sexta-feira, 30 de julho de 2010

crise financeira internacional quebra bancos americanos causas 2008

Crise do capitalismo?...

 

Álvaro Pedreira de Cerqueira

Membro do Conselho Nacional de Entidades

CONNACEN*

 

Há limites para o bem que o Estado pode fazer à sociedade. Mas não ao mal que pode fazer. Ludwig von Mises

 

De acordo com Ludwig von Mises (1881-1973), da Escola Austríaca de Economia, o intervencionismo do Estado no mercado não realiza os seus fins pretendidos. Em vez disso, ele altera o mercado. E aquela distorção precisa de ajuste. O resultado é mais distorção, conduzindo a mais intervenção e a  concomitante estagnação causadora muitas vezes de falência de negócios. Uma prova atual é a causa da presente crise econômica que assola a economia mundial. Nos anos 20 o presidente Hoover, dos Estados Unidos, fez intervenções que resultaram na quebra da Bolsa de Nova York em 1929, em parte por inexperiência das autoridades monetárias, levando o mundo à maior depressão econômica da história. Eleito o presidente Roosevelt, este aplicou as idéias de Keynes, que recomendavam que o Estado gastasse para reanimar a atividade econômica e o emprego. F. Hayek, aluno de von Mises, avisou que os elevados gastos estatais trariam inflação, nova queda na atividade e novo surto de desemprego. Tal não ocorreu logo porque estourou a segunda Guerra mundial e os Estados Unidos passaram a fornecer à Europa não só armas, veículos e soldados, mas petróleo, alimentos e remédios. O PIB americano cresceu 6 vezes no período da guerra, escondendo a inflação.

Em 1938 Roosevelt criou duas empresas de financiamento da habitação a juros subsidiados (nova intervenção no mercado), a Fannie Mae e a Freddy Mac, para financiar hipotecas garantidas pela Federal Home Administration. Elas foram usadas por cada presidente que sucedeu a Roosevelt como um meio de realizar este estranho valor americano de que cada cidadão deve possuir uma casa, não importa quem. Assim, deram permissão legal a essas duas companhias de comprar hipotecas privadas e incorporá-las às suas carteiras, as subprime. Mais tarde, nos governos dos presidentes Johnson e Nixon, elas foram transformadas em empresas públicas e venderam ações nas bolsas. As pessoas chamaram esta venda de ações de privatização, mas isto é falso. Elas tiveram acesso a uma linha garantida de crédito junto ao Tesouro dos Estados Unidos, com direito a taxas de juros mais baixas do que qualquer de suas concorrentes do setor privado. Depois da crise do choque do petróleo dos anos 70, em que Nixon acabou com o padrão ouro e adotou o câmbio flutuante, os Estados Unidos tiveram inflação elevada e o Fed (Banco Central americano) subiu as taxas de juros para 6% para controlá-la.   Mais tarde o Fed, sob a presidência de Alan Greenspan,  abaixou a taxa de juros dos fundos federais de 6 % em janeiro de 2001 para 1 % até o junho de 2004, por cerca de 3 anos e meio, causando uma explosão inusitada dos empréstimos hipotecários. Sem a baixa agressiva das taxas de juros pelo Fed, os empréstimos hipotecários não poderiam ter explodido.

A frouxidão monetária adubou o terreno para várias atividades falsas que não teriam ocorrido sem aquela facilidade. Mesmo se as autoridades tivessem mantido controles fortes sobre os empréstimos  hipotecários, enquanto ao mesmo tempo criavam dinheiro “do ar rarefeito”, como escreveu Frank Shostak em artigo de 29.09.2008 no site do Ludwig von Mises Institute, “e os excessos teriam surgido em algum outro setor”. Os bancos acabariam tendo ativos ruins não-hipotecários. A política frouxa do Fed é o ponto crucial do problema. Assim, antes que culpar os sintomas, o que é necessário é “deixar o mercado trabalhar e fechar todos os buracos que permitem a criação de dinheiro e crédito a partir do nada", como defende Shostak. Mas o presidente Bush decidiu emitir mais dinheiro falso, mais de 700 bilhões de dólares, para o resgate das hipotecas podres. É sempre assim, intervenção do governo traz problemas e as autoridades acham que o remédio é mais intervenção, como ensinou von Mises, jogando sempre a conta para os pagadores de impostos pagar. Eles juram que qualquer outra opção seria devastadora para o já sofredor mercado de habitação. A razão deste setor estar tão selvagemente inflado é que os bancos sabiam que a Fannie e a Freddie seriam capazes de comprar qualquer dívida de hipoteca  criada  pelo  sistema  bancário.  O resultado está no pânico que  tomou conta

 

2

 

dos mercados mundiais, e Lula acha que chegará ao Brasil apenas uma marolinha e não o tsunami que atingiu a Europa e a Ásia em 6 de outubro, a "segunda-feira negra" corno foi chamada. Mas veja o leitor que não estamos falando sobre o fracasso do mercado. A imprensa e o governo americano estão se esforçando para culpar desta calamidade os tomadores de empréstimo privados e os emprestadores. Mas a origem dessa tragédia é a legislação federal americana. Essas duas companhias, Fannie e Freddie, não são entidades de mercado. Elas foram por muito tempo garantidas pelo Tesouro, ou seja, pelos pagadores de impostos. Segundo Lew H. Rockwell, júnior, presidente do Ludwig von Mises Institute, do Alabama, EUA, elas também não são entidades socialistas, porque têm donos privados. "Elas ocupam um terceiro status para o qual há um nome: fascismo", diz ele em um artigo de 14.07.2008. Realmente, é sobre isto que estamos falando: a tendência inexorável do fascismo financeiro para transformar-se em socialismo financeiro na sua plenitude, que acaba em bancarrota, em falência.

