Deus amor com poderes


"Deus é o amor com cabelo grande e poderes." 

 Como explicar a existência de Deus?

 Explicar a existência de Deus é questão atacada pelo esforço globalista em disseminar dúvidas.

 Criar dúvidas confunde a humanidade e nos envolve em discussões intermináveis.
 Enquanto isso, os controladores ficam cada vez mais ricos sobre o trabalho escravo da maior parte da população mundial como demonstra http://bit.ly/escravizacao 

  Sobre o falso humanismo confira http://bit.ly/femineze

   Saiba que o materialismo não tem fundamento científico, como demonstra Sergio de Oliveira:

Sérgio Felipe de Oliveira, psiquiatra, professor e pesquisador do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, em conferência sobre "A glândula pineal, e os novos conceitos e avanços em pesquisas!, trata, entre outras questões, sobre a necessidade de muita fé para ser materialista. O materialista acredita em algo que não consegue ver e nem tocar, pura crença, aliás, da qual não existe qualquer prova científica. Escute o áudio clicando aqui ou assista ao vídeo acima ou através do link: https://youtu.be/4walu-hO9fQ

  Como explicar a existência de Deus?


  Conheces a história dos dois bebês, no ventre da mãe, e começando a se comunciar?
 

  O 1º pergunta:
- Acreditas em vida após o parto? 

 O 2º respondeu:
 - É claro. Tem que haver algo após o parto. Talvez estejamos aqui preparando-nos para o que virá mais tarde. 


  - Bobagem, diz o 1º. Que tipo de vida seria esta?
 

 O 2º explica:
 - Eu não sei, mas haverá mais luz do que aqui. Talvez poderemos andar com as nossas próprias pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora.
 

 O 1º replica:
 - Absurdo. O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o mais de que precisamos. O cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto está fora de cogitação. 


 O 2º fundamenta:
 - Acredito haver alguma coisa e talvez seja diferente daqui. Talvez a gente não vá mais precisar deste tubo físico.
 

 O 1º segue contestando:
- Bobagem! Se realmente há vida após o parto, porque ninguém jamais voltou de lá? 

- Não sei, diz o 2º, mas certamente encontraremos a Mamãe que cuidará de nós.
 
 O 1º questiona a existência da Mamãe:
- Mamãe? Realmente acreditas em Mamãe? Ridículo. Se a Mamãe existe onde está agora? 


 O 2º aponta:
 - Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e nem existiria. 


 O 1º teima:
 - Não posso vê-la: logo, ela não existe.
 

 O 2º o instiga:
 - Às vezes, em silêncio, ao concentrar, poderá perceber a presença dela e ouvir sua voz amorosa.
 

  Experimente, no diálogo acima, substituir a palavra Mamãe por Deus.
  Notou a profundidade?
   
 Recreio para alavancar o empowerment: https://vimeo.com/240996001
 

   Para entender melhor a existência de Deus, conheça os dois tipos conhecimento. 

 


Há duas espécies de saber?

Podemos perceber a intuição (“misticismo”) e o raciocínio (“ciência”) como tipos de sabedoria distintos?
conhecimentos intuitivos,  que dispensam provas "visíveis". São conhecimentos tão verdadeiros que nem precisamos ter provas materiais de sua "realidade".   Necessitamos uma sintonia especial com a pessoa a quem desejamos transmitir esse "conhecimento" - porque ele está dentro de nós.  Nós chamamos esse conhecimento de "Místico" porque não possui, a priori, uma base racional, e transcende os 5 sentidos.
Em oposição, os conhecimentos racionalizados podem ser demonstrados por meios externos.  Através da tentativa e erro, e podemos errar cem (ou mais) vezes, mas acertando uma única vez (eureka!) inventamos algo, e teremos o que demonstrar.     Podemos transmitir esse conhecimento a praticamente qualquer pessoa interessada em aprender e podemos reproduzir o experimento. Isso é ciência.
Misticismo & Ciência nasceram unidos,  como gêmeos siameses, mas dissociaram-se na medida em que a ciência progredia a passos largos em todas direções, e o Místico ficava para trás,   barrado pelo atavismo, pelo medo do novo,  pelos conflitos interiores e sociais, pela cobiça e inveja e todas mesquinharias típicas de animais, que éramos, disputando espaço, alimentos,  e poder no grupo.
Dividir o Universo em partes,  para conquistar o conhecimento de cada parte,  como num relógio, que podemos desmontar para entender o funcionamento das engrenagens,  foi um método que funcionou até o final do que os seguidores do calendário cristão convencionaram chamar de o segundo milênio.
Ambos ramos do conhecimento cresceram, e mesmo no campo místico houve o acúmulo de informações, fruto de experiências em diferentes épocas e culturas.
E, no terceiro milênio, é hora dos "gêmeos" retomarem a caminhada em conjunto.
Em verdade, misticismo e ciência nunca estiveram muito separados...

