado. Isto deixou ele furioso. Ele acabou de declarar que o bebê defecou nele. Se ele jogou o cachorro da cama por ter o cachorro urinado na cama, o que ele faria se o bebê tivesse defecado nele??????”.

A promotora Jones, que não conduzia a acusação naquele dia e que lá estava apenas assistindo ao julgamento, prontamente respondeu: “Boa questão”. E a juíza prosseguiu: “Conte a Beverly”[11], com o que pediu que a sugestão fosse repassada para a promotora que conduzia o interrogatório. Jones então usou um bloco de papel para transcrever a orientação da juíza e pediu que David Wells — um investigador da promotoria que estava sentado próximo — repassasse a anotação à promotora que fazia as perguntas. No topo do bilhete, Jones escreveu “Judge says” (“A juíza disse”), com o que pretendia mostrar à colega que se tratava de uma sugestão da própria juíza. O investigador Wells repassou a anotação para a promotora, mas antes leu a mensagem e percebeu do que se tratava.

A promotora Beverly Armstrong, por alguma razão, sequer chegou a formular a pergunta sugerida e tampouco utilizou a linha de raciocínio recomendada. Apesar do esforço da juíza Coker para ajudar a promotoria a obter um veredicto condenatório, o réu Reeves terminou absolvido da acusação que lhe faziam[12]. Ainda assim, a tentativa de ajudar a acusação através de mensagens de texto enviadas sem o conhecimento da defesa (ex parte text-message communications) custou caro para a magistrada.

Após o julgamento, o investigador Wells fez uma carta[13] reportando o caso de desvio ético aos seus superiores, tendo anexado ao documento uma cópia do bilhete que havia retido. O caso foi considerado um escândalo e teve enorme repercussão nos meios de comunicação locais[14]. E tanto a juíza Coker quanto a promotora Jones enfrentaram processos disciplinares.

Mesmo não tendo havido a condenação do réu naquele caso, a conduta da juíza foi considerada antiética e tendenciosa, a ponto de comprometer a imparcialidade que deve caracterizar a atuação judicial nos processos penais. Como destacou o juiz texano Gary Bellair, o episódio caracterizou uma indiscutível afronta ao sistema adversarial de justiça, que tem na sua base o princípio da imparcialidade judicial[15].

Depois que um parlamentar do Texas representou pela abertura de um processo de impeachment, a Comissão de Conduta Judicial abriu uma investigação que durou alguns meses e que só foi encerrada quando a juíza Coker concordou em se demitir. O acordo impôs a Coker a proibição de voltar a atuar como juíza no estado do Texas, ficando-lhe vedado se candidatar ou ser indicada para exercer qualquer tipo de função judicial no Texas, inclusive a celebração de casamentos[16].

Em razão da sua cumplicidade com a má conduta da juíza, a promotora Kaycee Jones também teve que responder por professional misconduct. No processo perante o Conselho Disciplinar do The Texas Bar Association, ela reconheceu o erro e se disse profundamente arrependida. Num documento enviado ao órgão, Jones escreveu: “Aquilo foi errado e eu tinha condição de saber. Meu chefe, o promotor Lee Hon, discutiu esse incidente comigo e nós concordamos que aquilo não devia ter acontecido e que não irá acontecer novamente”. E concluiu: “Agora compreendo plenamente a importância da imparcialidade de um juiz em um julgamento e minhas responsabilidades como advogada de não participar de tal conduta. Eu estava errada e nada disso acontecerá novamente”[17].

O processo contra Jones também terminou em acordo, com a aplicação das penalidades de censura pública e sanção pecuniária[18]. As reprimendas impostas a Jones foram mais leves (do que as impostas a Coker) graças ao entendimento de que sua participação foi menos grave: ela não era a promotora encarregada do caso; teria se limitado a encaminhar a mensagem da juíza; a pergunta sugerida sequer chegou a ser feita; e, por fim, como o réu foi absolvido, seu comportamento não teria contribuído para uma condenação injusta. Ainda assim, os fatos foram suficientemente graves para que se concluísse ter havido quebra da imparcialidade judicial, à medida que a juíza havia se aliado à promotoria para ajudar a obter a condenação do acusado[19].