Ainda para este mesmo autor, intervenção do governo no mercado parece-se com um frasco de veneno que se despejasse no sistema de distribuição de água potável de nossa cidade. Poderíamos sobreviver com ele durante um longo tempo e ninguém parecer ficar envenenado. Um dia acontece que todo mundo fica doente, e a culpa não é do desconhecido veneno, mas da própria água. Assim aconteceu com a atual crise da habitação. Os emprestadores estão sendo culpados do fiasco inteiro, e o capitalismo está sendo submetido a uma surra corno de hábito, desde que a Freddie e a Fannie estão sendo vendidas em mercados públicos. Mas a causa real permanece, e há só uma razão para a crise que se agravou a esse ponto. A causa está naquele frasco de veneno do governo, chamado intervencionismo. Corno ensinou von Mises nos anos 20 do século passado.

 

*Objetiva trabalhar pelo aperfeiçoamento do Estado brasileiro. Álvaro Pedreira de Cerqueira <alvaropcerqueira@uol.com.br>

 

Artigo escrito em 08.10.2008 e publicado no ‘Estado de Minas’

 

 

terça-feira, 27 de julho de 2010

5 Lições de Ouro e a "Galáxia dos 7 Saberes Transdisciplinares para a Educação"

Muito interessante a proposta

"Galáxia dos Sete Saberes Transdisciplinares para a Educação "

Lembra-ma a máxima de Millor:

"Especialização consiste em saber cada vez mais,

sobre cada vez menos...

Saber cada vez mais, sobre cada vez menos...

Cada vez mais, sobre cada vez menos...

Até saber tudo sobre o nada..."

 

Os melhores enfoques que tenho encontrado são multidisciplinares...

 

Sabedoria, aprendi com um grande mestre japonês,  consiste em ultrapassar o conhecimento e atingir a simplicidade:

Referia-se a essa elevada capacidade como a qualidade de SHIBUMI:

http://www.padilla.adv.br/evoluir/shibumi/

 

 

Desenvolvida pela Base de Pesquisa Corporeidade e Educação – BACOR/UFRN com o objetivo de traduzir a religação desses saberes concebidos por Edgar Morin. Utilizando as ferramentas do pensamento ecossistêmico apresentadas por Cândida Moraes, delineamos um sistema epistemológico como o nosso sistema planetário que integra uma galáxia do tipo espiral.  Ao centro temos um sol representado pela "condição humana".

A sua volta, giram os demais saberes: "cognoscência", "conhecimento pertinente", "identidade terrena", "incertezas", "compreensão", "ética". Como corpos planetários, esses saberes giram em torno do seu próprio eixo e também realizam um movimento de translação em torno da estrela da "condição humana". A este movimento elíptico de cada saber específico está associado um processo de metamorfose tal como as fases de desenvolvimento de uma borboleta.   Para cada saber específico, identificamos um processo autoecopoiético capaz de propiciar a construção e a vivência daquele saber. Assim, a nossa estrela central emana energia luminosa da autoeco-humanescencialidade para os demais corpos luminescentes que compõem o sistema epistemológico dos Sete Saberes Transdisciplinares para a Educação.


 
 
 
 
Lição Nº1 - Gestão do Conhecimento


Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair dele e
está se enxugando.

A campainha da porta toca.

Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a
mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas.

Quando ela abre a porta, vê o vizinho Bob em pé na soleira.

Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Bob diz: 'Eu lhe dou 800 dólares se
você deixar cair esta toalha.'

Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua.
Bob então entrega a ela os 800 dólares prometidos e vai embora.

Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e
volta para o quarto.

Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro 'Quem era?' 'Era o Bob, o
vizinho da casa ao lado.' - diz ela.

'Ótimo! Ele lhe deu os 800 dólares que ele estava me devendo?'


Moral da história:
Se você compartilha informações a tempo você pode prevenir exposições
desnecessárias!!!



Lição Nº2 - Chefia e Liderança

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua
encontram uma antiga lâmpada a óleo.

Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio.

O gênio diz: 'Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um
de vocês'.

'Eu primeiro, eu primeiro.' grita um dos funcionários.
'Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na
vida!'

Puf! e ele se foi.

O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
' Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável
de pinas coladas!'

Puf e ele se foi.

'Agora você' diz o gênio para o gerente.

'Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço.' - diz o
gerente.


Moral da História:
Deixe sempre o seu chefe falar primeiro .



Lição Nº3 - Zona de Conforto


Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada.

Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
'Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?'

O corvo responde: 'Claro, porque não?'

O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa.

De repente uma raposa aparece e come o coelho.


Moral da História:
Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar sentado bem no alto.



Lição Nº4 - Motivação


Na África todas as manhãs uma gazela acordava sabendo que ela deveria conseguir
correr mais do que o leão se quisesse se manter viva.

Todas as manhãs o leão acordava sabendo que deveria correr mais do que a gazela
se não quisesse morrer de fome.


Moral da História:
Não faz diferença se você é gazela ou leão, quando o Sol nascer você deve
começar a correr.



Lição Nº5 - Criatividade


Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade,
pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.

No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas
que provavelmente invadiram suas terras.

Ao se aproximar lentamente,
observa várias garotas nuas se banhando na lagoa.

Quando elas percebem a sua presença,
nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.

O fazendeiro responde:
eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés !


Moral da História:
A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos.



Se você não sabe para onde está indo,
é melhor ir para outro lugar.
 ( Yogi Berra )
 


 

 


Viver mais intensamente e muito melhor... Como?

----- Original Message -----
Sent: Sunday, July 25, 2010 7:33 PM
Subject: ARTIGO DO JORNAL O ESTADO DE S.PAULO

Muito interessante...

 

O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos. 

Se você ficar numa sala branca vazia,

sem nenhuma mobília, portas ou janelas, sem relógio.... começará a perder a noção do tempo. 

Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea. 

Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol. 

Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar: 

Nosso cérebro é extremamente otimizado. 

Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.

Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia.

Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade.

Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando você vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo. 

É quando você se sente mais vivo.


Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo automático e 'apagando' as experiências duplicadas. 

Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente. 

Quando começamos a dirigir automóveis, tudo parece muito complicado, nossa atenção parece ser requisitada ao máximo. 

Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo. 

Como acontece?
Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); O cérebro já sabe qual marcha trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa , no lugar de repetir realmente a experiência). 