 

Da diferença entre conhecimento e Sabedoria:

Em cada descoberta científica, o método do experimento é uma experiência mística:  na maioria das vezes sem interferência externa...
Auxiliado pela inspiração,    o inventor escolhe à que conduz a descoberta entre milhares, ou milhões de condutas a tomar.  Chamamos isso de intuição, comprovando que o misticismo sempre foi instrumento da ciência. Veja alguns exemplos na medicina:     No final do Séc. XIX, o alemão Wilhelm Conrad Röntgen inventou os Raios-X pesquisando tubos de raios catódicos que, aquecidos, emitiam elétrons; induziu uma corrente elétrica e constatou que a radiação velava chapas fotográficas.    Em 1928, Alexander Fleming propiciou salvação para milhões de vidas com a penicilina descoberta através de permitir a contaminação, por um bolor, de uma cultura de bactérias.   Mais recentemente,  alguém teve a intuição de experimentar o remédio antifúngico ciclosporina para evitar a rejeição de órgãos transplantados e salvou milhões de vidas !
Os ramos da ciência tanto os mais profundos quanto os mais modernos chegaram ao final do segundo milênio comprovando:
1.                 A existência de uma alma ou de "algo" além do corpo físico.     Há mais de um século um cientista (inspirado...) descobriu um meio de fotografá-la.  O método cientifico de fotografar “algo” que podemos chamar de aura, alma, segundo corpo, etc., passou a ser pesquisado e aperfeiçoado.      Batizado de Kirlian, nome do russo que o descobriu por intuição permite fotografar a aura dos seres vivos e dos que foram vivos. A aura fotografada varia conforme a saúde e o estado de espírito, e sua variação é imediata diante de emoções e pensamentos.
Fotos Kirlian de mutilados apresentam resultados surpreendentes para os céticos: o mutilado conserva a aura, estampada na foto, do membro perdido. A aura vai desaparecendo com velocidades variáveis, conforme a natureza do ser mutilado e do tipo de evento que provocou a mutilação.
O método Kirlian fotografa o 2º corpo, ou corpo etéreo, que liga o 1º corpo (corpo físico, também chamado de mineral), e os demais corpos que compõe um ser vivo. É uma evidência científica sobre o que o conhecimento místico de milênios.   Há vários organismos que desenvolvem pesquisas, que podem ser localizados pela Internet.  A física acredita que as partículas são manifestações da energia, de maneira que tudo em análise final é energia.
2. Em todo mundo desenvolvem-se pesquisas sobre uma ciência denominada Projectologia ou Projeciologia fenômeno pelo qual a consciência (e o corpo espiritual) separa-se temporariamente do corpo físico,  que fica dormindo ou em repouso. Através da projeção visita lugares ou pessoas, trazendo conhecimentos que não poderíamos obter de outra maneira. Órgãos de inteligência como a CIA vem investindo na sua aplicação para segurança.
Em meados de maio de 2006, a Rede Globo apresentou um programa Globo Repórter retratando experimento no qual pessoas trancadas em salas sem comunicação, e em sono profundo monitorado com vasta gama de equipamentos científicos, foram capazes de identificar com precisão uma série de objetos escolhidos ao acaso e levados para uma outra sala após estarem dormindo... Tais experiências demonstram, acima de qualquer suspeita, e através de experimentos cientificamente comprovados, que o espírito existe. Também demonstram o conhecimento místico interagindo espírito e matéria. A Projeciologia é um dos aspectos do fenômeno de desdobramento, em nível de desdobramento profundo, porque há perda temporária de contato com o corpo físico e de suas informações sensoriais: http://www.padilla.adv.br/mistico/projecao
Modernamente, vem sendo desenvolvido o desdobramento sem perda de contato com o corpo e suas sensações, há quase cinqüenta anos inicialmente pelo falecido Dr. José Lacerda Azevedo no Hospital Espírita de Porto Alegre, do qual originaram vários centros que aplicam e estudam a técnica, que vem se espalhando por outros centros, que aplicam a "Apometria". Nesse desdobramento - dependendo do grau, o aplicador não chega a perder o contato com o corpo físico e o espaço dimensional que o cerca. http://www.padilla.adv.br/mistico/apometria
3.          Mesmo nas mais “tradicionais” escolas de medicina cresce o conceito de saúde não ser somente do corpo físico:  Há um conjunto que envolve o espírito, ou alma, etc. Ponto marcante foi a conferência inaugural do Congresso Internacional de um dos ramos mais materialistas da medicina, a Cirurgia Ortopédica, na Califórnia, em 2001, para a qual convidaram ninguém menos do que um dos mentores da medicina alternativa, Deepak Chopra: http://www.padilla.adv.br/mistico/7leis
A medicina ortodoxa admite sua impotência para preservação da saúde e melhor a qualidade de vida, reconhecendo as limitações dos tratamentos com fórmulas farmacêutico-bioquímicas ou intervenções cirúrgicas, que nem sempre surtem efeito.   Caminha para unificação com as medicinas alternativas, como acupuntura, homeopatia, ortomolecular, bioenergética, etc., tudo para alcançar o sucesso na preservação e resgate da saúde: http://www.padilla.adv.br/saude/agua
4.       Das demais provas:
Ensina a física quântica, uma das mais modernas ciências, que tudo o que percebemos como matéria são manifestações (propriedades) da energia.  O átomo não é a menor porção de matéria, simplesmente porque não existe matéria.
O átomo é constituído de partículas de energia. Tudo é energia e, embora não possamos ver nem mensurar (ainda) tal conjunto energético, ele está em tudo.     Isso é ciência, denominada física quântica, comprovando que o universo é energia.     Toda energia é interativa, e forma um conjunto, com propriedades próprias, mais complexas que as partes que a compõe. Ou seja:    Tudo é energia!
 