Ainda que se possa discordar da (pouca) gravidade das sanções aplicadas e até mesmo do fato de os processos disciplinares também serem resolvidos por uma espécie de plea bargaining, o certo é que episódios como esses — na Justiça criminal dos Estados Unidos, ao menos — estão longe de serem compreendidos como algo que está dentro da normalidade.

A percepção de que é necessário anular eventuais condenações (obtidas em processos em que haja um comprometimento da condição de imparcialidade do juiz) e proporcionar aos réus novos julgamentos, por si só, já revela que o sistema de justiça não pode se conformar com essas situações de má conduta dos sujeitos processuais, especialmente quando restem afetados valores essenciais à Justiça.

E a adoção de providências — seja em relação à renovação de julgamentos, seja em relação à punição dos agentes da lei envolvidos nos casos de comportamento impróprio — materializa um importante efeito dissuasório (deterrent effect) para inibir novos casos de official misconduct, com a consequente perda da credibilidade do sistema de justiça. Pois, como disse o justice William O. Douglass — quando do julgamento, pela Suprema Corte americana, do caso Brady v. Maryland — “Society wins not only when the guilty are convicted, but when criminal trials are fair. Our system of the administration of justice suffers when any accused is treated unfairly[20].

Clique aqui para ler o artigo completo.

*Texto reduzido, com supressão de trechos e referências, com o fim de atendimento de critérios editoriais de publicação na internet


[1] CHRISTIE, Joel. Florida judge disbarred over 'personal relationship' with prosecutor after they exchanged 949 phone calls and 471 texts during death penalty trial. Disponível em: <https://www.dailymail.co.uk/news/article-2650686/Florida-Supreme-court-disbars-judge-having-personal-emotional-relationship-prosecutor-exchanging-949-phone-calls-471-texts-death-penalty-trial.html>.

[2] BROWNING, John G. ob. cit., p. 884/885.

[3] Segundo a apuração, os dois teriam se envolvido numa relação pessoal e emocional (ambos negaram se tratar de relacionamento amoroso – BROWNING, John G. ob. cit., p. 885).

[4] No segundo julgamento, Loureiro foi mais uma vez condenado, mas a pena aplicada foi a de prisão perpétua (ROUSTAN, Wayne K. Ex-Death Row inmate found guilty of Lighthouse Point murder gets third trial on appeal. Disponível em: <https://www.sun-sentinel.com/news/fl-xpm-2013-10-09-fl-appeal-gets-new-trial-20131009-story.html>.

[5] NEVINS, Buddy. Ana Gardiner Quits Bench; Gets Private Job. Disponível em: <https://www.browardbeat.com/ana-gardiner-quits-bench-gets-private-job>. Último acesso: 15/6/2019.

[6] The Florida BAR v. Ana I. Gardiner, SC11-2311 (2014).

[7] Fla. Bar v. Scheinberg, SC11-1865 (2013).

[8] HYLTON, Hilary. The Tale of the Texting Judge: How small town justice became a big time scandal in East Texas. Disponível em:<http://nation.time.com/2013/11/01/the-tale-of-the-texting-judge>.

[9] CUSHING, Tim. Texas judge forced to resign after being caught texting instructions to assistant DA during trial. Disponível em: <https://www.techdirt.com/articles/20131023/14363624989/texas-judge-forced-to-resign-after-being-caught-texting-instructions-to-assistant-da-during-trial.shtml>.

[10] In re Coker, Voluntary Agreement to Resign From Judicial Office in Lieu of Disciplinary Action, at 1–2 (Tex. Commission on Judicial Conduct, Oct. 19, 2013). Disponível em: <http://www.scjc.texas.gov/media/46635/coker13-0376-di13-0448-di13-0471-di13-0712-di13-0815-di13-0101diresignation.pdf>.

[11] “― Baby pooped on defendant. That pissed him off. He just testified baby pooped on him. If he threw dog off bed because dog peed on bed, what would he do if baby pooped on him??????” (BELLAIR, Gary. Ex parte communications: a click from calamity. Disponível em: <https://www.txmca.com/index.php/download_file/view/91/339>. “― Good point”. “― Tell Beverly