Ou seja, você não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura de placa são apagados de sua noçãode passagem do tempo.

Quando você começa a repetir algo exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida. 

Conforme envelhecemos as coisas começam a se repetir - as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações, -.... enfim... as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo. 

Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou, para algumas pessoas, na década. 

Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a...

ROTINA


A rotina é essencial para a vida e otimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas ama tanto a rotina que, ao longo da vida, seu diário acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos. 

Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M & M(Mude e Marque).

Mude, fazendo algo diferente e marque, fazendo um ritual, uma festa ou registros com fotos.

Mude de paisagem, tire férias com a família (sugiro que você tire férias sempre e, preferencialmente, para um lugar quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas.


Tenha filhos ou animais de estimação (eles destroem a rotina)

Sempre faça festas de aniversário e para você (marcando o evento e diferenciando o dia). 

Use e abuse dos rituais para tornar momentos especiais diferentes de momentos usuais. 


Faça festas de noivado, casamento, 15 anos, bodas disso ou daquilo, bota-foras, participe do aniversário de formatura de sua turma, visite parentes distantes, entre na universidade com 60 anos, troque a cor do cabelo, deixe a barba, tire a barba, compre enfeites diferentes no Natal, vá a shows, cozinhe uma receita nova, tirada de um livro novo. 

Escolha roupas diferentes, não pinte a casa da mesma cor, faça diferente.


Beije diferente sua paixão e viva com ela momentos diferentes. 

Vá a mercados diferentes, leia livros diferentes, busque experiências diferentes. 

Seja Diferente!


Se você tiver dinheiro, especialmente se já estiver aposentado, vá com seu marido, esposa ou amigos para outras cidades ou países, veja outras culturas, visite museus estranhos, deguste pratos esquisitos.... em outras palavras... V-I-V-A. !!!

Porque se você viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo. 

E se tiver a sorte de estar casado(a) com alguém disposto(a) a viver e buscar coisas diferentes, seu livro será muito mais longo, muito mais interessante e muito mais v-i-v-o... do que a maioria dos livros da vida que existem por aí. 

Cerque-se de amigos.

Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes e que gostam de comidas diferentes. 

Enfim, acho que você já entendeu o recado,não é?

Boa sorte em suas experiências para expandir seu tempo, com qualidade, emoção, rituais e vida.


E
SCREVA em TAmaNhos diFeRenTesem CorES
difErEntEs!

CRIE, RECORTE, PINTE, RASGUE, MOLHE, DOBRE, PICOTE, INVENTE, REINVENTE...


V I V A !!!

 

 


 


Basicamente,
         em outras palavras,
               a proposta do
                     mudada, hehehe

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Validade de custas pagas por Internet Banking


 

Validade de custas pagas por Internet:

Luiz R. N. PADilla

Professor da Faculdade de Direito da UFRGS

Após discorremos sobre alguns aspectos, relacionados às normas processuais que nos pareceram violadas quando um recurso for considerado deserdo porque o pagamento das custas ocorreu por meio do Internet Banking, fomos provocados por Colegas e Alunos. As instituições financeiras são pessoas de direito privados que prestam serviços para auferir lucro e celebram acordos para receber verbas públicas, baseados na credibilidade do sistema bancário.

Contudo, o advogado, sendo indispensável à administração da Justiça, exerce uma função de natureza pública, e para isto - lembras? - presta compromisso... Qualquer advogado tem fé pública para declarar autêntica a assinatura do cliente e dar início a um processo, seja contra quem for, sem necessidade der reconhecer a firma na procuração. O advogado pode declarar a autenticidade das cópias do processo... Então, como poderiam levantar dúvidas sobre um comprovante de pagamento juntado pelo advogado?

Se o advogado pode atestar a autenticidade de cópias, feitas sob sua responsabilidade, com muito mais razão dará credibilidade ao recolhimento de custas, que providenciou pela internet.

Ademais disto, no caixa dos bancos,  a máquina de autenticação diferem na impressão, dos terminais de atendimento. Quem já pagou em terminal de auto-atendimento sabe que sai com um papelzinho amarelado, com uma impressão que, com o tempo, apaga... Será que esse papelzinho do terminal, que se apaga com o tempo, vale mais do que o comprovante do Home Banking, pessoalmente validado pelo advogado?

Em nosso entender, o comprovante do Home Banking vale pela credibilidade do advogado que o anexou. Se o advogado faltar com a verdade com um documento, acabou toda possibilidade de processo eletrônico, no qual o advogado junta apenas imagens de documentos, sendo responsável pela autenticidade.

 

Urânio empobrecido bombas sujas mísseis


 Este artigo não representa a opinião do autor do blog estando aqui para ilustrar o risco do desenvolvimento tecnológico.

 Enquanto a humanidade permitir o controle-manipulação pelos mutantes psicopatas, a tecnologia poderá ser usada para o mal e contra outras raças do Universo.
 Por isso, a Data Limite*:





Urânio empobrecido: bombas sujas, mísseis sujos e balas sujas

Uma sentença de morte aqui e lá fora


por Leuren Moret [*]


Os militares são apenas animais estúpidos a serem utilizados como peões na política externa".
Henry Kissinger, citado em "Kiss the Boys Goodbye: How the United States Betrayed Its Own POW's in Vietnam"


O Vietnam foi uma guerra química, contaminando de modo permanente grandes regiões e países a jusante com o Agente Laranja, e ambientalmente a mais devastadora guerra da história mundial. Mas desde 1991 os EUA dirigiram quatro guerras nucleares utilizando armamento com urânio empobrecido (depleted uranium, DU) o qual, tal como o Agente Laranja, cumpre a definição do governo americano de Armas de Destruição Maciça. Vastas regiões no Médio Oriente e na Ásia Central foram contaminadas permanentemente com radiação.

E o que se passa com os nossos soldados? Terry Jemison, do Department of Veterans Affairs, relatou esta semana à American Free Press que os veteranos da era do Golfo com incapacidades médicas desde 1991 chegam a 518.739, com apenas 7.035 feridos no Iraque no mesmo período de 14 anos.

Esta semana a American Free Press lançou uma "bomba suja" sobre o Pentágono ao revelar que oito em cada 20 homens que serviram numa unidade na ofensiva militar americana de 2003 no Iraque agora têm tumores (malignancies). Isto significa que 40 por cento dos soldados naquela unidade desenvolveram tumores num período de apenas 16 meses.

Uma vez que estes soldados estiveram expostos apenas a vacinas e ao urânio empobrecido, isto constitui uma forte evidência para investigadores e cientistas a trabalhar nesta questão de que o DU é a causa definitiva da Síndroma da Guerra do Golfo. Não consta que as vacinas causem câncer. Um dos primeiros investigadores que publicou trabalhos sobre a Síndroma da Guerra do Golfo, o Dr. Andras Korényi-Both, que em 1991 também serviu no Iraque, está de acordo com Barbara Goodno, do Deployment Health Support Directorate do Departamento de Defesa, em que desta vez estes soldados não foram expostos a produtos químicos, pesticidas, bioagentes ou outras causas suspeitas de confundir a questão.

Esta poderosa nova evidência está a encher de buracos o encobrimento perpetrado pelo Pentágono e por três administrações presidenciais desde 1991 quando o DU foi utilizado pela primeira vez sobre campos de batalha. Os efeitos a longo prazo revelaram que o DU é uma sentença de morte e algo asqueroso.

Cientistas que estudaram os efeitos biológicos do urânio na década de 60 relataram que ele atinge o DNA. Marion Fulk, um físico-químico nuclear aposentado do Livermore Nuclear Weapons Lab e anteriormente envolvido no Manhattan Project, interpreta os novos e rápidos tumores nos soldados da guerra de 2003 como "espectaculares... e uma matéria de preocupação".

Esta evidência mostra que dos três efeitos que o DU tem sobre os sistemas biológicos — radiação, químico e em forma de partículas — o efeito das nano-partículas é o mais dominante imediatamente após a exposição e atinge o Código Mestre no DNA. Isto é uma má notícia, mas explica porque o DU provoca uma miríade de doenças que são difíceis de definir.

Em palavras simples, o DU "apodrece o corpo". Ao ser perguntado se a principal propósito do seu uso é destruir coisas e matar pessoas, Fulk foi mais específico: "Eu diria que isto é a arma perfeita para assassinar montes de pessoas".

Pode-se esperar que soldados que desde 2003 desenvolveram tumores tão rapidamente possam desenvolver câncers múltiplos de causas independentes. Este fenómeno tem sido relatado por médicos em hospitais que trataram civis a seguir aos bombardeamentos da NATO com DU na Jugoslávia em 1998-1999 e da invasão americana do Iraque em 1991 quando o DU foi utilizado pela primeira vez. Peritos médicos relatam que este fenómeno de tumores múltiplos de causas não relacionadas tem sido ignorado até agora e é um novo síndroma associado à exposição interna com DU.

Apenas 467 americanos foram feridos nas três semanas da Guerra do Golfo Pérsico em 1990-1991. Dos 580.400 soldados que serviram na I Guerra do Golfo, 11.000 estão mortos, e em 2000 havia 325.000 com incapacidade médica permanente. Este número espantoso de veteranos incapacitados significa que uma década depois 56 por cento daqueles soldados agora têm problemas médicos.

O número de veteranos incapacitados relatado até 2000 tem estado a aumentar ao ritmo de 43.000 por ano. Brad Flohr, do Department of Veterans Affairs, acredita que há mesmo mais veteranos incapacitados agora do que após a Segunda Guerra Mundial.

CONTAMINARAM AS ESPOSAS

Não só os soldados foram expostos ao DU sobre os campos de batalha e fora deles como eles os trouxeram para casa. O DU no sémen dos soldados contaminou internamente as suas esposas, parceiras e namoradas. Tragicamente, algumas mulheres nos seus 20 e 30 anos que foram parceiras sexuais de soldados expostos desenvolveram endometriose e foram forçadas a sofrer histerectomias devido a problemas de saúde.

Num conjunto de 251 soldados de um grupo de estudo no Mississipi que haviam tido bebés normais antes da Guerra do Golfo, 67 por cento dos bebés do pós-guerra nasceram com defeitos severos. Vieram à luz sem pernas, braços, órgãos ou olhos ou tiveram doenças do sistema imunitário e do sangue. Agora, em algumas famílias de veteranos, os únicos membros normais ou saudáveis da família são as crianças nascidas antes da guerra.

O Department of Veterans Affairs declarou que não mantem registos de nascimentos defeituosos verificados em famílias de veteranos.

Como fizeram eles para esconder isto?

Antes que um novo sistema de armas possa ser usado, ele deve ser plenamente testado. O plano para armas de urânio empobrecido é um documento desclassificado de 1943 do Projecto Manhattan.

O presidente de Harvard e o físico James B. Conant, que desenvolveu o gás venenoso na I Guerra Mundial, foi trazido para o Manhattan Project pelo pai do candidato presidencial John Kerry. O pai de Kerry trabalhou num alto nível do Projecto Manhattan e era agente da CIA.

Conant era presidente do S-1 Poison Gas Committee, que recomendou o desenvolvimento de armas de gás venenoso a partido do lixo radioactivo do projecto da bomba atómica na II Guerra Mundial. Naquele tempo, era sabido que materiais radioactivos dispersos por bombas a partir do ar, a partir de veículos terrestres ou sobre campos de batalha produziam um pó radioactivo muito fino que penetraria através de todos os vestuários de protecção, quaisquer máscaras ou filtros de gases ou a pele. Ao contaminar os pulmões e o sangue, ele poderia muito rapidamente matar ou provocar doenças.

Eles também recomendaram o DU como um contaminante permanente de terrenos, o qual poderia ser utilizado para destruir populações através da contaminação de abastecimentos e terras agrícolas com pó radioactivo.