Saiba mais sobre:

A mais moderna técnica de trabalho espiritual, a Apometria = http://bit.ly/pad-apometria

A Data Limite segundo Chico Xavier = http://bit.ly/d-limite

O incrível Livro de Urântia = http://bit.ly/Urantia-livro

A formação do campo mórfico = http://bit.ly/qsnos

No primeiro artigo do Estatuto da USP, maior universidade latinoamericana:      "A Universidade deve ensinar e pesquisar todas as formas de pensamento."
O Professor Miguel Reale, um dos maiores juristas da história, quando Reitor da USP, mandou gravar no piso de entrada da Reitoria:        "No universo da Cultura, o centro está em toda a parte."
Na concepção difundida por Descartes,  o "especialista" era quem sabia cada vez mais...
        Sobre cada vez menos...
Cada vez mais...
        Sobre cada vez menos
Até saber o tudo sobre o nada, conforme o picardista Millor Fernandes
O “especialista” aprendia cada vez mais sobre uma pequena parcela do conhecimento até saber quase tudo sobre o quase nada. A pretensão decartiana observava tudo como um mecanismo de um relógio que pode ser "decomposto" em muitas partes, permitindo conhecer o funcionamento do todo a partir de cada pedaço. Esse raciocínio é válido quando as peças estão interligadas por conexões simples. Pela analogia com o mecanismo do relógio,  essa visão ficou conhecida como "mecanicista".
Foi um estágio do conhecimento pelo qual passamos; alguns ainda não perceberam....
Saiba mais sobre o processo de conhecimento e como aperfeiçoá-lo usando os atalhos para os caminhos da sabedoria, abaixo.
No limiar do Terceiro Milênio desenvolveu-se uma proposta que se denominou Holista.    "Hol",  do grego hólos, hóle, hólon, expressa 'inteiro', 'completo".   Os dicionários definem como “tendência supostamente própria do Universo de sintetizar unidades em totalidades organizadas.”
Contrapostas as visões holista e mecanicista equilibramos ambas (princípio da dualidade) alcançando harmonia em adequada compreensão do Universo e da vida. O mundo, como realidade não de partes mas integrada. Nada é isolado. Tudo, todas coisas, todas pessoas, todos acontecimentos, estão relacionados.    When all is one and one is all.
Acelere o conhecimento:        Aprenda mais rápido e melhor
Os 4 planos de atuação humana e as  6 ondas de desenvolvimento tecnológicohttp://www.padilla.adv.br/crenca.
Conclusões da retrospectiva da Revista Isto É ao final de 2005:  
  Novas descobertas científicas e avanços tecnológicos estimulam o fascínio pelo sobrenatural: 
 O saber místico até então amplamente considerado sem serventia para os “materialistas” e o conhecimento científico de nenhum valor para os “espirituais” se reencontram http://www.padilla.adv.br/mistico/ciencia
7 Leis Espirituais do Sucesso http://www.padilla.adv.br/mistico/7leis
Os Agnósticos cultivam a humildade. A palavra significa “sem conhecimento”. O Universo é repleto de fenômenos além da nossa compreensão, simples humanos. Nossas percepções provêm dos cinco sentidos e do raciocínio para as interpretar. Os sentidos são extremamente limitados. Compare com animais “inferiores”: Visão, audição, olfato, tato e paladar humanos são limitadíssimos. E percebeu como a mente teima em não lembrar de coisas importantes ? Ou como é difícil armazenar informações que vamos necessitar ? O que chamamos de raciocínio não passa de um software sofrível, rodado num hardware – nossa mente - mais deficiente ainda.  Como podemos pretender conhecer o todo universal ? Não compreendemos mais que ínfima parte. Shakespeare, em profundo entendimento da alma humana, afirmou “haver mais mistérios entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia”. Estava certo.
Na falta de um poder de compreensão adequado,  instrumento valioso é tempo. O “teste do passar tempo” desacredita crenças, costumes, modismos e convicções falsas. E faz renascer as verdadeiras. Certo e verdadeiro consegue resistir com o passar dos anos, séculos ou milênios. A instituição família é certa e verdadeira. Existe desde o início das civilizações. A crença num ente superior também o é. Permeou todas as sociedades, desde o início dos tempos.
Falar em Cristo suscita controvérsias mas nem o maior dos céticos duvida que algo muito extraordinário ocorreu na antiga Galiléia mudando o curso da história universal sem uso da força militar ou do poder econômico.  Embora o Cristianismo esteja impregnado de valores tomados de empréstimo das anteriores religiões orientais, em especial do Zoroastrismo persa, suas verdades são fortes porque resistiram e se multiplicaram em dois milênios. Aliás, grande parte (senão todo) conhecimento da civilização humana tem sua fonte na primeira comunidade a desenvolver a agricultura e, com alimentos abundantes, dispor de tempo e cada vez mais recursos para descobrir e desenvolver tecnologias e fomentar o saber. Observe o infográfico comparando a evolução da civilização através de várias culturas clicando aqui %. Analise alguns aspectos dessa evolução clicando aquiü.
A Bíblia foi alterada, após o Século V, suprimindo as referências à crença reencarnacionista contudo, sendo um livro grande, algumas partes escaparam:
“Conheço um homem em Cristo que a catorze anos, foi arrebatado até o terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe)
“e sei que tal homem (se no corpo ou fora do  corpo, não sei, Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir.” (Bíblia, Coríntios II, capítulo 12, versículos 2 ª 4 )
Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.” (Bíblia, Coríntios I, capítulo XV, versículos 44 )
“Achei-me em espírito, no dia do senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta.” (Bíblia, Apocalipse de João, capítulo I, versículo 10 )
“Então o espírito me levantou e me levou; eu fui amargurado na excitação do meu espírito; mas a mão do SENHOR se fez muito forte sobre mim; antes que se rompa o fio da prata, e se despedace o copo de ouro, e se quebre o cântaro junto a fonte, e se desfaça a roda junto ao poço.” (Bíblia, Eclisiastes, capítulo 12, versículo 6)
Entenda os motivos políticos e interesses financeiros dessa mudança em Reencarnacionismo, os Jogos Olímpicos banidos e a politicagem Romana http://bit.ly/aneis-cruz
 
 

  Dicionário de crianças colombianas surpreende adultos com definições como:

"Deus é o amor com cabelo grande e poderes".

 Desde A de adulto, "Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro de si", até V de violência, "A parte ruim da paz".

   O personagem mais fascinante da história da humanidade, Jesus.
   Quem foi e como viveu Jesus de Nazaré?
   A história e a arqueologia, o que podem nos dizer sobre seu tempo?
  O Jesus Histórico no Canal Livre, com o professor e filósofo Mário Sergio Cortella com observações inteligentíssimas, assista:
   Por que adulto se surpreende com a genialidade infantil?
  As crianças que nos surpreendem são as que não sofreram (ainda; tomara nunca sofram!) a influência limitante das falsas crenças e da inversão de valores anuladora dos adultos.
  Durante o desenvolvimento do indivíduo, sem perceber, ingressam no sistema inconsciente um cipoal de sofismas e bloqueios:
 Para entender o processo de pensamento
 As definições cheias de poesia e de sabedoria de autores de pouca idade. Lindas por isso mesmo!