O primeiro sistema de armas DU foi desenvolvido pela U.S. Navy em 1968, e as armas DU foram dadas a Israel, que as utilizou em 1973 sob a supervisão americana na guerra do Yom Kippur contra os árabes.

O sistema de armas Phalank, utilizando DU, foi testado no USS Bigelow saído dos Estaleiros Navais Hunters Point em 1977, e armas DU foram vendidas pelos EUA a 29 países.

Relatos de investigação militar resumem pormenores dos testes de DU entre 1974 e 1999 em terrenos militares de teste, em bombardeamento e artilharia e em laboratórios civis sob contrato. Hoje 42 estados estão contaminados com DU devido à sua fabricação, teste e instalação.

Mulheres que vivem em torno destas instalações têm relatado aumentos de endometriose, nascimentos defeituosos de bebés, leucemia em crianças e canceres e outras doenças em adultos. Milhares de toneladas de armas DU testadas durante década pela U.S. Navy em quatro perímetros de bombardeamento e artilharia em torno de Fallon, Nevada, causaram sem dúvida o crescimento mais rápido do agregado da leucemia nos EUA ao longo da última década. Os militares negam que o DU seja a causa.

A profissão médica tem sido activa no encobrimento — assim como tem estado a esconder os efeitos do público americano — da radiação de baixo nível dos testes atmosféricos e das centrais nucleares. Um médico da Califórnia do Norte informou ter sido treinado pelo Pentágono, juntamente com outros médicos, meses antes de a guerra de 2003 começar, no sentido de diagnosticar e tratar soldados que retornassem da guerra apenas por problemas mentais.

Profissionais médicos em hospitais e instalações que tratam soldados evacuados foram ameaçados com multas de US$10.000 se conversassem com os soldados acerca dos seus problemas médicos. Também foram ameaçados com prisão.

Repórteres tem sido impedidos de terem acesso a mais de 14.000 soldados evacuados desde 2003 por razões médicas, em voos nocturnos de C-150s a partir da Alemanha, que foram trazido para o Walter Reed Hospital perto de Washington, D.C.

O dr. Robert Gould, antigo presidente da filial da Bay Area do Physicians for Social Responsability (PSR), contactou três médicos em Fevereiro de 2004, depois de um ter sido convidado a falar sobre o DU. A dra. Katharine Thomasson, presidente da filial de Oregon do PSR, informou-me que o dr. Gould a tinha contactado e tentara convencê-la a cancelar o convite que me fizera para falar sobre o DU na Portland State University em 12 de Abril. Embora me fosse permitido fazer uma apresentação, a dra. Thomasson informou-me que eu poderia falar apenas sobre o DU no Oregon "e nada do ultramar... nada de política".

Vários meses depois o dr. Gould também contactou e desencorajou o dr. Ross Wilcox de Toronto, Canadá, de convidar-me a falar a Physicians for Global Survival (PGS), o equivalente canadiano do PSR. Como isto não funcionou, ele contactou o dr. Allan Connoly, o presidente canadiano do PGS, que conseguiu cancelar o meu convite e quase teve êxito em impedir o dr. Wilcox, seu próprio membro, de mostrar fotos e apresentar pormenores sobre o sofrimento de civis decorrente da exposição ao DU e sobre os canceres que lhe haviam sido oferecidos por médicos no sul do Iraque.

A dra. Janette Sherman, associada há muitos anos ao PSR, informou que acabara por abandoná-lo depois de ter sido convidada para um almoço por uma nova administradora executiva do PSR. Depois de a mulher ter sondado a dra. Sherman durante todo o almoço para saber da sua posição sobre questões chave, ela informou a dra. Sherman que o seu último emprego fora na CIA.

Como a verdade sobre o DU foi escondida do pessoal militar que serviu em sucessivas guerras DU? Antes da sua morte trágica, o senador Paul Wellstone informou Joyce Riley, R.N., B.S.N., director-executivo da American Gulf War Veterans Association, que 95 por cento dos veteranos da Guerra do Golfo haviam sido reciclados para fora da instituição militar por volta de 1995. Todos aqueles que continuaram o serviço militar foram isolados uns dos outros, impedindo a informação crítica de ser transferida para as novas tropas. A "guerra seguinte do DU" já foi planeada, e aqueles que a planeiam "não querem gambás no jardim da festa".

OS EUA TÊM UM SEGREDO SUJO

Um novo livro de Michael Collins Piper que acaba de ser publicado pela American Free Press, "Os grandes sacerdotes da guerra: A história secreta de como os trotsquistas neoconservadores da América chegaram ao poder e orquestraram a guerra contra o Iraque como primeiro passo no seu impulso pelo império global" ("The High Priests of War: The Secret History of How America's Neo-Conservative Trotskyites Came to Power and Orchestrated the War Against Iraq as the First Step in Their Drive for Global Empire"), pormenoriza os planos primitivos para uma guerra contra o mundo árabe de Henry Kissinger e dos neo-cons no fim da década de 60 e princípios da de 70. Acontece que os planos de obtenção do DU em andamento e a crise petrolífera no Médio Oriente coincidem, o que causou preocupação não apenas ao presidente Nixon. Os britânicos tem estado a conspirar e tramar pelo controle do petróleo do Iraque durante décadas desde que em 1912 utilizaram pela primeira vez gás venenoso sobre os iraquianos e os curdos.

O livro dá pormenores da criação dos neo-cons pelo seu "padrinho" e por Irving Kristol, amigo de Trotsky, que pressionou por uma "guerra contra o terrorismo" muito antes do 11 de Setembro e durante anos foi abundantemente financiado pela CIA. Seu filho, William Kristol, é um dos homens mais influentes nos Estados Unidos.

Ambos são relações públicas da rede neoconservadora do lobby israelense, com fortes ligações a Rupert Murdoch. Kissinger também tem ligações a esta rede, bem como o Carlyle Group, o qual, pode-se dizer, tem facilitado estas guerras omnicidas desde o tempo que o anterior presidente Bush tomou posse. Seria fácil dizer que estamos a reciclar as I e II Guerras Mundiais, com as mesmas caras.

Quando perguntei capitão John McCarthy, Boina Verde das Operações Especiais no Vietnam, que poderia ter concebido estes planos omnicidas para utilizar o DU a fim de destruir o código genético e o futuro genético de vastas populações de árabes e muçulmanos no Médio Oriente e na Ásia Central — por coincidência as áreas onde estão localizadas a maior parte das reservas de petróleo do mundo — ele respondeu: "Isto tem todas as impressões digitais de Henry Kissinger".

O tabuleiro de Brzezinski. No livro de Zbignew Brzezinski, "O grande tabuleiro de xadrez: O primado americano e os seus imperativos geoestratégicos" ("The Grand Chessboard: American Primacy and Its Geostrategic Imperatives"), o mapa do tabuleiro de xadrez euro-asiático inclui quatro regiões estratégicas para a política externa americana. A região "Sul" corresponde precisamente às regiões agora contaminadas permanentemente com a radiação das bombas, mísseis e balas americanas fabricadas com milhares de toneladas de DU.

Um professor japonês, o dr. K. Yagasaki, calculou que 800 toneladas de DU é a atomicidade equivalente a 83.000 bombas de Nagasaki. Os EUA utilizaram mais DU desde 1991 do que a atomicidade equivalente a 400.000 bombas de Nagasaki. Quatro guerras nucleares na verdade, e 10 vezes a quantidade de radiação libertada na atmosfera a partir dos testes atmosféricos!

Não é de admirar que os nossos soldados, as suas famílias e o povo do Médio Oriente, da Jugoslávia e da Ásia Central estejam doentes. Mas, como disse Henry Kissiger após o Vietnam quando os nossos soldados voltaram para casa com doenças do Agente Laranja, "Os militares são apenas estúpidos animais mudos a serem utilizados na política externa".

Infelizmente, um número cada vez maior destes soldados são homens e mulheres com pele castanha. E infelizmente, o pó radioactivo do DU será transportado pelo mundo e depositado nos nossos ambientes, assim como a "poluição" ("smog") da Guerra do Golfo de 1991 foi encontrada em depósitos na América do Sul, nos Himalaias e no Hawai.

Em Junho de 2003 a Organização Mundial de Saúde anunciou num comunicado de imprensa que as taxas globais de câncer aumentarão 50 por cento em 2020. O que mais saberão eles que não estão a contar-nos? Sei que o urânio empobrecido é uma sentença de morte... para todos nós. Todos nós morreremos de modos silenciosos.
Fontes usadas neste artigo que os leitores são encorajados a consultar:

American Free Press, série de quatro partes sobre DU da autoria de Christopher Bollyn.
Part I: "Depleted Uranium: U.S. Commits War Crime Against Iraq, Humanity," www.americanfreepress.net/depleted_uranium.html ;
Part II: "Cancer Epidemic Caused by U.S. WMD: MD Says Depleted Uranium Definitively Linked," www.americanfreepress.net/html/cancer_epidemic_.html

August 2004 World Affairs Journal. Leuren Moret: "Depleted Uranium: The Trojan Horse of Nuclear War," www.mindfully.org/Nucs/2004/DU-Trojan-Horse1jul04.htm and
http://globalresearch.ca/articles/MOR407A.html

August 2004 Coastal Post Online. Carol Sterrit: "Marin Depleted Uranium Resolution Heats Up – GI's Will Come Home To A Slow Death," www.coastalpost.com /04/08/01

World Depleted Uranium Weapons Conference, Hamburg, Germany, October 16-19, 2004: www.worlduraniumweaponsconference.de/speakers/speakers.htm

International Criminal Tribunal for Afghanistan. Written opinion of Judge Niloufer Baghwat: www.mindfully.org/Reform/2004/Afghanistan-Criminal-Tribunal10mar04.htm

"Discounted Casualties: The Human Cost of Nuclear War" by Akira Tashiro, foreword by Leuren Moret, www.chugoku-np.co.jp/abom/uran/index_e.html
________________

[*] Leuren Moret é uma geocientista que trabalhou por todo o mundo em questões de radiação, educando cidadãos, os media, membros de parlamentos e do Congresso e outros responsáveis. Em 1991 ela fez uma denúncia no Livermore Nuclear Weapons Lab depois de verificar uma grande fraude científica no Yucca Mountain Project. Ela é comissária ambiental da cidade de Berkeley. Seu email é leurenmoret@yahoo.com


The Centre for Research on Globalization (CRG) at www.globalresearch.ca grants permission to cross-post original Global Research (Canada) articles in their entirety, or any portions thereof, on community internet sites, as long as the text & title of the article are not modified. The source must be acknowledged as follows: Centre for Research on Globalization (CRG) at www.globalresearch.ca . For cross-postings, kindly use the active URL hyperlink address of the original CRG article. The author's copyright note must be displayed. (For articles from other news sources, check with the original copyright holder, where applicable.). For publication of Global Research (Canada) articles in print or other forms including commercial internet sites, contact: editor@globalresearch.ca .

© Copyright belongs to the author, 2004. For fair use only/ pour usage équitable seulement.
Original em http://www.globalresearch.ca/articles/MOR408A.html

Colhido em http://resistir.info .
05/Set/04

* DATA LIMITE
Segundo Chico Xavier e tantos outros

  Chico Xavier apontou a "data limite", a nova era a chegar, por bem ou por mal. Grupos rivais de ufologistas e de projeciologistas advertem no mesmo sentido dos espiritualistas*   Nós, os humanos, temos um prazo para assumirmos o controle do Planeta Terra retirando do comando os 2% mutantes psicopatas os quais, manipulando os decentes, jogando uns contra os outros, assumiram o controle da maior parte das instituições. Se conseguirmos assumir o controle até a data limite, entraremos em uma nova onda de desenvolvimento tecnológico impulsionado pelas outras raças muito mais evoluídas.
  Do contrário, se os psicopatas continuarem no controle, as outras raças ultradimensionais impedirão a continuidade da nossa civilização devido ao risco do desenvolvimento de tecnologias de destruição controladas por assassinos frios, calculistas, dissimulados desprovidos de emoções, juízo de valor e conexão espiritual.
  Por motivos óbvios, embora com pesar, as raças mais evoluídas não permitirão a continuidade da nossa civilização.
  Assim, ou nós, humanos, acabamos com o domínio psicopata, ou a data limite da nossa civilização humana será 20/7/2019.
Assista ao filme  Data Limite Segundo Chico Xavier​ em https://youtu.be/4JxukHvGVzE    http://datalimite.com/celebrando-um-bom-comeco/ onde a mensagem é contextual pois, se fosse escancarada, obviamente não seria permitida a sua divulgação,

 Conjugam-se aos espiritualistas, similares informações coletadas por ufologistas e projeciologistas:
 UFOLOGIA:
 Os ufologistas orbitam dois grupos de ostensiva rivalidade:
 A mais antiga publicação do mundo no ramo é Revista UFO https://www.facebook.com/revistaufo/ dirigida por Ademar José Gevaerd​. Radicado no Paraná, além das publicações impressas e vídeos, promove cursos e eventos, alguns realizados com o Movimento Gaúcho de Ufologia http://mgufo.blogspot.com.br/      http://neusufo.blogspot.com.br/2014/01/2014-ano-do-contato.html com Semanas Ufológicas, inclusive no CMPA Colégio Militar de Porto Alegre http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2010/06/semana-ufologica-em-porto-alegre-reune-curiosos-sobre-o-assunto-2948750.html http://semanaufologica.blogspot.com.br/
 O Projeto Portal​ http://www.projetoportal.org.br/ com sede no Mato Grosso do Sul para onde atrai centenas de milhares de pessoas,  inclusive no RS, em Minas do Camaquã, distrito de Caçapava do Sul; onde também se promovem incursões de campo para contatos com seres extraterrestres Ultradimensionais pertencentes a uma confederação formada por 49 raças.  O mais recente foi realizado neste feriado de 1º de maio de 2015 como informou Marcus Vinícius Rigo um de seus pesquisadores em nosso estado (nucleors@projetoportal.org.br).

  PROJECIOLOGIA
 Projeciologia envolve um meta grupo muito diversificado http://www.padilla.adv.br/mistico/projecao/
 Engloba espíritas* os praticantes de apometria seguidores da doutrina de Alan Kardec, um grupo heretogêneo, alguns com características ortodoxas, outros liberais  http://www.padilla.adv.br/mistico/apometria/  
  Também compreende seitas ritualísticas, algumas derivadas de culturas indígenas utilizando ervas; o cactus peiote contendo mescalina popularizou-se com a saga iniciada com  "A Erva do Diabo" em 1968 pelo antropólogo Carlos Casteñeda romanceaando as pesquisas com índios Yaquis no Novo México (EUA) em uma dúzia de best sellers. http://www.padilla.adv.br/mistico/projecao/castaneda/
  Há grupos de projeciologistas independentes de seitas agindo por propósitos variados, da curiosidade à busca de experiência e sabedoria, a maior parte agrupados em torno dos
   IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas http://www.ippb.org.br/  é coordenado por Wagner Borges; radicado em São Paulo, realiza pesquisas transdisciplinares como no xamanismo www.vozdoselementos.com.br
  IIPC - Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia http://www.iipc.org/ é coordenado pelo médico Waldo Vieira. Radicado em Foz do Iguaçu, mantém centros educacionais em vários dicadas do Brasil como Caxias do Sul e em outros países (Buenos Aires/Argentina, Luanda/Angola e Montevideo, Uruguay​
   O psicanalista  Lázaro Trindade Freire​ e Valter Cichini Jr, terapeutas da Maniji, realizam regularmente cursos e palestras além de fomentarem o intercâmbio de informações pelo grupo Voadores http://voadores.com.br/
  Pois apesar das práticas, dos objetivos, dos valores e meta-crenças altamente diversificados, desde todos esses grupos heterogêneos parte uma mensagem similar: as (alguns falam serem 49) raças extraterrestres sempre nos vigiaram e, ao desenvolvermos armas termonucleares destruindo maciçamente semelhantes, acentuaram esse cuidado até 20/7/1969 quando os Ultradimensionais fixaram uma data limite para nós, os humanos, assumirmos o controle do planeta afastando o domínio psicopata: 50 anos terrestres daquele momento, portanto, 20/7/2019.
 Bondosos, alguns Ultra-dimensional tem nos ajudado fomentando os ampliação de consciência sendo os responsáveis pela multiplicação de crianças índigo e cristal. Contudo, precisamos fazer nossa parte. https://www.facebook.com/events/816443075077772/
* Para quem não conhece o setor, houve uma divisão dos centros espíritas em dois grupos após ​os anos sessenta quando, ​no Hospital Espírita ​em Porto Alegre, o Dr. Lacerda ​iniciou uma nova forma de focar a energia através de comandos verbais​​. ​​Na virada do milênio, esboçamos uma relação de centros de apometia e eram centenas. A técnica é prevista nos ensinamentos de Alan Kardec como demonstrou o Dr. Ivan Herve, co-fundador da Apometria e fundador da associação espírita Casa de João Pedro onde passamos a trabalhar no ano 2000. Dr. Hervê desenvolveu pesquisas internacionalmente reconhecidas sobre a eficácia da apometria em molésticas consideradas incuráveis pela medicina alopática como a esquizofrenia, publicos alguns livros e trabalhos http://www.ivanherve.com.br/a-casa-de-joao-pedro.html 
Entre os centros apométricos, a Casa de João Pedro situa-se a "caballero": não é ortodoxa, interagimos com ética e o amor incondicional com toda a entidade espiritual que venha até nós, das de umbanda aos ultradimensionais; não é liberal, o médium deve focar-se na apometria abrindo mão de outras práticas, como o xamanismo; eu era terapeuta reiki de 2º nivel, habilitado a atender à distância e, ao ingressar na casa, abri mão daquela técnica. 

   Em meados do Século XX, no Hospital Espírita de Porto Alegre, iniciou o desenvolvimento de uma técnica a seguir denominada de Apometria. O Grupo passou, na década de oitenta, a intitular-se "Casa do Jardim" sendo dirigido pelo Dr. Lacerda. 

  O Dr. Ivan Hervé lá trabalhava e, estimulado por Dona Iolanda a esposa do Dr. Lacerda, assumiu a direção de um grupo interno que se reunia em momento diverso da semana. Na época, a Casa do Jardim ainda operava dentro do Hospital Espírita e, após a saída do Hospital Espírita, os grupos componentes da Casa do Jardim passaram por diversas casas, como a "Sociedade Ramiro D´Avila". 

  O grupo dirigido pelo Dr. Ivan foi um dos que mais cresceu e, face à liberdade de cada grupo, em 9 de abril de 1989 iniciou um arquivo próprio com os prontuários de todos os atendimentos e, posteriormente, veio a dar conotação de pesquisa científica atendendo recomendação do Dr. Sidney Grenfield, chairman do Departamento de Antropologia da Universidade de Wisconsin, em visita à Casa do Jardim, onde sugeriu esse tratamento científico dos casos atendidos. O grupo original da Casa de João Pedro permaneceu lá até quando, ante a quantidade de participantes, necessitou de mais espaço e, no Ramiro D´Ávila, faltavam condições físicas. Como a situação persistiu, um grupo, em torno de trinta pessoas, provavelmente em agosto de 1992, reuniu-se na residência do Dr. Ivan Hervé, decidindo fundar uma nova sociedade para poderem locar uma sede para as atividades. 

  Ainda em 1992, foi alugada uma casa na rua Monteiro Lobato, ali permanecendo até 1º de maio de 1994. A Sociedade recebeu o nome "Fraternidade e Amor", oriundo da Instituição Espiritual que passou a orientar o grupo sob o comando de João Pedro. A atividade espiritual desenvolvida foi explicitada no livro “Espiritualismo” (1994), de Ivan Hervé. Em 1994, foi oferecida, em doação, uma propriedade para sediar o grupo.  Assembléia Geral, por maioria, recusou; contudo, os vencidos desligaram-se e fundaram a "Sociedade Casa da Luz", até hoje desenvolvendo profícua atividade. Em 1º de maio de 1994, por término do contrato, houve mudança de sede para a rua Coronel Feijó esquina Cristóvão Colombo (casa existe ainda, funciona uma distribuidora de bebidas) desenvolvendo um primeiro curso (1995) registrado em fitas cassetes. Em 1º de maio de 1996, a Casa de João Pedro passou para a rua Gonçalves Ledo 289 no Partenon onde, face o crescimento das atividades, ficou decidido registrar juridicamente com o Estatuto aprovado em 17 de setembro de 1997 e encaminhado ao Cartório de Registros Especiais quando houve a eleição de uma Diretoria e um Conselho Consultivo. Em 24 de março de 2000, foi aprovado o Regimento Interno. Continuando a crescer rapidamente e, a partir de 1997, cursos anuais de ensino básico da apometria e avançados para médiuns. Em 1999, recebeu a doação de um terreno na rua Portuguesa n° 286, foi iniciada a construção em dezembro de 2000 com recursos oriundos das doações dos médiuns. Desde o ano 2004 transferiu atividades para o novo endereço. Ao longe desse tempo, centenas de médiuns desligaram-se de cada um desses centros criando outros grupos e centros, especialmente motivados por mudanças de residência. Apesar de trabalharem em locais separados fisicamente, os grupos apométricos descendentes da centelha fundadora persistem conectados compondo uma meta-egrégora que não para de crescer. Muitos acreditam estarem, port trás do desenvolvimento dessa nova técnica altamente eficaz, a inspiração dos Ultradimensionais preocupados em acelerar o desenvolvimento da humanidade e a superação da manipulação dos 2% psicopatas que não possuem ligação com o mundo espiritual. https://www.facebook.com/groups/IPPB.Projeciologia/


  Enquanto a humanidade permitir o controle-manipulação pelos mutantes psicopatas, a tecnologia poderá ser usada para o mal e contra outras raças do Universo. Por isso, a Data Limite...

O Universo é vasto tornando desprezível, algo como 10 reduzido à potência menos 22, 1/10.000.000.000.000.000.000.000, a possibilidade da vida NÃO ter surgido e se desenvolvido em outros locais.

A humanidade precisou 4 bilhões de anos para desenvolver-se chegando à tecnologia atual. Contudo, o maior progresso aconteceu nos últimos anos. Hoje, a palavra "vertiginosa" é adequada ao tratar da evolução tecnológica: conseguimos realizar o teletransporte, por enquanto, ainda só de partículas. Avança a computação quântica: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2012/06/transcisdiciplinariedade-antes-ficcao.html e http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2010/09/6-ondas-de-desenvolvimento.html 
   O CERN, sigla de "Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire", nascia em 1954 e vem realizando experimentos há quase sessenta anos ampliando as fronteiras do conhecimento:

Das pesquisas sabe-se o que divulgam, o vídeo acime é oficial do CERN onde os funcionários possuem rígidos contratos de confidencialidade. Para ingressar no colisor de Hadróns passa-se por Shiva, o deus hindu da destruição. Especula-se ter sido colocado lá aludindo aos experimentos realizados lidarem com a antimatéria e o rompimento do contínuo-espaço-tempo, o que levaria à criação de portais de teletransporte.
  
Imagine o desenvolvimento daqui a dez, cem, mil ou um milhão de anos? É uma tecnologia perigosa para ficar sob o controle de psicopatas. Assim, faz muito sentido a preocupação dos Ultradimencionais com o desenvolvimento terráqueo.
Portanto, é altamente provável a existência de muitos povos Ultradimensionais bilhões de anos mais avançados. Em Porto Alegre, vai acontecer a Semana Ufológica com a participação de vários segmentos da sociedade, inclusive dos militares.