   Sabedoria infantil:

  • Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma(Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)
  • Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)
  • ÁguaTransparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)
  • Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)
  • Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)
  • Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)
  • Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)
  • Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)
  • Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)
  • Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)
  • Guerra:Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)
  • Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)
  • Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)
  • Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)
  • Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)
  • Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)
  • Sexo: É uma pessoa que se beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)
  • Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)
  • Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)
  • Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)
  • Violência: Parte ruim da paz (Sara Martínez, 7 anos)
Fonte: livro Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças, de Javier Naranj.


   O dicionário está no livro "Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças", uma obra que surpreendeu ao se tornar o maior sucesso da Feira Internacional do Livro de Bogotá, no final do mês de abril de 2013. Surpresa porque o livro foi publicado na Colômbia, pela primeira vez, em 1999, e reeditado no início desse ano.

   "...o livro continua revelando... falando sobre as pequenas coisas", disse Javier Naranjo, compilador das definições das crianças colombianas, à BBC Mundo.

   "Eles têm uma lógica diferente, outra maneira de entender o mundo, outra maneira de habitar a realidade e de nos revelar muitas coisas que esquecemos", diz.

  'Outra visão do mundo':

   As definições - quase 500, para um total de 133 palavras diferentes - foram compiladas durante um período "entre oito e dez anos", enquanto Naranjo trabalhava como professor em diversas escolas rurais do Estado de Antioquía, no leste do país.
   "Na criação literária fazíamos jogos de palavras, inventávamos histórias. E a gênese do livro é um dos exercícios que fazíamos", conta ele, que agora é diretor da biblioteca e centro comunitário rural Laboratório do Espírito.
   Ele diz que teve a ideia de pedir aos alunos uma definição do que era uma criança, em uma comemoração do dia das crianças.
   "Me lembro de uma definição que era: 'uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir mais cedo'. Eu adorei, me pareceu perfeita."
   "As crianças escolheram algumas palavras e eu também: palavras que me interessavam, sobre as quais eu me perguntava. Mas não fugi de nenhum", afirma Naranjo.
   No dicionário aparecem temas do cotidiano da Colômbia, como guerra e "desplazado", pessoa que se desloca pelo país, geralmente fugindo de conflitos. Um dos alunos definiu a palavra criança como "um prejudicado pela violência".

  Aprender a escutar

   Para a publicação, Naranjo corrigiu a pontuação e a ortografia das definições escolhidas, mas afirma não ter tirado nenhuma das palavras por "questões ideológicas".
   Por isso, o livro mantém a voz das crianças, com suas formas de explicar as coisas e construções gramaticais particulares. Bianca Yuli Henao, de 10 anos, define tranquilidade como "por exemplo quando seu pai diz que vai te bater e depois diz que não vai".
   O ex-professor diz que o respeito à voz das crianças também é parte do sucesso do livro, que foi reeditado em 2005 e 2009 e inspirou obras semelhantes no México e na Venezuela.
   As vendas do livro ajudaram a financiar as atividades da biblioteca atualmente dirigida por Naranjo, que continua convidando as crianças a deixar a imaginação voar com outras dinâmicas.
   "Nós adultos somos condescendentes quando falamos com as crianças e deve ser o contrário. Mais que nos abaixarmos temos que ficar na altura deles. Estar à altura deles é nos inclinarmos para olhar as crianças nos olhos e falar com elas cara a cara. Escutar suas dúvidas, seus medos e seus desejos", diz.

----- Original Message -----
Sent: Tuesday, May 21, 2013 7:30 AM
Subject: Notícia do Cliografia
Olá Professor!
Essa notícia é para crianças, ou, adultos simples, com alma de criança. :)
Abração.
Obs: vale a pena ler no final, o pequeno "dicionário".
Emílio

 Para entender o processo de pensamento e de como podemos nos tornar "Golfinhos", os adultos de renovada perspectiva: 
 O Golfinho é um mamífero (cetáceo) cuja inteligência emocional permite conviver harmonicamente em um meio ambiente no qual há predadores primitivos, os tubarões.
 Os humanos que desenvolvem o mesmo potencial, metaforicamente, são também Golfinhos". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário